Denúncias e eleição 2018 são os destaques das manchetes dos jornais

Denúncias e eleição 2018 são os destaques das manchetes dos jornais. Há mais procura por armas enquanto cresce número de baleados; TSE terá nova direção; Bolsonaro demite fantasma após nova denúncia.

SINOPSE DE 14 DE AGOSTO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Procura por armas dispara, e número de baleados cresce. Em 2017, foram mais de 33 mil aquisições. Candidatos à Presidência divergem sobre Estatuto do Desarmamento/

Combate a crimes eleitorais terá 4 mil agentes da PF. Corporação mobiliza quatro mil policiais para estar à disposição da Justiça Eleitoral no combate a crimes como corrupção, compra de votos, caixa dois e fake news. Centros de comando e controle serão criados nos estados/

Merval Pereira: Lula tenta ser candidato contra a letra da lei. À medida que vai se aproximando a data-limite para o registro das candidaturas à Presidência da República no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a discussão sobre a possibilidade de o expresidente Lula vir a ser oficializado pelo PT como candidato provoca polêmicas em várias áreas que serão afetadas pela decisão/

Bernardo Mello Franco: O cobiçado pior cargo do mundo. Quando ainda ensaiava disputar as eleições, Joaquim Barbosa ouviu apelos para se candidatar a governador. O ex-ministro do Supremo fulminou a ideia de cara. Disse que cogitava concorrer ao Planalto. Ao Palácio Guanabara, nem pensar/

Míriam Leitão: O risco da lira é virar crise em dominó/

José Casado: O que querem as mulheres. São 77,3 milhões e têm poder decisivo nas urnas, com maioria (52,5%) dos votos. É essencial prestar atenção ao que pensam e dizem sobre eleições, candidatos à Presidência e o futuro governo. Pistas surgiram na semana passada, em atualização semestral da série Retratos da Sociedade Brasileira, pesquisa realizada pelo Ibope e Confederação Nacional da Indústria/

As mulheres (71%) se dizem céticas, mais pessimistas, mais indecisas e mais propensas a anular ou votar em branco do que os homens. Entre eles, essa proporção é bem inferior (64%), embora significativa/

Combate a crimes eleitorais terá 4 mil agentes da PF. Corporação mobiliza quatro mil policiais para estar à disposição da Justiça Eleitoral no combate a crimes como corrupção, compra de votos, caixa dois e fake news. Centros de comando e controle serão criados nos estados/

Crise da Turquia volta a pressionar países emergentes. Crise se agrava e cria instabilidade nos emergentes/

‘Quem concorre com liminar está sujeito a trovoadas’, diz Fux. Sem citar o PT, ministro afirma que candidato pode ser cobrado por gastos com eleição extra/

MPF vai investigar contratos de TI no Ministério da Integração. Processo vai incluir informações de série reportagens feita pelo GLOBO/

Mantega é réu pela primeira vez na Lava-Jato. Há suspeitas de crimes de corrupção e lavagem de dinheiro na edição das medidas provisórias 470 e 472, chamadas de ‘MPs da Crise’. No mesmo caso, juiz Sergio Moro rejeita acusações contra Antonio Palocci por falta de provas/

Rosa Weber assume TSE com desafio de combater fake news. No Tribunal Superior Eleitoral, nova presidente terá tarefas como a fiscalização do financiamento das campanhas políticas e a aplicação da Lei da Ficha Limpa/

Agrotóxico de ação milionária é o mais usado no Brasil. Pivô de ação milionária vencida por jardineiro vítima de câncer, no EUA, glifosato é o agrotóxico mais usado no Brasil. Fabricante e especialistas divergem sobre uso/

Editorial1: Estados precisam da reforma da Previdência. Governadores conscientes da crise têm de trabalhar para que as mudanças sejam aprovadas logo/

Editorial2: Crise turca exige que emergentes façam o dever de casa nas finanças. Briga diplomática entre Ancara e Washington abala os mercados e ameaça os países vulneráveis

Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo: Cármen defende Ficha Limpa; Wagner lança alerta ao PT. Ministra fala às vésperas do registro de Lula; Wagner pede definição do partido/

Bolsonaro será alvo na televisão. Estrategistas tucanos vão utilizar comerciais de 30 segundos no horário eleitoral para ‘desconstruir’ adversário/

Máquina voadora de guerra. Aeronave que transporta o secretário de Defesa James Mattis é uma central de guerra alada/

Crise turca eleva dólar; Argentina sobe juro a 45%. Medidas anunciadas pelo Banco Central da Turquia não foram suficientes para acalmar o mercado e conter a alta do dólar; no Brasil, a moeda americana fechou em R$ 3,88 e, na Argentina, superou os 30 pesos, levando o governo a anunciar pacote/

Moro determina prisão de cúpula da Mendes Jr. Executivos, condenados em 2ª instância na Lava Jato, têm 24 horas para se apresentar/

Mantega vira réu na Lava Jato por corrupção. O juiz federal Sérgio Moro aceitou ontem denúncia contra o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega por lavagem de dinheiro e corrupção na edição das Medidas Provisórias 470 e 472 (“MP da Crise”). Na mesma ação, no âmbito da Operação Lava Jato, o magistrado rejeitou a acusação formal contra o ex-ministro Antonio Palocci/

PF apura uso de navios pelo tráfico em Santos. Em menos de uma semana, dois transportes de toneladas de cocaína terminaram barrados/

Ouvidoria diz que há excessos na polícia de SP. Órgão analisou 756 dos 940 óbitos causados pelas corporações do Estado em 2017, ano com recorde histórico desse tipo de ocorrência; em 1/4 dos registros sequer houve confronto. Secretaria de Segurança Pública afirma ter ações para reduzir casos/

Coluna do Estadão: Deputados desistem e abrem espaço a parentes. Um levantamento do Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap) já identificou que parte dos políticos que desistiram de disputar a reeleição para a Câmara e o Senado em outubro registrou seus parentes para substituí-los nas urnas. “A renovação vai se dar pela entrada de parentes, celebridades, evangélicos ou policiais linha-dura”, diz o presidente do Diap, órgão que há décadas acompanha a movimentação no Congresso, Antonio Augusto de Queiroz. Segundo ele, o eleitor que apostar na renovação de fato sairá frustrado/

Coluna do Estadão: O presidenciável Jair Bolsonaro ainda não bateu o martelo, mas o nome da sua coligação, que reúne PSL e PRTB, deve ser “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”. A campanha de Henrique Meirelles batizou a sua coligação de “#Essa é a solução”; Ciro Gomes vai de “Brasil Soberano”; Geraldo Alckmin escolheu “Para Unir o Brasil”; o PT vai de “O Povo Feliz de Novo”/

Eliane Cantanhêde: Enquanto PT e PSDB miram um o outro, Bolsonaro papa votos em todas as regiões e vai comendo pelas bordas/

Ana Carla Abrão: Aumento do Supremo Tribunal Federal desrespeita dispositivo constitucional chamado teto de gastos/

Editorial1: Um voto irracional. Uma parte da elite empresarial do País começa a declarar publicamente sua intenção de voto em Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência da República/

Editorial2: O alerta da crise turca. Balas perdidas do tiroteio entre os governos americano e turco têm atingido também o Brasil/

Editorial3: O ocaso da Unasul. Três dias após tomar posse, o presidente Iván Duque cumpriu uma de suas promessas de campanha e anunciou a saída da Colômbia da União das Nações SulAmericanas (Unasul). A entidade, segundo ele, seria “cúmplice da ditadura venezuelana”.

Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo: Funcionária fantasma é demitida por Bolsonaro. Depois de revelar o caso, Folha volta a encontrar a servidora no local em que ela vende açaí, em Angra dos Reis (RJ)/

Socorro a estados e municípios vai custar R$ 90 bi em 3 anos. Valor corresponde a quase duas vezes o que foi gasto em investimentos em 2017, algo crucial para a retomada da economia/

Promessa de zerar déficit em dois anos é difícil de cumprir, diz Instituição Fiscal Independente/

Ajuda federal a estados vai custar R$90 bi em três anos/

Caixa e BB liberam saque a FGTS a partir de hoje/

Bruno Boghossian: Nova chefe do TSE, Rosa tem visão rigorosa da Lei da Ficha Limpa/

Mônica Bergamo: Dias Toffoli vai propor fim de feriados que só Judiciário tem/

Magistrado, que enviará proposta ao Congresso, assumirá a presidência do STF no dia 13 de setembro/

Alckmin traça estratégia para recuperar votos no interior de São Paulo/

Agência Lupa. Em debate paralelo, Haddad exagera ao citar empregos criados pelos petistas/

Quando era jovem, experimentei, diz Haddad sobre maconha/

Plano de Ciro para tirar eleitor de lista de devedores é vago, dizem especialistas/

Não queremos ser uma seita verde, diz vice de Marina Silva/

Marina Silva critica teto de gastos e defende melhor formação de professores/

Painel: Aluno questiona Lewandowski sobre regalias de juízes durante aula na USP/

Editorial1: Retrocesso na saúde. Piora recente em indicadores indica agravamento no quadro de atenção básica/

Editorial2: Mercado para todos. Termos para compra de parte da XP pelo Itaú parecem marcar uma nova posição do BC.

 

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu