Economia, eleição 2018 e judiciário são os temas em destaque nas manchetes dos jornais

Primeira Hora – Anexo 6

Economia, eleição 2018 e judiciário são os temas em destaque nas manchetes dos jornais.Empresas correm atrás de proteção contra altas do dólar; Bolsonaro continua busca por vice; dívidas trabalhistas terão IPCA como fator de correção, determina justiça.

SINOPSE NACIONAL DE 19 DE JULHO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Busca de proteção das empresas contra alta do dólar quase triplica. Desde janeiro, moeda americana subiu 17,8% e contratos com Banco Central de swap cambial passaram de US$ 23,8 bi para US$ 67,4 bi. Cenário eleitoral indefinido, deterioração dos indicadores econômicos agravada pela greve dos caminhoneiros e guerra comercial entre EUA e China têm provocado oscilações bruscas do dólar e levado empresas brasileiras a buscarem proteção contra esse cenário de incertezas. Desde janeiro, a moeda americana subiu 17,8% e a procura por swap cambial, instrumento que reduz a volatilidade para quem tem dívidas em dólar, quase triplicou: o saldo desses contratos no BC passou de US$ 23,8 bilhões para US$ 67,4 bilhões/

Bolsonaro é rejeitado por partido de general. O pré-candidato Jair Bolsonaro sofreu novo revés em seus planos de formar chapa. Depois da recusa do PR, ontem foi o PRP que rejeitou a indicação do general da reserva Augusto Heleno para ser seu vice, por inviabilizar alianças regionais. Uma alternativa é a advogada Janaína Paschoal, do mesmo PSL de Bolsonaro/

Executiva do PTB fecha aliança com Alckmin/

Controle da Aids está sob ameaça. Relatório anual do Unaids, programa da ONU sobre HIV/Aids, revela que ritmo da redução de mortes relacionadas à doença e de novas infecções pelo vírus não é suficiente para cumprir metas e controlar epidemia até 2030.

Editorial1: Debate econômico na campanha precisa ter foco; Ciro Gomes investe contra associação entre a Embraer e a Boeing, mas os candidatos não podem perder a noção dos reais problemas do país

Editorial2: Uso do VAR será saudável para o futebol brasileiro. Por enquanto, é certo que o VAR será usado nas quartas de final das Copas do Brasil e Libertadores da América. Mas a iniciativa deveria ser estendida a outras competições.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Partidos rejeitam Bolsonaro às vésperas da convenção. Após PR e PRP negarem indicação de vice, candidato avalia campanha ‘solo’, com oito segundos por bloco na TV. Líder nas pesquisas de intenção de voto na ausência do ex-presidente Lula, condenado e preso na Operação Lava Jato, o pré-candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, enfrenta dificuldades para formar alianças. Após ser rejeitado pelo PR do ex-deputado Valdemar Costa Neto e pelo nanico PRP em menos de 48 horas, ele se prepara para uma “campanha solo”, o que restringiria seu tempo de TV a apenas oito segundos por bloco. A campanha ainda avalia uma aliança com o PRTB, que indicaria como vice o recém-filiado general da reserva Hamilton Mourão, mas o cenário mais provável, a poucos dias da convenção partidária, que será realizada no domingo, é que Bolsonaro forme uma “chapa pura”, com um político do próprio PSL. O nome mais cotado é o da advogada Janaína Paschoal, uma das autoras do processo de impeachment contra Dilma Rousseff. Analistas avaliam que, apesar dos bons números nas pesquisas, a campanha de Bolsonaro ainda é vista pelo sistema partidário como sendo de “alto risco”/

Alckmin fecha com o PTB. O PTB formalizou ontem apoio a Geraldo Alckmin, pré-candidato do PSDB à Presidência. Com isso, o tucano ganha 32 segundos de tempo de TV. Considerado aliança certa, o PV, por outro lado, pode ficar neutro/

Ortega ignora pressão contra massacres na Nicarágua. Em meio a uma crise política, com matança de opositores, condenação internacional da violência e pedidos para antecipação de eleições para o começo de 2019, o presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, estende para uma semana a comemoração dos 39 anos da Revolução Sandinista que derrubou a ditadura Somoza. A repressão a manifestações da oposição já deixa 285 mortos e 1,5 mil feridos/

William Waack: Somos pequenos e diminuímos nas últimas décadas por falta de lideranças com visão/

Celso Ming: O problema não é câmbio nem juro. É a baixa competitividade da indústria brasileira/

Estatal EBC paga salário de até R$ 35,8 mil/

Editorial1: O povo como problema. Sempre que o Foro de São Paulo se reúne, recende o ranço da esquerda autoritária latino-americana. Abundam palavras de ordem contra o “imperialismo americano”, como se a guerra fria não tivesse terminado/

Editorial2: Resposta ao protecionismo. O ambicioso acordo assinado pela União Europeia e pelo Japão adquiriu relevância/

Editorial3: O gargalo no registro de patentes. Um dos principais problemas envolve o Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi).

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Indústria não teme Bolsonaro, afirma CNI. Para Robson de Andrade, que comanda a entidade, empresários querem um presidente que faça país se desenvolver. O presidente da Confederação Nacional da Indústria, Robson de Andrade, disse que empresários não temem vitória de Jair Bolsonaro (PSL) ou de qualquer outro candidato. “Queremos um presidente que faça o Brasil se desenvolver.” A simpatia ficou evidente em evento da CNI há 15 dias, com seguidas salvas de palmas ao capitão reformado. Na ocasião, seis pré-candidatos falaram a membros de federações. O tucano Geraldo Alckmin também foi aplaudido. Ciro Gomes (PDT) recebeu vaias. Para dirigentes, a reação reflete o ânimo de empresários. “Ele diz aquilo que nós ansiamos todos os dias”, disse Carlos Trombini, presidente de sindicato da refrigeração e aquecimento. Já Adelaide de Oliveira, da Federação de Indústrias do Acre, mostra cautela. “Ele falou que ninguém é obrigado a saber de tudo. Me preocupa. Busco quem conheça as instituições.”/

General recusa vaga para ser vice do presidenciável após partido se opor/

Problema do pré-candidato do PSL é civilizatório, diz Lafer Piva. Para o ex-presidente da Fiesp Horácio Lafer Piva, o problema de Jair Bolsonaro (PSL), pré-candidato à Presidência, não é econômico, mas civilizatório. “O Brasil retrocederia e voltaria a discutir temas como gênero, segurança.” O empresário disse também, em entrevista, espantar-se com o domínio do centrão na cena política/

TSE nega pedido para tornar petista inelegível desde já. Rosa Weber, do Tribunal Superior Eleitoral, negou pleito do Movimento Brasil Livre para declarar Lula inelegível já. Segundo a ministra, o pedido nem poderia ser analisado, pois o ex-presidente não é oficialmente candidato/

Nicaraguenses relatam torturas e desaparecimentos. Um dia após a ofensiva das forças do governo Daniel Ortega, moradores de Masaya, bastião dos protestos oposicionistas, relataram torturas e sumiço de parentes. Segundo ONG, foram pelo menos nove mortos ontem/

União Europeia aplica multa de € 4,3 bi ao Google. A União Europeia aplicou multa recorde de € 4,3 bilhões (R$ 19 bi) à gigante de tecnologia americana Google. A empresa é acusada de forçar fabricantes de celulares a instalar seus serviços e aplicativos. O dinheiro será distribuído entre os países que integram o bloco/

Lula: Querem me derrotar? Que o façam nas urnas. Estou preso há mais de cem dias. Os que não querem que eu fale, o que temem? Não querem que eu discuta soluções para o país? Querem me derrotar? Façam isso nas urnas/

Matias Spektor: Brasil não funciona mais como âncora da estabilidade. A norma democrática está rachada e conflitos pipocam por toda a vizinhança, como na Nicarágua, mas o Brasil não mais funciona como âncora da estabilidade regional.

Editorial1: Crise. Escalada autoritária. Com aparelhamento do Estado, Nicarágua vai se distanciando da democracia sob o jugo de Ortega/

Editorial2: Dólar. Agruras cambiais. Desvalorização cambial, por si só, não leva ao crescimento da renda nacional.

Manchete e destaques do jornal Valor Econômico: Justiça adota IPCA-E para corrigir dívida trabalhista. A Justiça do Trabalho adotará a série especial do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E) como índice de correção dos valores decorrentes de condenações em processos trabalhistas/

Escolas vão ao Cade contra o ‘Sistema S’. A Federação Nacional das Escolas Particulares (Fenep) apresenta hoje ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) uma ação contra as instituições de ensino ligadas ao “Sistema S” (Senac, Sesi e Senai)/

Alckmin quer Petrobras com foco no pré-sal. Se for eleito, Geraldo Alckmin (PSDB) vai acabar com o monopólio da Petrobras no refino, vender a distribuidora e os campos maduros do pós-sal. O tucano não vê muito sentido na PEC que estabeleceu o teto de gastos, mas promete fazer um ajuste fiscal rápido, sem elevar impostos/

Jovens superqualificados gostariam de deixar o país. Pesquisa do Boston Consulting Group (BCG) em 197 países mostra que 75% dos jovens profissionais brasileiros gostariam de trabalhar em outro país. A média mundial ficou em 57%/

Enel mira três distribuidoras e pode investir em transmissão. Depois de pagar R$ 5,5 bilhões pela Eletropaulo, a gigante energética italiana Enel estuda investir no segmento de transmissão de energia no Brasil, onde já controla a Companhia de Interconexão Energética (Cien), estação conversora para a interconexão entre Brasil e Argentina/

Além de multa, Google terá de mudar Android. Além do custo financeiro, de € 4,3 bilhões, a decisão antitruste da Comissão Europeia (CE) imposta ontem contra o Google tem implicações significativas para as operações da companhia/

Infraestrutura Governo tenta vender Cepisa já e dar sinal positivo ao mercado. Apesar do prazo curto, leilão está mantido para o dia 26; demais empresas vão a pregão em agosto/

Partidos Josué será o nome indicado pelo Centrão para vice. Bloco de partidos formado por PP, PR, DEM, PRB e SD ainda não decidiu se apoiará Ciro ou Alckmin/

Governador da Bahia descarta aliança entre PT e Ciro/

Meirelles quer mudar Constituição para regular investimentos privados/

Bolsonaro deve definir vice após convenção do PSL/

PRP veta participação de general Augusto Heleno como vice do presidenciável/

Executiva do PTB aprova apoio à pré-candidatura Alckmin/

Rosa Weber nega ao MBL antecipação de inelegibilidade de ex-presidente Lula. Ministra observou que pedido de impugnação não atende ao prazo estabelecido em lei/

Editorial: Convenções partidárias tentam delimitar o xadrez eleitoral. A baixa capacidade do sistema em se autorreformar deixa entrever que não se conseguirá sair do pântano político e econômico em que o país está metido.

Deixe uma resposta

Fechar Menu