STF, Lula, reforma trabalhista, Temer, coronel Lima, Trump e economia são os destaques do noticiário

STF, Lula, reforma trabalhista, Temer, coronel Lima, Trump e economia são os destaques do noticiário. Reforma trabalhista é chancelada pelo STF; ministros do Supremo rejeitam recursos de Lula; PF diz que empresas do coronel Lima serviram a Temer; mães separadas de filhos no EUA revelam desespero; dólar continua escalada de alta.

SINOPSE DE 30 DE JUNHO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Decisão do STF consolida a reforma trabalhista. Corte confirma fim do imposto sindical obrigatório. Havia 19 ações na Justiça que contestavam a medida. Cobrança rendeu R$ 1,395 bi aos sindicatos em 2017. O Supremo Tribunal Federal confirmou, por 6 votos a 3, a legalidade do fim da cobrança obrigatória do imposto sindical, um dos pilares da reforma trabalhista adotada em 2017. Os ministros do STF consideraram que a norma é constitucional, ao julgar 19 ações que contestavam esse ponto. Segundo dados do Ministério do Trabalho, os sindicatos arrecadaram R$ 1,395 bilhão com a cobrança do imposto no ano passado, enquanto as entidades patronais receberam R$ 545 milhões. As principais centrais sindicais lamentaram a decisão do STF. Já a Confederação Nacional da Indústria elogiou o aumento da segurança jurídica/

Moraes rejeita recurso pela liberdade de Lula. Petista atua em três frentes no Supremo para sair da prisão; plenário só deve analisar o caso em agosto/

O rachão do Supremo. Se formassem uma seleção da Copa do Mundo, os 11 ministros da Suprema Corte teriam caído na primeira fase da competição/

Surge uma nova pista. Delação de acusado de matar assessor de vereador pode ajudar a polícia a esclarecer o caso Marielle/

Desemprego em maio é de 12,7%. A taxa de desemprego em maio foi de 12,7%, com 13,2 milhões de pessoas sem vaga, segundo dados da Pnad Contínua do IBGE. A informalidade e as contratações no setor público seguraram a taxa, quase igual à de fevereiro/

Impacto de bagagem paga só em 2022. Para a Agência Nacional de Aviação Civil, impacto da cobrança de bagagem em voo só será conhecido em 2022. Em tese, medida era para baratear a passagem/

Impulso por fora. Sem financiador conhecido, páginas de apoio a Bolsonaro pagam para promover candidato/

Nas redes, Ciro aposta em Wesley Safadão e Caetano para bombar. Marina e Alckmin reforçam baterias para combater onda de boatos/

PSB pernambucano defende apoio ao PT e racha partido. Em SP, França apoia Alckmin; Ciro é nome forte em outros estados/

Servidores vão lutar por reajuste geral. Depois do aumento dado pela Alerj a três categorias, entidades que representam os 450 mil servidores do Legislativo e do Executivo dizem que lutarão pelo benefício/

Editorial1: Supremo garante a modernização sindical. Ao confirmar a substituição do imposto pela contribuição espontânea, a Corte permite que sindicatos se tornem mais representativos e fortes/

Editorial2: Populismo espreita mexicanos nas urnas. Em primeiro lugar nas intenções de voto, candidato de centro-esquerda faz promessas que podem colocar o México na mesma rota da combalida Venezuela bolivariana.

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Lula sofre derrotas e STF só deve analisar caso após julho. No dia em que dois recursos foram negados, presidente do Supremo mantém fora da pauta da Corte decisão sobre prisão. O ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou pedido de liberdade do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e arquivou reclamação apresentada pela defesa do petista para que o recurso fosse analisado pela 2.ª Turma, e não pelo plenário da Corte, como determinado pelo relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin. Com isso, o caso de Lula só deverá ser analisado pelo plenário da Corte em agosto, já que ontem, na última sessão antes do recesso, a presidente do Supremo, Cármen Lúcia, não colocou em pauta o pedido do petista. Também ontem, Gilmar Mendes negou liminar ao PT e ao PCdoB para impedir ordens de prisão de réus que ainda têm o direito de recorrer, mesmo após condenação em segunda instância, como é o caso de Lula/

‘Sabidamente inelegível’. O presidente do TSE, Luiz Fux, disse ontem, sem citar a situação de Lula, mas se referindo ao petista, que é “inaceitável” um político sabidamente inelegível “provocar” a Justiça para ser candidato/

Supremo veta imposto sindical e derruba 15 mil ações no País. Por 6 votos a 3, o STF decidiu que não há inconstitucionalidade no fim da cobrança da contribuição sindical obrigatória, equivalente a um dia de salário do trabalhador por ano. Essa mudança, trazida pela reforma trabalhista, foi uma das mais criticadas por sindicalistas. Com isso, pelo menos 15 mil ações que questionam o fim do imposto no País perdem validade/

Prazo acaba e estatais não se adaptam a lei. O prazo de adaptação termina amanhã e mesmo as empresas com elevado grau de governança corporativa não estão totalmente adequadas à Lei das Estatais, criada em junho de 2016 para melhorar a gestão das empresas públicas e reduzir a ingerência política/

312 cidades têm risco para pólio, diz Saúde. Pelo menos 312 cidades no País – 44 em São Paulo – não atingiram a cobertura vacinal e têm alto risco de reintrodução da poliomielite, de acordo com dados do Ministério da Saúde. A situação mais grave é na Bahia. O Brasil não tem casos da doença desde 1990/

BRF vai demitir 4 mil em reestruturação. Crise. Dona das marcas Sadia e Perdigão planeja se desfazer nos próximos seis meses de fábricas na Europa, Tailândia e na Argentina; anúncio, que inclui cortes de 4,4 mil funcionários no País, ocorre duas semanas após Pedro Parente assumir presidência/

Pacto migratório nasce sem consenso. Interesses. União Europeia pretende criar centros de controle de imigrantes no bloco e outros fora dele; chefe de Estado francês descontenta premiê italiano ao dizer que França não terá pontos de triagem por não ser um país de primeiras chegadas, como a Itália/

Coluna do Estadão. Vai Brasil! Michel Temer bem que tentou convencer o ministro Carlos Marun a assistir ao último jogo do Brasil no seu gabinete no Planalto. A resposta: “O ambiente que cerca um presidente sempre tem que observar certa liturgia, o que não combina com um torcedor emotivo como eu”/

Coluna do Estadão. Manivela. Um integrante da Executiva do PSB diz que, para fechar aliança com o presidenciável Ciro Gomes, o PDT precisa entregar mais. Ainda há dificuldades de coligação em alguns Estados/

Editorial1: Trilhões de dívida sem freio. Os R$ 5,13 trilhões devidos pelo governo correspondiam em maio a 77% do valor anual do PIB. Números mostram a urgência e a importância das reformas/

Editorial2: Danem-se os munícipes. A Câmara de SP deu uma mostra de seu alheamento às questões concernentes ao momento por que passa o País/

Editorial3: Intromissão danosa. A atual confusão de competências entre os Poderes da República tem acarretado não apenas turbulências políticas, mas consideráveis prejuízos econômicos para o País. Um sintoma desse baralhamento é a necessidade que o governo julga ter de consultar o Tribunal de Contas da União (TCU), órgão auxiliar do Congresso, antes de tomar decisões de administração pública.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Empresa de coronel Lima serviu ao presidente, diz PF. Delegado que apura esquema de propina enumerou ao STF indícios contra Temer. Em relatório enviado ao Supremo Tribunal Federal, o delegado da Polícia Federal Cleyber Lopes diz que a estrutura financeira da Argeplan, empresa do coronel João Batista Lima Filho, foi colocada à disposição de demandas da vida pública e privada de Michel Temer. Lima é amigo do presidente. A afirmação está no pedido de prorrogação, por 60 dias, do inquérito que apura se empresas do setor portuário pagaram propinas ao emedebista e aliados, em troca de benesses no governo. O relator do caso no STF, ministro Luís Roberto Barroso, autorizou ontem a continuidade das investigações/

Cármen deixa pedidos de Lula fora da pauta do STF. A presidente do STF, Cármen Lúcia, não incluiu na pauta de julgamentos de agosto o pedido de liberdade feito pela defesa do ex-presidente. Na segunda (2), começa o recesso forense, e as sessões só voltam no mês seguinte. Em setembro, termina o mandato de Cármen na presidência. Nos últimos três dias, a defesa de Lula apresentou três recursos por sua soltura/

Filha de Paulo Preto convoca Aloysio Nunes como sua testemunha de defesa/

Ministério Público pede prisão por tempo indeterminado de ex-secretário de Alckmin/

Cármen Lúcia deixa pedido de liberdade de Lula fora da pauta do STF de agosto/

Gilmar Mendes manda arquivar inquéritos contra Aécio Neves (PSDB) e Jorge Viana (PT)/

Moro impõe tornozeleira eletrônica para Dirceu/

Após semana tensa, STF entre em recesso em clima conflagrado/

Supremo dá aval ao fim do imposto sindical obrigatório. Por 6 votos a 3, o STF decidiu que o fim da obrigatoriedade da contribuição sindical é constitucional e validou ponto da reforma trabalhista de 2017. Sindicatos devem pleitear na Justiça a aprovação do desconto em assembleia como autorização em nome dos trabalhadores/

Seis meses após reforma trabalhista, emprego não reage. Seis meses após o presidente Temer dizer que a reforma trabalhista teria impacto positivo no emprego, o quadro se mantém ruim. Segundo o IBGE, o desemprego atingiu 12,7% no trimestre encerrado em maio, ou 13,2 milhões de desocupados/

Ciro Gomes acena com vice a PSB para ter apoio já. Pré-candidato do PDT espera atrair partidos do centrão, mas enfrenta impasse em SP e PE/

Julianna Sofia: Governo está com repertório para a economia zerado. Para impelir a atividade econômica ainda em 2018, o governo crê na geração de emprego, com o marco legal da mineração, e no acordo sobre a cessão onerosa. Crenças não movem a economia/

Brasileira separada do filho nos EUA relata desespero. Lídia Karine Souza narra a Danielle Brant que enfrentou momentos de desespero no mês longe do filho de 9 anos, após ambos serem separados na fronteira dos EUA com o México. Ela passou dez dias em prisões no Texas e no Novo México, enquanto a criança foi levada para abrigo em Chicago/

Editorial1: Olhos na Copa. Primeira fase do torneio tem números satisfatórios e novidades bem-sucedidas/

Editorial2: Rússia. O jogo de Putin. Encontro com Trump enfraquece esforço de parceiros dos EUA em isolar o chefe do Kremlin.

PORTAIS DE NOTÍCIAS:

Manchete e destaques da hora de O Globo online: Gilmar nega pedido para suspender prisões após segunda instância. Solicitação foi feita pelo PT e PCdoB, que viram omissão de Cármen Lúcia/

Ministro arquiva inquéritos contra Aécio e Jorge Viana. Ministro não aceitou pedidos de Raquel Dodge para casos iram para primeira instância/

Alexandre de Moraes nega pedido de liberdade de Lula. Ministro não viu ilegalidade em decisão de Fachin e arquivou ação. 

Manchete e destaques da hora do Estadão online: Ex-presidente preso. Moraes nega liberdade para Lula e mantém recurso no plenário do STF. Não há razão ‘a nenhuma das pretensões da defesa’, argumenta ministro/

Caso Furnas. Ministro do Supremo arquiva inquérito contra o senador Aécio Neves/

Inquérito dos Portos. Empresa de coronel Lima atendeu a demanda pública e privada de Temer, diz PF/

Ação do PT e PCdoB. Gilmar rejeita tentativa de suspender prisão após condenação em 2ª instância/

Doria e Skaf têm empate técnico para governo do Estado, diz Ibope/

Desvios do Rodoanel. Juíza manda soltar diretor da Dersa. 

Manchete e destaques da hora da Folha online: Brasileira separada do filho nos EUA relata desespero. ‘Falaram que em 2 dias estaria com meu filho; fiquei 1 mês sem poder vê-lo’, diz Lídia Karine Souza/

Líder no Enem, SP cai para 5º no país sem as escolas técnicas/

Rodrigo Zeidan Detalhes importam na hora de resolver a nossa educação/

Julianna Sofia: Repertório do governo para aquecer a economia está zerado. Temer ainda crê na geração de emprego na mineração; crenças não movem a economia/

Minas Gerais. Eleição mineira ganha viés nacional com Pimentel e Dilma. Governador, que voltará a enfrentar o PSDB, escolhe Temer como alvo em meio à crise/

Aloysio Nunes será testemunha da filha de Paulo Preto em caso do Rodoanel em SP/

Mônica Bergamo: Gilmar processará jurista que o chamou de ‘marginal’.

Manchete e destaques da hora do Valor Econômico online: Agronegócios. BRF faz plano para superar crise com venda de ativos e redução de funcionários. A intenção da BRF é obter cerca de R$ 5 bilhões ainda em 2018/

Dólar sobe 17% no segundo trimestre e bate R$ 3,87. No dia, dólar teve alta de 0,49%. Sem grandes catalisadores de melhora no ambiente local, o real não conseguiu mostrar grande resistência/

Ibovespa sobe na semana, mas perde 15% no 2º tri/

Ano eleitoral expõe problemas estruturais do Brasil/

Governo abre crédito para a Petrobras de R$ 32,7 bilhões. Petrobras aumenta o preço da gasolina/

Dívida Pública Federal aumenta e passa de R$ 3,7 trilhões/

Contas públicas têm rombo de R$ 8,2 bi em maio/

bope: Doria e Skaf seguem empatados na disputa pelo governo de SP/

Novas regras sobre uso do cheque especial entram em vigor em 1º de julho. Cliente que utilizar mais de 15% do limite por 30 dias será convidado a optar por outra forma de financiamento, em condições mais vantajosas/

Moraes rejeita enviar recurso de Lula para a 2ª Turma do STF/

Gilmar arquiva inquérito contra Aécio no caso Furnas/

STF: Gilmar nega ação do PT e do PCdoB contra suposta omissão de Cármen Lúcia.

Manchete e submanchetes do Diário Comércio, Indústria e Serviços (DCI) online: Câmbio. Dólar sobe pelo quinto mês seguido e fecha semestre 17% mais caro ante real. A moeda avançou 0,56%, a R$ 3,8773 na venda, acumulando elevação de 2,49% na semana/

Bolsa. Ibovespa fecha o dia em alta seguindo exterior, mas tem pior 1º semestre desde 2013/

Justiça. Moraes, do STF, nega liberdade a Lula e diz que Fachin tinha amparo para levar recurso ao plenário/

Contas públicas. Dívida pública federal fecha maio em R$ 3,716 trilhões, alta de 1,59%/

Carnes. BRF aprova plano de reestruturação e prevê arrecadar cerca de R$ 5 bi/

Desemprego cai a 12,7% no tri até maio com maior desalento do trabalhador/

Automotivo. Fiat convoca recall de mais de 200 mil veículos por falha em sistemas de ignição e injeção.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu