Economia, finanças, governança e eleições 2018 são os destaques das capas dos jornais

Primeira Hora – Anexo 6

Economia, finanças, governança e eleições 2018 são os destaques das capas dos jornais. Preço da energia sobe quase duas vezes mais que inflação; precatórios estaduais terão auxílio do Tesouro; continua negativa taxa de recuperação do crédito; PIB baixo provoca redução de investimentos da indústria; partidos políticos e candidatos continuam buscando alianças e apoios.

 

_SINOPSE DE 18 DE JUNHO DE 2018_ 

 

Edição: Sérgio Botêlho 

*_JORNAIS_*:

 *Manchete e destaques do jornal O Globo*: Energia sobe 33% contra inflação de 19%. Pouca chuva e alta do dólar explicam aumento/

Vitórias de Inglaterra e Bélgica atestam mudança de estilo. Ao estrearem com vitória, Inglaterra, que baseia seu jogo na técnica, e não mais no chutão, e Bélgica, que tem um dos times mais talentosos do Mundial, reafirmam seus novos estilos, analisa/

PF indicia Joesley e ex-procurador Miller. Para a Polícia Federal, ao menos um integrante do Ministério Público sabia de atuação de ex-procurador/

Tráfico isola rua no Porto com barricada. Tráfico da Providência expande seus domínios e já controla área da Gamboa/

Avó brasileira é separada de neto nos EUA. Para Anistia Internacional, divisão de famílias migrantes é ‘tortura’/

Trump ataca ação de Merkel com imigrantes. Trump rechaça críticas alegando não querer repetir Alemanha, mas cita informação errada/

Conta não fecha. À PF, Duda Mendonça diz que Odebrecht pagou mais do que delatou para campanha de Skaf/

Bernardo Mello Franco. Deixe as testemunhas falarem, doutor Moro. Ontem Sergio Moro voltou a interromper um depoimento a favor de Lula no processo sobre o sítio de Atibaia. O juiz cassou a palavra de Rui Falcão, ex-presidente do PT. Ele sustentava a tese de que o aliado seria perseguido pela Lava-Jato/

Lydia Medeiros: Plano de ação. Setores mais experientes e com mais força econômica do empresariado paulista estão empenhados em impedir que o PP do senador Ciro Nogueira e o PR do ex-deputado Valdemar Costa Neto se aliem a Jair Bolsonaro ou a Ciro Gomes na eleição presidencial. Juntos, os dois partidos somam 89 deputados e, de acordo com projeções, um tempo de 3 minutos e 17 segundos na propaganda eleitoral na TV. A avaliação desses setores, feita em jantar que reuniu integrantes da Associação Comercial de São Paulo, no domingo, organizado pelo ministro Gilberto Kassab e pelo ex-senador Jorge Bornhausen, com a presença do tucano Geraldo Alckmin, é que as alianças dariam a Bolsonaro ou a Ciro lastro para bancar propostas polêmicas/

Barroso: STF teve ‘manifestação simbólica’ contra investigações. Ministro comentou decisão da Corte que impede conduções coercitivas/

Ciro: vereador do DEM é ‘capitão do mato’. Pré-candidato ataca parlamentar paulista de partido que tenta atrair para sua coligação ao Planalto/

Ex-tucano, Álvaro Dias é entrave para crescimento de Alckmin. Pré-candidato do PSDB ofereceu cargos em troca da desistência do adversário/

Editorial1: Acordo de leniência não é para quebrar a empresa. Não ajudam ao combate à corrupção punições pesadas, na esfera administrativa, de quem já colaborou com as investigações no campo criminal/

Editorial2: Eleições da Colômbia trazem esperança e preocupação. Eleito no último domingo, o conservador Iván Duque sinaliza que manterá o tratado de paz com a guerrilha, apesar de sua ligação com Álvaro Uribe, opositor do pacto.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Com PIB baixo e incertezas, indústria corta investimento. Pesquisas da Fiesp e do Ibre/FGV apontam mesma tendência; taxa de ociosidade atual é de cerca de 30%/

R$ 503 milhões. É o corte nos investimentos previstos para o ano por 442 empresas consultadas pela Fiesp. O volume total de investimentos cairá 0,4% ante 2017/

Tabela de frete elevará custos em R$ 53,2 bi, diz entidade. Estimativa foi feita por duas associações (Abiove e Abec) e entregue ao STF, que deve realizar amanhã uma audiência preliminar sobre a tabela/

Polícia diz que Luiz Estevão agia como ‘dono’ de cadeia. Bastilha. Policiais vistoriam cela de ex-senador, de Geddel e Dirceu em investigação que apura suspeita de regalias; diretor de centro de detenção e subsecretário são afastados/

Fiocruz estudará uso medicinal da maconha. Meta é o desenvolvimento de um fitoterápico para epilepsia refratária; com remédios disponíveis hoje, há dificuldade de controlar a doença/

Pesquisa relaciona AVC a frio. Avaliando a ocorrência de 55.633 mortes em São Paulo entre 2002 e 2011, pesquisadores da USP notaram mais casos em dias com menos de 15°C/

Coluna do Estadão: TSE quer pacto contra fake news com Google. OTSE quer firmar um pacto com empresas de tecnologia contra a proliferação de fake news. A iniciativa é similar a um acordo de colaboração acertado entre a Corte Eleitoral e dez partidos políticos para a “manutenção de um ambiente eleitoral imune de disseminação de notícias falsas”. No entanto, a decisão do ministro Sérgio Banhos, do TSE, de determinar a remoção de fake news contra Marina Silva acendeu a “luz amarela” em parte do setor que prefere aguardar uma resolução sobre o tema antes de decidir se topa um pacto com o tribunal/

Coluna do Estadão: Dentro do Supremo, as chances de a presidente do PT, senadora Gleisi Hoffmann, ser absolvida hoje no STF são consideradas maiores do que as do deputado Nelson Meurer, condenado mês passado. No caso de Gleisi, existe a avaliação de ministros de que as provas contra ela se resumem a acusação de delator, enquanto que contra Meurer eram várias outras evidências. Gleisi é acusada de receber caixa dois para campanha e o caso, dizem, deveria migrar para o TSE/

Coluna do Estadão: Estava tudo caminhando bem, mas a última polêmica do presidenciável Ciro Gomes (PDT) fez com que caciques do DEM passassem o dia ontem reavaliando a ideia de apoiá-lo. A cúpula do partido já fala em abrir conversas com o candidato do Podemos, Alvaro Dias. A avaliação de líderes do Centro é de que Alvaro Dias tem chance de crescer entre o eleitorado caso os cinco partidos do Centro se unam em torno dele. Isso porque as legendas aumentariam o tempo de exposição dele na TV. Em entrevista, ontem, Ciro comparou o vereador de São Paulo Fernando Holiday (DEM) a um “capitãozinho do mato”. Apesar disso, o presidente do DEM, ACM Neto, não desmarcou jantar com Ciro hoje, em Brasília/

Eliezer Batista. Ex-presidente da Vale morre aos 94. Reconhecido por transformar a empresa brasileira na maior mineradora do mundo, empresário também atuou como ministro/

Editorial1: O risco do cartel chapa-branca. Se a tabela de fretes for mesmo posta em vigor, será prudente mantê-la pelo menor prazo possível para limitar a extensão de danos, como o efeito inflacionário/

Editorial2: Os juízes e a política. Resta saber se o CNJ restabelecerá a isenção desse Poder com um ato administrativo/

Editorial3: A OIT e a reforma trabalhista. Se ainda havia alguma dúvida com relação ao enviesamento político e ideológico das centrais sindicais e das associações de magistrados e procuradores do trabalho, que pediram à Organização Internacional do Trabalho (OIT) que colocasse o Brasil na chamada “lista suja” de países que violam direitos dos trabalhadores, perseguem líderes sindicais e desrespeitam convenções de organismos multilaterais, ela foi dissipada pela entidade no final da semana passada. Criada em 1919 e sediada em Genebra, a OIT, órgão vinculado à Organização das Nações Unidas, é integrada por governos e representantes de empregadores e sua agenda é definida com base em entendimento entre as três partes. 

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Vacinação de bebês e crianças tem menor alcance em 16 anos. Meta é 95%, mas imunização fica entre 70% e 84% em doenças como sarampo e pólio; governo admite tendência de queda/

Grandes empresas tentam barrar venda direta de etanol aos postos. Grandes produtores, distribuidores e revendedores de etanol tentam barrar no Congresso projeto que libera a venda direta do combustível da usina para os postos. A ação impulsionaria pequenos produtores, mas, diz o grupo, pode dificultar a fiscalização e levar a piora na qualidade do pro – duto. O texto deve ser votado no Senado hoje/

Busca de refúgio no Brasil mais que dobra em um ano. Cresceu 118% o número de estrangeiros que pedem refúgio ou proteção no país, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas (Acnur). Somando-se refugiados conhecidos, novos pedidos e estrangeiros que receberam proteção, o total chegou a 148.645 em 2017/

Holiday diz que processará Ciro por injúria racial. O vereador Fernando Holiday (DEM-SP) disse, em rede social, que processará o presidenciável Ciro Gomes (PDT) por injúria racial após ter sido chamado de “capitãozinho do mato”. Até o início da noite de ontem, Ciro não havia se manifestado sobre a intenção de Holiday/

Pesquisa Datafolha não é verdadeira, diz Michel Temer. Michel Temer (MDB) disse que o último levantamento do Datafolha, que o apontou como o presidente mais impopular desde a redemocratização, não é verdadeiro, sem explicar as razões para a afirmação. Segundo a pesquisa, 82% definem sua gestão como ruim ou péssima/

Editorial1: Despesa invisível. Sem transparência nem avaliações de eficiência a contento, governo abre mão de 4% do PIB em tributos/

Editorial2: Mal avaliado. TCU pede aperfeiçoamentos em sistema de avaliação de cursos do ensino superior.

*Manchete e destaques do jornal Valor Econômico*: Tesouro vai dar subsídios a precatórios estaduais. Tesouro vai dar subsídio a Estados e municípios para o pagamento de precatórios/

Eleição ativa investimento nos Estados. Em ano de eleições, os Estados aproveitam a melhora na arrecadação ou os recursos de empréstimos para reforçar investimentos. O recolhimento do ICMS em 21 Estados que já divulgaram relatórios cresceu, em média, 10,45% de janeiro a abril, em relação a igual período do ano passado/

AIE sugere à Opep aumento de produção. Às vésperas da reunião da Organização dos Países Produtores de Petróleo (Opep), o diretor-executivo da Agência Internacional de Energia (AIE), Fatih Birol, sugere que os produtores devem aumentar a produção para evitar novas altas no preço da commodity/

Lloyd’s prevê que França será campeã. Segundo pesquisa da Lloyds, com base em salários, seguros e idade dos jogadores, o Brasil deve avançar até as quartas de final e perder para a Inglaterra, uma seleção mais jovem. A França seria a campeã do torneio, vencendo a Alemanha na final/

Controladores da Fiagril reduzem atuação em MT. Dois anos após sua estreia no setor com a aquisição da Fiagril, em Mato Grosso, a Dakang, braço agrícola do grupo chinês Pengxin, decidiu colocar à venda quase toda a sua operação de originação de grãos no Estado/

Distribuidoras da Eletrobras no Norte podem ser liquidadas. O conselho de administração da Eletrobras considera que, sem a aprovação do projeto de lei 10.332 pelo Congresso – que equaciona as dívidas das quatro distribuidoras do Norte -, essas empresas não terão condições de ser privatizadas/

Candidatos rejeitam preços da Petrobras. Defensores da política de preços da Petrobras, de repasse das cotações internacionais do petróleo ao mercado nacional de combustíveis, empresários do setor sucroalcooleiro mostraram desânimo, ontem, durante evento com pré-candidatos à Presidência da República/

Temer pede a presidente uruguaio que não feche as portas para acordo com UE. Tabaré Vázquez diz que Mercosul não pode negociar eternamente com europeus; Temer rebate o colega em discurso/

Brasil recua em ranking de competitividade digital. País fica em 57º lugar no ranking de 63 países liderado pelos Estados Unidos/

Partidos Presidenciáveis frustram setor industrial. Ninguém se compromete com flutuação livre de preços de combustíveis em evento sucroalcooleiro/

Ciro reúne-se com DEM, PP e SD para discutir aliança/

Alckmin pede calma a empresários/

Jobim pode compor o PSDB com o MDB. Fracasso econômico é o que tira Meirelles da sucessão/

2ª Turma terá dificuldade de acatar novo recurso de Lula, avalia ministro. Questão semelhante será analisada pela 2ª Turma, composta por apenas cinco ministros/

Supremo decide hoje se condena Gleisi/

Projeto que cria 400 municípios tem alta chance de aprovação na Câmara. Proposta já foi aprovada pelo Senado/

Trump ataca Merkel por abertura à imigração. Presidente americano pareceu querer incitar os alemães contra a premiê, num momento em que Merkel enfrenta o risco de um racha na sua coalizão de governo justamente por causa da imigração/

EUA estudam a criação de uma força militar espacial. O presidente Donald Trump ordenou ontem ao Pentágono que dê início à criação da nova força. País quer ter domínio do espaço, diante da ameaça da China e da Rússia/

Trump ameaça taxar mais US$ 200 bi em produtos da China. Presidente amplia a guerra comercial com Pequim ao pedir ao USTR que identifique mais produtos que seriam alvo de tarifa de importação de 10%/

Editorial: Distribuidoras da Eletrobras testarão interesse estrangeiro. A venda das seis distribuidoras tem mais chances de sucesso diante do forte interesse do investidor estrangeiro pela atuação na área de energia no Brasil. 

*Manchete e submanchetes do jornal Diário Comércio, Indústria e Serviços (DCI)*: Recuperação de crédito deve seguir negativa neste ano. Recuperação de crédito no País por parte de instituições financeirasdeve ficarnegativa em2018. Incertezanapolítica e economia, sem recuperação do emprego, postergam para 2019 o aumento do consumo/

Construtoras do ‘Minha Casa Minha Vida’ penaram menos na crise/

Do motor elétrico ao biometano. Montadoras rumo à substituição do diesel. Montadoras já trabalham para viabilizar, no médio e longo prazo no País, alternativas a combustíveis fósseis para veículos pesados, de elétricos a biocombustíveis. A sueca Scania aposta no biometano, combustível extraído de matérias orgânicas/

Retração incentiva inovação da indústria na construção civil/

Curto prazo preocupa empresariado. [1]Empresários estão aflitos com a trajetória da economia no curto prazo. Depois da greve dos caminhoneiros, qualquer surpresa adicional no cenário pode colocar em risco a retomada dos negócios. Na presença do ministro da Fazenda, Eduardo Guardia, executivos mostraram, ontem, em evento, preocupação e questionaram o governo a respeito da evolução do câmbio, das reformas fiscais e da tabela do frete/

380 bi de dólares é o total das reservas internacionais do País, e, segundo Guardia, “temos instrumentos poderosos para atuar em momentos de alta volatilidade”. Mas empresários acham que Brasília está mesmo preocupada com as eleições/

Preços voltam a subir após três meses em supermercado de SP/

Para mercado financeiro, juros devem seguir em 6,5% ao ano/

Renúncia fiscal crescerá com ampliação do MEI. A renúncia fiscal do governo federal, de R$ 284 bilhões em 2017, aumentará ainda mais neste ano, se virar lei a proposta de reingresso de 470 mil microempreendedores individuais, micro e pequenas empresas ao Supersimples/

Sobrevivência de usinas depende do petróleo/

Editorial: Mercosul perde a relevância. Pouca gente prestou atenção, mas aconteceu ontem em Assunção, no Paraguai, a 52ª Cúpula de Chefes de Estado do Mercosul. O que já foi um considerado um encontro importante para alinhar estratégias mútuas de comércio internacional se transformou nos últimos anos numa mera formalidade diplomática. Desta vez, envolvido com questões internas críticas, o presidente argentino Mauricio Macri nem compareceu. Michel Temer foi, assim como o presidente uruguaio Tabaré Vásquez, que vai assumir a presidência pro tempore do bloco.

Deixe uma resposta

Fechar Menu