Economia, política, denúncias e internacional são os destaques das manchetes dos jornais

SINOPSE DE 07 DE DEZEMBRO DE 2018 Edição: Sérgio Botêlho JORNAIS: Manchete e destaques do jornal O Globo: Um em cada 3 municípios pode exceder teto de gastos. Flexibilização
Primeira Hora – Anexo 6

SINOPSE DE 07 DE DEZEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Um em cada 3 municípios pode exceder teto de gastos. Flexibilização da LRF aprovada na Câmara abre brecha para que limites sejam descumpridos. Com a decisão tomada pela Câmara anteontem, de suspender punições a cidades que gastarem mais de 60% das receitas com pessoal, contrariando a Lei de Responsabilidade Fiscal,ao menos 1.752 municípios (31,4%do total do país) podem descumprir os limites legais.São 1.163 que já ultrapassaram o teto e 589 em situação prudencial. No Estado do Rio, onde todos os 92 municípios recebem royalties, 15 já excederam o limite e 34 estão em risco. Esses 49 tiveram aumento de receita com royalties e Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em 2018.

Para futura ministra, união gay é direito garantido. Indicada para o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, a pastora evangélica e advogada Damares Alves diz que o casamento homoafetivo é “direito conquistado e não se discute mais”. Assessora do senador não reeleito Magno Malta (PR-ES), ela também defende os direitos de territórios indígenas. Divorciada e mãe adotiva de uma índia, Damares disse à repórter NATÁLIA PORTINARI que quer “um Brasil sem aborto” e, antes de saber que a Funai ficaria sob sua pasta, afirmou que o órgão não poderia ir para a Agricultura. Ontem, indígenas de todas as regiões do país foram ao CCBB pedir audiência com o presidente eleito, Jair Bolsonaro, para reivindicar que a Funai continuasse com a Justiça.

Políticos eleitos pelo PSL batem boca no WhatsApp. Mensagens em aplicativo revelam insatisfação e articulação contra reeleição de Rodrigo Maia para presidente da Câmara.

Palocci: Lula deu benefício em troca de propina a filho. O ex-ministro Palocci disse que Lula favoreceu montadoras em uma medida provisória em troca de propina para filho. Lula nega.

Consumidor pode levar 7 meses para ser ressarcido.

Agora é lei: 29 de novembro é ‘dia de a onça beber água’. Transformada este ano em símbolo da biodiversidade brasileira, com dia nacional em 29 de novembro, a onça-pintada tem em Foz do Iguaçu (PR) o principal centro de conservação da espécie na Mata Atlântica, conta a repórter ANA LUCIA AZEVEDO. Felino é vítima da perda de habitat e da caça, dele e de suas presas.

Merval Pereira: Bastidores agitados em fim de legislatura.

Míriam Leitão: Mourão expõe suas ideias e seu papel como vice.

Editorial1: Cabe veto a projeto que premia má gestão municipal. Até por coerência, Temer não pode promulgar lei que libera prefeitos para romper limites fiscais.

Editorial2: Alerj comete mais uma agressão à responsabilidade fiscal. Impedir venda da Cedae é demonstração de força de esquemas e corporações.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Bolsonaro agrada a evangélicos e coloca pastora em Ministério. Damares Alves é assessora de Magno Malta e comandará Direitos Humanos, que englobará a Funai. A advogada e pastora Damares Alves foi confirmada como ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos no governo Jair Bolsonaro. Em entrevista após a indicação, ela disse que é contra o aborto e que pretende priorizar políticas públicas voltadas ao planejamento familiar e à infância. A ministra também ficará com a Funai. Alvo de impasse na transição, a Funai está, hoje, no Ministério da Justiça. Segunda mulher nomeada para o futuro Ministério, Damares é assessora do senador Magno Malta (PR-ES), excluído do primeiro escalão da gestão Bolsonaro. Pastora voluntária na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, Damares costuma reunir 6 mil pessoas nos cultos. Ela já disse que é a igreja evangélica, e não a política, que “vai mudar a Nação”. Sua escolha foi elogiada por deputados ligados à frente.

O            Nathalia era, até o mês passado, assessora lotada no gabinete do deputado federal e agora presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). Queiroz atuou como motorista e segurança de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj). O filho do presidente eleito vai assumir a partir do ano que vem uma cadeira no Senado.

Palocci diz que Lula negociou MP em troca de benefício. O ex-ministro Antonio Palocci disse à Justiça que o ex-presidente Lula negociou com o lobista Mauro Marcondes Machado, do setor automobilístico, pagamentos a Luís Cláudio Lula da Silva, seu filho caçula, para a aprovação de uma MP que tinha como finalidade prorrogar incentivos fiscais de montadoras. O caso foi revelado pelo Estado em 2015. A defesa de Lula disse que as afirmações são mentirosas e não podem ser confirmadas.

Fux veta multa por descumprimento da tabela de frete. O ministro Luiz Fux, do STF, suspendeu, em caráter liminar, a aplicação de multas geradas pelo descumprimento da tabela que fixou preços mínimos de frete. O pedido foi feito pela Confederação da Agricultura e Pecuária (CNA).

Equipe de Guedes diverge sobre uso de reforma de Temer. Embora o presidente eleito, Jair Bolsonaro, tenha sinalizado que pode levar adiante o texto atual da reforma da Previdência, pelo menos no que diz respeito à idade mínima para a aposentadoria, parte da equipe econômica quer nova proposta.

Liminar suspende venda da Embraer para a Boeing.

Eliane Cantanhêde: Desconhecidos por Bolsonaro, Meio Ambiente, Direitos Humanos e Funai ficaram no fim da fila.

Elena Landau: Parte de nossa sociedade vem demandando a tutela e a censura do Estado. Como na cultura.

Editorial1: A irresponsabilidade avança. Ao abrir brecha na LRF para os municípios, o Congresso premia a imprudência e desobriga administradores de encontrar soluções duradouras para déficits crônicos nas contas.

Editorial2: Apetite voraz. Evo Morales não digeriu bem o ‘não’ dado pela maioria dos bolivianos no plebiscito realizado em fevereiro de 2016

Editorial3: Ameaça de retrocesso. Mudanças feitas pela Câmara no PL 6621 desvirtuam texto original sobre agências reguladoras.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Relatório do Coaf envolve ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Documento aponta movimentação atípica de R$ 1,2 milhão; uma das transações foi para a futura primeira-dama, diz jornal. Um relatório produzido pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras), em desdobramento da Operação Lava Jato no Rio, indica movimentação financeira atípica de um ex-assessor do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), filho de Jair Bolsonaro e senador eleito. Fabrício José Carlos de Queiroz movimentou R$ 1,2 milhão de janeiro de 2016 a janeiro de 2017, diz o Coaf. A existência do relatório, revelada pelo jornal “O Estado de S. Paulo”, foi confirmada pelo Ministério Público Federal, que o descreveu como anexo da documentação da Operação Furna da Onça. Há um mês, a PF prendeu sete deputados da Assembleia fluminense. Flávio Bolsonaro não estava entre os alvos da operação. Queiroz trabalhou em seu gabinete até outubro. Umas da transações do ex-assessor, segundo o jornal, foi um cheque de R$ 24 mil destinado à futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro. Queiroz, um policial militar, foi defendido ontem por Flávio Bolsonaro, que o descreveu como alguém com quem “construiu relação de amizade e confiança”. O deputado, no entanto, não comentou o conteúdo do relatório do Coaf.

Pastora, nova ministra das Mulheres é contra aborto. Advogada e pastora, Damares Alves foi oficializada ontem no Ministério das Mulheres, Família e Direitos Humanos. Contrária ao aborto, a assessora do senador Magno Malta (PR-ES), que chegou a ser cotado para o cargo, disse que sua pasta lidará “com proteção de vida, e não com morte”. A Funai, cujo destino era incerto, ficará sob a alçada dela.

Palocci acusa Lula de acertar propina com montadoras. O ex-ministro Antonio Palocci disse que Lula acertou com lobista do setor automotivo pagamentos ao filho caçula em troca de benefícios via medida provisória. A defesa do ex-presidente nega.

Justiça suspende acordo feito entre Embraer e Boeing. A Justiça Federal concedeu liminar, em ação movida por deputados do PT, que impede que a Embraer separe a área comercial para formar uma joint venture com a americana Boeing, conforme previsto em memorando de entendimento firmado em julho pelas empresas.

Foto-legenda : Cuba ameniza regras para pequenos negócios. Cuba anunciou o afrouxamento das novas regulamentações sobre o incipiente setor privado do país, dois dias antes de elas entrarem em vigor. As medidas, criticadas por empresários e trabalhadores, afetavam impostos, a contratação de força de trabalho e o escopo de cada atividade. A ideia era combater acúmulo de riqueza, sonegação fiscal e compra de matérias-primas e produtos de origem ilegal nos pequenos negócios. Também ontem, cubanos passaram a ter acesso completo à internet móvel (foto, em Havana), mas o preço é pouco acessível.

Tensão entre EUA e China cresce com prisão de executiva. A notícia da detenção no Canadá de Meng Wanzhou, vice financeira da gigante chinesa de tecnologia Huawei, desestabilizou os mercados acionários, que tiveram novo dia de perdas. Para a China, que trava guerra comercial com os EUA, a prisão viola os direitos humanos.

Rubens Valente: Empurrada, Funai vive sufocamento. Lobistas enxergam no novo governo chance de enquadrar o órgão e desterritorializar o índio, que, vendendo suas terras, se tornaria mão de obra barata da agroindústria.

Editorial1: Indicador social. Ainda mais pobres. Cresce número de brasileiros em lares com renda abaixo de R$ 406 mensais por morador

Editorial2: O apetite de Doria. Governador eleito representa uma ruptura com padrões que marcavam o PSDB.

Manchete do jornal Valor Econômico: ‘Caso Huawei’ eleva a tensão EUA-China e agita mercados. A tensão nas relações entre as duas maiores economias do mundo aumentou de forma significativa, com a notícia da prisão, no Canadá – a pedido de autoridades americanas -, de Meng Wanzhou, diretora financeira da Huawei e filha de Ren Zhengfei, fundador da companhia chinesa.

Cresce a disputa na previdência privada no país. A previdência privada perdeu vigor neste ano – com captação líquida de R$ 15,9 bilhões até outubro, frente aos R$ 33,3 bilhões de igual período do ano passado – e o setor se transformou em um jogo de “rouba monte”.

O roteiro da concessão de aeroportos. A equipe do presidente eleito, Jair Bolsonaro, já tem um roteiro para levar adiante as concessões de aeroportos. O plano prevê duas novas rodadas para transferir 44 terminais à iniciativa privada.

Ao completar 50 anos, AI-5 ainda tem defensores. Cinquenta anos depois da sexta-feira 13 de dezembro de 1968, ainda causam emoção e controvérsias os motivos que levaram o então presidente Arthur da Costa e Silva (1899-1969) a editar o Ato Institucional nº 5, o AI-5, marco do início dos anos de chumbo da ditadura militar.

Brasil tem 5,2 milhões de crianças na miséria. Quase 500 mil crianças brasileiras de até 14 anos de idade passaram a viver na pobreza extrema no ano passado. São meninos e meninas de famílias com renda domiciliar per capita de até US$ 1,90 por dia (R$ 140 por mês). Houve um crescimento de 10% da pobreza nessa faixa etária em relação a 2016.

União vence ação iniciada pela princesa Isabel. A União venceu, no Superior Tribunal de Justiça (STJ), aquele que é considerado o processo mais antigo em tramitação no país, iniciado em 1895 – há 123 anos – pela princesa Isabel, sobre a posse do Palácio Guanabara.

Ministra da Mulher. A pastora Damares Alves assumirá o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. Ela afirmou que “nenhum homem nesta nação vai ganhar mais do que mulher na mesma função”. E disse ser contra o aborto: “O aborto não desengravida nenhuma mulher”.

Congresso. Pré-sal entra na luta por comando do Senado. Futuro presidente da Casa, a ser eleito em fevereiro, conduzirá o acordo com o governo Bolsonaro.

Câmara antecipa eleição do CNJ e CNMP contra governo.

General vai cuidar da comunicação do governo.

Doria indica 5º ministro de Temer.

Transição. Cautela dificulta escolha para Meio Ambiente. Bolsonaro estaria insatisfeito com perfis de candidatos ao cargo.

Príncipe brasileiro vai a cúpula conservadora combater o ‘globalismo’.

Siglas médias caem, mas querem manter cargos.

Adversários fazem pacto contra Maia. Desânimo com demais candidaturas fez crescer favoritismo de atual presidente da Câmara.

A hora da construção. Será difícil atuar em 2022 sem começar a articular agora.

Lula teria beneficiado montadoras em troca de propina para o filho, diz Palocci. De acordo com ex-ministro, MP prorrogou benefícios fiscais a montadoras de veículos, em 2013.

Moro fez política e se beneficia disso, diz ex-presidente.

Documentos embasam acusação. Além do depoimento de Antonio Palocci sobre suposta negociação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com o lobista Mauro Marcondes para repassar milhões a Luis Cláudio, filho caçula do petista, o Ministério Público Federal (MPF) conta com documentos – quebras de sigilo, perícias e e-mails – para sustentar a acusação.

Editorial: Bolsonaro precisa de mestres em coordenação política. Tudo o que Jair Bolsonaro não precisa em sua estreia na Presidência é de um coordenador político fraco, sob intenso fogo amigo.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.