Direito ao esquecimento barrado no STF; auxílio emergencial em pauta

Supremo vê risco e barra por 9 a 1 direito ao esquecimento. Escassez de doses freia ritmo de vacinação no país. Supremo rejeita a tese do direito ao esquecimento no País. Congresso pressiona Guedes por uma solução para auxílio. Guedes quer PEC de Guerra para garantir o novo auxílio. 

Esses são destaques da grande mídia impressa, nesta sexta-feira, 12 de fevereiro de 2021.

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

*BIRÔ DE IMPRENSA*, Ano IV, Nº 824 de 12.02.2021

📃 *Manchetes do dia*:

“Supremo vê risco e barra por 9 a 1 direito ao esquecimento. Maioria cita liberdade de expressão, e Marco Aurélio diz que tese aprovada traz insegurança à imprensa” *Manchete de capa da Folha*.

“Escassez de doses freia ritmo de vacinação no país. Estoque vai para 2ª aplicação; Rio deve parar novas imunizações. *Manchete de capa do O Globo*.

“Supremo rejeita a tese do direito ao esquecimento no País. Entendimento da Corte cria precedente que deve modular decisões sobre o tema” *Manchete de capa do Estadão*.

“Congresso pressiona Guedes por uma solução para auxílio. Pressão por uma definição se intensificou ontem no Parlamento e ganhou o reforço do presidente Jair Bolsonaro, que sinalizou pagamento de benefício a partir de março” *Manchete de capa do Valor Econômico*.

“Guedes quer PEC de Guerra para garantir o novo auxílio. Ministro da Economia afirma que aprovação da proposta é crucial ao cumprimento das regras de responsabilidade fiscal.” *Manchete de capa do Correio Braziliense*.

 *Editoriais do dia*:

_*FOLHA*_

°A maturidade do BC. Com autonomia em lei, autarquia deve ampliar transparência e prestação de contas.” 

°”Fiasco amazônico. Operação militar contra desmatamento se aproxima do fim com resultados pífios.”

_*O GLOBO*_. 

“Com números da Covid-19 em alta, é urgente reabilitar leitos de UTI. Não é segredo que o contágio pelo novo coronavírus voltou a acelerar no final do ano passado, após breve trégua, e ganhou impulso no início de 2021, após as previsíveis aglomerações das festas de fim de ano.” 

°”Autonomia do BC é avanço, mas fica longe do ideal. Está claro que foi aprovada a toque de caixa para que o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), pudesse transmitir ao mercado um sinal de compromisso com a agenda liberal de reformas, sabotada com frequência pelo presidente Jair Bolsonaro. Mas é um sinal fraco, insuficiente.” 

_*ESTADÃO*_

°”Oposição autofágica. Os partidos com potencial para construir uma alternativa ao mesmo tempo viável e responsável para derrotar Jair Bolsonaro parecem perdidos”

°”Tormenta nacional e bonança subnacional. Estados e municípios precisam urgentemente arrumar suas contas e olhar para o todo.” 

°”A judicialização dos resultados eleitorais. Pesquisa sobre relação entre poder econômico e política ajuda a entender aumento de contestações.” 

°”A competitividade dos produtos industrializados. Há quatro anos, exportações de produtos industrializados ficam mais fracas do que o total exportado pelo País” 

_*VALOR ECONÔMICO*_

°“Banco Central ganha afinal necessária autonomia. A autonomia do BC não preclude a transparência do sistema.” 

_*CORREIO BRAZILIENSE*_

°“A praga do racismo. … as raças e o racismo não têm nenhuma justificativa biológica e não passam de invenção muito recente da história da humanidade. …o racismo estrutural segue imbatível, inclusive matando, por falta de educação e de punição” 

📈 *Bolsa de Valores*

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quinta-feira, 11, em alta de 0,73%, a 119.300 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,32%, a R$ 5,39.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments