Desigualdade, crise da Oi, orçamento e depósitos judiciais se destacam

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“País vive mais longo ciclo de aumento da desigualdade. Desde 2014, são 17 trimestres em que concentração de renda cresceu”. Manchete de capa do O Globo.

“Situação das contas da Oi piora e Anatel estuda intervenção. Agência reguladora analisa tirar concessão da telefonia fixa da operadora”. Manchete de capa do Estadão.

“Aperto orçamentário traz risco de paralisia de programas federais. Cenário já afeta bolsas de estudo e alguns órgãos, como a PF; interrupção geral de serviços é improvável, diz governo”. Manchete de capa da Folha.

“CNJ abre depósitos judiciais de R$ 500 bi a banco privado. O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) vai permitir que os tribunais contratem bancos privados para administrar os depósitos judiciais. Esses valores, estimados em cerca de R$ 500 bilhões, ficam hoje somente com duas instituições públicas: Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal”. Manchete de capa do Valor Econômico.“

📃 Editoriais do dia:

“Todos sob a lei. Alei que criminaliza o abuso de autoridade era uma necessidade institucional de longa data. Já havia no Direito brasileiro o crime de desacato à autoridade. Faltava o outro lado, o crime de abuso.” Editorial do Estadão.

“Estranhas mudanças no status da Receita e do Coaf. Lei de Abuso da Autoridade reforçou de maneira razoável direitos do cidadão em relações conflituosas com o Estado”. Editorial do Valor Econômico.

“O retrato da pobreza. Caminho para o Brasil atingir objetivos ratificados pela ONU é difícil, mas factível”. Editorial do Estadão.

“Passos liberais. Medida que reduz regulação sobre empresas vai depender de acomodação jurídica”. Editorial da Folha.

“Déficit dos estados não para de aumentar. Dados do Tesouro reforçam a importância da extensão da reforma da Previdência”. Editorial do O Globo.

“A gestão errática da educação. O Ministério da Educação descontinuou programas que estavam em andamento e os que anunciou carecem de informações básicas”. Editorial do Estadão.

“Desafio à ditadura. Manifestações em Hong Kong ampliam pauta e criam dilema para o governo chinês”. Editorial da Folha.

“Populismo quebrou Argentina, agora preocupada com as suas instituições. Volta de Cristina ameaça quem atuou em investigações de casos de corrupção na era kirchnerista”. Editorial do O Globo.

📃 Outros destaques:

“Argentina poderá rever acordos com FMI e UE. Assessor de Alberto Fernández, favorito à eleição argentina, o economista Arnaldo Bocco diz que, em caso de vitória, a chapa peronista reverá o acordo com o FMI e o pacto comercial com a UE. Segundo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o Brasil deixará o Mercosul se o futuro governo argentino fechar a economia.” Na capa do O Globo.

“Aliados pró e contra projeto que pune abuso pressionam Bolsonaro. O projeto que pune abuso de autoridade, aprovado pela Câmara, divide a equipe do presidente Jair Bolsonaro. Auxiliares mais conservadores defendem que nenhum ponto seja vetado, para evitar atrito com o Congresso. Já os ideológicos querem rejeição total, mas admitem que isso poderia comprometer futuros projetos do Executivo. Bolsonaro, que enfrenta pressão de sua base nas redes sociais e de integrantes do Judiciário pelo veto, disse que conversará com ministros para decidir. Deputados pediram revisão de vídeo da votação do projeto.” Na capa do O Globo.

“Caixa vai usar IPCA para corrigir o financiamento”. Na capa do O Globo.

“Presidente suspende uso de todo tipo de radar móvel. Decisão vale para vias federais e inclui radares manuais ou instalados em veículos ou suportes móveis. Exceção são equipamentos fixos.” Na capa do O Globo.

“Egípcio desafia FBI a provar acusação”. Na capa do O Globo.

“‘Supertele’ turbinada. Modelo de “supertele”, a Oi recebeu investimentos bilionários do governo e de fundos de pensão de estatais, além de empréstimos do BNDES, na era PT.” Na capa do Estadão.

“Bolsonaro sofre pressão para vetos em lei sobre abuso. Deputados de pelo menos quatro partidos, entidades de classe e o ministro Sérgio Moro (Justiça) querem que o presidente Jair Bolsonaro vete trechos do texto, aprovado pela Câmara, que endurece punição a juízes e procuradores por abuso de autoridade. O projeto é visto como reação à Operação Lava Jato. O governo estuda modificações em dez artigos. Política”. Na capa do Estadão.

“Bolsonaro sinaliza veto apenas parcial a projeto de lei do abuso. Projeto provocou reações na magistratura e na Polícia Federal”. No Valor Econômico.

“Presidente suspende uso de radar móvel em estradas. Bolsonaro suspendeu ontem o uso de radares estáticos, móveis e portáteis nas rodovias federais. A determinação foi publicada no Diário Oficial e abrange 76,5 mil quilômetros, que serão fiscalizados por 1.087 radares fixos. Número de mortes caiu nas estradas federais de janeiro a junho deste ano, mas o de mortos em atropelamentos subiu. Especialistas criticam medida. Metrópole”. Na capa do Estadão.

“PF rebate presidente. Saída de Ricardo Saadi da chefia da PF no RJ foi anunciada por Bolsonaro, que alegou “questão de produtividade”. PF diz que troca estava planejada.”. Na capa do Estadão.

“Portaria de armas. Segundo lista do Exército, civis terão acesso a munições antes classificadas como de uso restrito, como 9 mm e .40, mas fuzis foram vetados.” Na capa do Estadão.

“Palocci relata R$ 333,6 milhões em propinas. Em delação, o ex-ministro apontou uma sucessão de pagamentos em troca de vantagens indevidas. Segundo ele, o total chegou a R$ 333,6 milhões nos governos Lula e Dilma Rousseff. Os ex-presidentes não se pronunciaram. Política”. Na capa do Estadão.

“Noruega suspende repasse para Amazônia Metrópole”. Na capa do Estadão.

“Planos de saúde ‘falsos coletivos’ crescem 58%. Atualmente, 5,2 milhões de pessoas usam planos de saúde conhecidos como “falsos coletivos”, segundo pesquisa da USP. Há 5 anos, eram 3,3 milhões. Modalidade reúne até 30 pessoas com um CNPJ, como uma empresa. Metrópole”. Na capa do Estadão.

Mais de 3 milhões estão sem trabalho há ao menos 2 anos. Um quarto dos desempregados do Brasil —3,347 milhões de pessoas— estão em busca de trabalho há pelo menos dois anos, divulgou o IBGE. A taxa de desocupação ficou em 12% no segundo trimestre, 0,7 ponto percentual a menos que nos três primeiros meses do ano”. Na capa da Folha.

“Ex-OAS delatou propina de R$ 1 milhão a Rodrigo Garcia. O ex-presidente da OAS Léo Pinheiro disse ter pago, em 2007, R$ 1 milhão em espécie a Rodrigo Garcia (DEM) para acelerar a liberação de verba das obras da linha 4-amarela do Metrô de SP. A denúncia consta de proposta de delação citada em mensagens vazadas ao site Intercept. Garcia, à época deputado estadual e hoje vice-governador, classificou o relato de “história sem pé nem cabeça”.” Na capa da Folha.

“Bolsonaro avalia vetos a projeto sobre abuso de autoridade”. Na capa da Folha.

“Presidente é um ingrato que nada sabe, diz Frota. Expulso do PSL, o deputado Alexandre Frota afirmou à Folha que Jair Bolsonaro exigiu seu expurgo da sigla. “O estopim foi porque discordei e não pode discordar, critiquei e não pode criticar”. Frota disse ter recebido convites de sete partidos.” Na capa da Folha.

“Noruega anuncia corte de verba do Fundo Amazônia. Ministro do Clima e Meio Ambiente do país anunciou que suspenderá cerca de R$ 133 milhões que seriam destinados para o Fundo Amazônia. A Noruega não é aquela que mata baleia? Não tem nada a oferecer para nós”, reagiu Jair Bolsonaro.” Na capa da Folha.

“Acordo com organização social cabe ao reitor, diz secretário do MEC”. Na capa da Folha.

“Noruega suspende doações à Amazônia. O governo da Noruega suspendeu ontem repasse ao Fundo Amazônia previsto para este ano de 300 milhões de coroas norueguesas, o equivalente a R$ 134 milhões”. Na capa do Valor Econômico.

“Movimento de capitais indica aflição do mercado. Mesmo num dia menos nervoso nos mercados internacionais, o movimento dos capitais mostrou ontem uma espécie de aflição coletiva, típica de momentos que antecedem crises”. Na capa do Valor Econômico.

📃 Colunas e artigos:

“Bolsonaro não terá um Ministério Público que siga suas ordens”. Na coluna de Miriam leitão, no O Globo.

“Preço de usar tecnologias muito novas é ajudar a treiná-las”. Na coluna de Pedro Doria, no O Globo.

“Política de segurança de Witzel vai continuar a matar inocentes”. Na coluna de Ruth De Aquino, no O Globo.

“A Lava Jato perdeu fôlego. Combate-se quem combate a corrupção. Isso pode sair caro. Política”. Na coluna de Eliane Cantanhêde, no Estadão.

“Economia mundial ficou excessivamente dependente do crescimento econômico.” Na coluna de Celso Ming, no Estadão.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quinta-feira, 15, em queda de -1,20%, a 99.057 pontos. O dólar terminou o dia em queda de -1,26%, a R$ 3,99, e o euro em queda, também, de -0,98%, a R$ 4,45.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu