Economia e eleição 2018 são os temas em destaque nas manchetes dos jornais

Índices de desemprego assustam e provocam repercussão na mídia; inscrição de Lula como candidato será mesmo analisada por ministro Barroso _SINOPSE NACIONAL DE 17 DE AGOSTO DE 2018_ Edição:
Primeira Hora – Anexo 6

Índices de desemprego assustam e provocam repercussão na mídia; inscrição de Lula como candidato será mesmo analisada por ministro Barroso

_SINOPSE NACIONAL DE 17 DE AGOSTO DE 2018_

Edição: Sérgio Botêlho

*_JORNAIS_*:

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: Faltam trabalho e perspectiva a 27 milhões de brasileiros. Desemprego de longo prazo é um dos principais desafios do próximo presidente/

Confirmado relator, Barroso analisará impugnação de Lula. A presidente do TSE, ministra Rosa Weber, manteve com o ministro Luís Roberto Barroso a relatoria do registro da candidatura do ex-presidente Lula. Caberá a Barroso analisar os pedidos para barrar a candidatura do petista à Presidência. Correntes do PT divergem sobre conveniência de prolongar o processo/

Alas do PT disputam sobre quando lançar Haddad de vez. Grupo de Gleisi quer adiar ao máximo troca; governadores cobram rapidez/

Entrevista. ‘Na política não cabe mimimi. Guerra é guerra’, afirma Ciro. Candidato do PDT, Ciro Gomes chama a cúpula do PT de “desastrada”, diz que Marina aceitou ir para a direita eque, se agredido, reage./

Clima quente e segurança dominam 1º debate no Rio. No primeiro encontro dos candidatos ao governo, Paes foi o principal alvo de seus adversários, enquanto Romário admitiu não entender de economia; Garotinho e Indio fizeram dobradinha para atacar gestão do ex-prefeito, que rebateu citando Crivella/

O fiasco da TV pública. Como os governos Lula, Dilma e Temer torraram r$ 6 bilhões no devaneio de criar a BBC brasileira/

‘Papai mandou matar mamãe’, diz garoto. Em depoimento à polícia, o filho de 11 anos de Karina Garofalo, assassinada na Barra, reconheceu o primo do pai como o atirador. A Justiça decretou a prisão dele e do ex-marido de la, suposto mandante/

Argentina. O juiz áspero que está atrás de Cristina Kirchner/

Merval Pereira: Derrotas sucessivas. O bom senso manda que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) resolva a questão da candidatura do ex-presidente Lula até o dia 31 de agosto, portanto, antes de começar a propaganda eleitoral no rádio e na TV; e há razões para isso: não é possível realizar uma campanha presidencial com dúvidas jurídicas e as chicanas que o PT está fazendo/

Flávia Oliveira: A agenda das negras é tudo. Negras são maioria no desemprego, na informalidade, nas vagas mal remuneradas e no trabalho doméstico. Comandamos lares mais pobres e em condições precárias de construção, acesso a serviços e bens/

Bernardo Mello Franco. Quem quer carregar Temer? Quando o governo vai bem, todo candidato busca o apoio do Planalto. Quando vai mal, ninguém quer ser visto ao lado do presidente. A eleição de 2018 se enquadra no segundo caso. Reprovado por 82% dos brasileiros, Michel Temer virou uma companhia tóxica. Os políticos se escondem dele como o Super-Homem foge da criptonita/

Na véspera do debate, Daciolo se isola em monte na Zona Oeste. Candidato do Patriota critica adversários que se dizem evangélicos: ‘Falam de Deus da boca para fora e votam contra o povo’/

Na largada, candidatos acenam às mulheres. Bolsonaro foi o único entre os principais nomes que faltou a evento para debater propostas voltadas ao público feminino/

Fux barra nova manobra para adiar julgamento de Jair Bolsonaro. Ministro do STF recusou pedido de adiamento de depoimento de aliado do presidenciável que, em 2014, disse que deputada não merecia ser estuprada por ser feia/

No Twitter, crescem em 50% as menções aos presidenciáveis. Aumento coincide com o início da campanha; Lula e Bolsonaro são os mais citados na rede social/

Lava-Jato prende ex-diretor do Banco Prosper. Edson Menezes já presidiu a Bolsa do Rio e o Comitê Rio-2016. Ele é acusado de pagar R$ 6 milhões de propina em dinheiro e vinhos ao grupo de Cabral para garantir a venda da folha de pagamento dos servidores do estado/

Cunha quer pagar multa com dinheiro de contas na Suíça. Pedido dos advogados foi feito ao juiz Sergio Moro. Procuradores da Lava-Jato são contra, afirmando que são valores fruto de corrupção/

Moro virou ‘figura mitológica contra o mal’, diz juiz que mandou soltar Lula/

Ciro Gomes detalha programa para tirar brasileiros do SPC ao custo de R$ 60 bilhões/

‘Acham que sou insano’, diz Amoêdo sobre patrimônio de R$ 425 milhões/

Editorial1: A necessidade de diálogo depois das eleições. País requer reformas que precisam de entendimento entre as diversas forças políticas/

Editorial2: Conservadorismo de Orbán faz do premier húngaro o ‘Trump’ da UE. Líder conclama nacionalistas a dominarem o Parlamento europeu para impor projeto ‘iliberal’.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Na largada, desemprego recorde desafia candidatos a presidente. No 1º dia de campanha, IBGE mostra que o número de pessoas que procuram emprego há mais de dois anos chegou a 3,16 milhões/

Candidatura feminina não cresce, apesar de incentivo. Gênero. Apesar da cota de 30% do dinheiro do fundo eleitoral para as campanhas femininas este ano, o número de candidatas nas eleições praticamente não se altera em relação a 2014/

Reaproximação de Marina. A candidata Marina Silva (Rede) se reaproxima dos ambientalistas. Ela incluiu em seu programa de governo demandas do setor que ficaram em segundo plano em 2014 e atrai apoio do setor/

Setor se divide entre candidata da Rede e vice na chapa do PSOL. Sonia Guajajara, que vai concorrer ao lado de Guilherme Boulos, é citada por incluir tema ambiental na campanha/

PGR pressiona para impugnar Lula. Raquel Dodge quer dar celeridade ao júri e pede que prazo para protesto da defesa comece a contar desde ontem/

Muitos ataques, poucas propostas. Doria e Luiz Marinho trocam ataques no momento mais quente do evento na Band; tucano vira principal alvo dos rivais/

‘Partes da Petrobrás podem ser privatizadas’. Coordenador da área econômica do programa do Novo, Gustavo Franco defende venda de partes ‘periféricas’ da Petrobrás/

Overdose mata um americano a cada 7 minutos. Especialistas dizem que crise foi provocada por causa de estímulo das empresas farmacêuticas e excesso de prescrições de opioides para aliviar dores de pacientes nos últimos 20 anos; 72 mil mortes superam baixas das três últimas guerras americanas/

Prefeitura e Estado disputam o Pacaembu. Dúvida surge em meio ao processo de concessão do complexo esportivo. Terreno foi doado ao Estado nos anos 1920, enquanto a Prefeitura é quem fez o complexo esportivo, inaugurado em 1940/

Trump ataca editoriais de imprensa livre. Presidente chama meios críticos de ‘partido de oposição’, após jornais publicarem textos em que defendem sua missão de monitorar governo/

Siglas tradicionais reduzem número de candidatos. Levantamento mostra que só legendas menores ampliam total de registros; PSL, do presidenciável Jair Bolsonaro, é destaque/

Campanha nas redes domina 1ª dia. Maioria dos candidatos divulgou jingles e vídeos a seguidores e apenas seis saíram às ruas; para estudiosos, será a eleição da ‘invisibilidade’/

Após fala de FHC, Alckmin grava vídeo e rejeita aliança com ‘radicais’. Ex-presidente sugere coligação com PT contra Bolsonaro no 2º turno; presidenciável diz que ‘acordo é com o eleitor’/

Coluna do Estadão: Tucanos recusam apoiar PT no segundo turno. Se por um lado tucanos admitem receber o apoio do PT no segundo turno, por outro não garantem reciprocidade aos petistas caso Geraldo Alckmin esteja fora dessa fase da disputa/

Coluna do Estadão: Notório antipetista e aliado de primeira hora de Geraldo Alckmin, o presidente do PTB, Roberto Jefferson, diz que FHC se equivocou. “O segundo turno será entre o Haddad e o Alckmin. Não corremos risco de uma aliança com o PT”, ironizou/

Eliane Catanhêde: Insistir na candidatura Lula é repetir o vexame das articulações para o impeachment e o plantão do TRF-4/

Elena Landau: Os três poderes estão em desordem, não oferecem rumo ao país/

Editorial1: Tribunal como palanque. A incrível farsa protagonizada pelo PT em nome de seu chefão Lula da Silva, registrado no TSE como candidato à Presidência, teve um único objetivo: transformar o Judiciário em palanque petista/

Editorial2: Desperdício do fator humano. A mão de obra desempregada, subempregada ou mantida à margem do mercado é raramente analisada como um fator de produção ocioso/

Editorial3: Responsabilidade do governante, Temer não pretende enviar ao Congresso o reajuste para o STF. Fará bem se assim agir, tanto pela saúde fiscal do País como pelo zelo com as finanças.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: 4,8 milhões no país desistem de procurar emprego. Taxa do chamado desalento no 2º trimestre atingiu recorde; pessoas de 40 a 59 anos somam 22,7% dos desempregados/

Retomada desigual de emprego deixa regiões em nível pré-crise, diz FGV/

Procuradoria tenta acelerar análise de candidatura de Lula/

Painel: Para distensionar relação entre Poderes, Toffoli acena a Maia, Eunício e Temer/

Presidente do TSE mantém processo de registro de Lula com Barroso/

PT diz que PGR reforça perseguição a Lula e manterá embate com TSE/

Relator de registro de Lula no TSE, Barroso é defensor ferrenho da Ficha Limpa/

Reinaldo Azevedo: Setores do PT quase imploram por mais uma solução heterodoxa/

No exterior, já perguntam como seria o Brasil do presidente Bolsonaro/

Campanha de 2018 será das mais restritas em propaganda de rua/

Em estreia oficial de campanha, Ciro insinua que PT é sigla suja/

Marina Silva mira mulheres e fala de saúde e igreja em estreia na rua/

Candidatos adotam nomes Lula e Bolsonaro nas urnas/

Em ato do PT, Suplicy dá dicas a Bolsonaro sobre renda básica e canta Bob Dylan com músico de rua/

Candidaturas de mulheres atingem 30% do total, mínimo exigido em lei/

Presidenciável, filho de Jango terá ‘reformas de base’ como mote de campanha/

Aliados de Alckmin veem desgaste com investigações sobre tucanos e entrevista de Temer/

Patrimônio declarado de Aécio Neves ao TSE cresce 93% em quatro anos/

PF prende substituto de Nuzman na Rio-16 e investiga FGV/

TJ manda soltar 4 presos da operação Sevandija; ex-prefeita segue presa/

MDB transformou tragédia venezuelana em politicagem, diz governadora de RoraimaDiretrizes vão orientar escolas sobre limite de idade de alunos/

Morador de prédio na Cracolândia tem palestre com PM/

Tati Bernardi: Escrevo como uma mulher, ora pois, porque sou uma/

Brasileiro nos EUA muda debate sobre deportação. Decisão da Suprema Corte dos EUA, que evitou deportação de Wesley Pereira, pode abrir o mais importante precedente em anos para que milhares de imigrantes busquem a cidadania americana/

Laurece Casagrande: Fui preso por um caso em que agi com todo cuidado/

Editorial1: Fantasia ministerial. Cortes ou pastas com superpoderes não suprimem o imperativo de negociar com o Congresso/

Editorial2: Melhorias. A salvação da política. País não pode abrir mão de experimentar inovações que possam trazer ganhos incrementais.

*Manchete e destaques do jornal Valor Econômico*: ANP vai obrigar Petrobras a abrir fórmula de preços. Com as novas regras anunciadas pela Agência Nacional de Petróleo (ANP) para aumentar a transparência dos preços dos combustíveis, a Petrobras terá de divulgar, pela primeira vez, a sua fórmula de precificação/

TCU estabelece exceção ao teto e impõe derrota à área econômica. O Tribunal de Contas da União (TCU) decidiu excluir do teto de gastos da União as despesas dos órgãos públicos com a realização de concursos, desde que sejam financiadas integralmente pelas taxas de inscrição/

Única saída para crise turca pode ser o FMI. Com volume elevado de dívidas em dólar nas empresas, forte desvalorização da lira, reservas baixas e poucos aliados externos com dinheiro, a Turquia terá de recorrer ao Fundo Monetário Internacional (FMI) para buscar pelo menos US$ 50 bilhões/

Corrida segura. O Uber vai instalar no Brasil seu primeiro centro de tecnologia na América Latina, que terá foco na criação de produtos e serviços para a segurança de motoristas e usuários, diz Sachin Kansal/

Amoêdo ataca ‘establishment’ antirrenovação. Candidato a presidente pelo Novo, o empresário João Amoêdo protesta contra o que considera uma blindagem do “establishment” político contra a renovação. “O sistema é feito para impedir a concorrência. Imaginávamos levar dois anos para montar um partido, levamos cinco”, disse ao Valor/

Apps impõem novas regras no jogo da sedução. Uma pesquisa da consultoria Consumoteca, feita com mil pessoas, mostra que 64% delas creem que os aplicativos facilitam a busca por romances e 82% concordam que eles as colocam em contato com parceiros que não encontrariam de outra maneira. Mas há regras novas no velho jogo da sedução/

Mourão repete estereótipos sobre o Brasil. Para o general Mourão, candidato a vice-presidente da República na chapa do capitão Bolsonaro, o Brasil herdou a ‘indolência’ dos indígenas, a ‘malandragem’ dos africanos e o afã de ‘privilégios’ dos ibéricos. A “antropologia” do general é pobre e nada antropológica/

Os Índio da Costa abrem disputa com o Bradesco. Em uma cartada para tentar encerrar a falência do Banco Cruzeiro do Sul, a família Índio da Costa, sua ex-controladora, busca responsabilizar o Bradesco por uma suposta perda de quase R$ 1,4 bilhão/

Proposta de Ciro atrai elogios de especialistas. Especialistas consideram benéfica discussão sobre tema, mas fazem ressalvas ao plano de Ciro Gomes (PDT). A meta de zerar a fila de negativados em serviços de proteção ao crédito anunciada pelo candidato à presidente Ciro Gomes (PDT) pode ser irreal, mas o debate é considerado positivo pelos especialistas em crédito ouvidos pelo Valor/

Haddad, sob o dedo de Lula e a sombra de Dilma. Lulismo, fora do governo, é ainda mais personalista/

PF prende ex-presidente do Prosper acusado de desviar R$ 6 milhões. Investigação foi conduzida pela força-tarefa da Lava-Jato no Rio/

Editorial: Criticado, teto de gastos não tem substituto à altura. O país manterá um crescimento medíocre e continuará a enfrentar crises periódicas. O teto é um caminho para evitar essa rota.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.