CPMI convoca Whatsapp, Google, Twitter, Facebook e The Intercept

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito(CPMI) das Fakenews aprovou nesta terça-feira (10) requerimentos de convocação dos representantes legais no Brasil das empresas Whatsapp; Google; Twitter; Facebook;  You Tube e Telegram. Todos os requerimentos são da deputada Luizianne Lins (PT-CE).

Liderada pelo senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ), a bancada do PSL obstruiu as várias fases da sessão sob o argumento de que a CPMI não tinha fato determinado e que a convocação das empresas de comunicação seria uma tentativa de criar um motivo para a existência do colegiado.

“Na verdade o que está claramente visto aqui por qualquer um é que vão trazer aqueles que instrumentalizam as redes sociais ou os meios de conversa privados pra começar a buscar um fato determinado, se é que ele existe, e não está configurado aqui”, argumentou.

A deputada cearense argumentou que a difusão de Fake News no País é fato gravíssimo. “Muitos relatos, inclusive divulgados pela imprensa afirmam que esses aplicativos e redes sociais foram bastante utilizados para este fim”, destacou.

Plano de trabalho
Durante a reunião, a deputada Lídice da Mata (PSB-BA) apresentou seu plano de trabalho. Ela sugeriu audiências públicas, visitas externas e a criação de sub-relatorias para temas específicos como o cyberbullying e a privacidade dos dados.

Também foram aprovadas as vindas à comissão de um representante do site The Intercept e de Lola Aronovich, professora da Universidade Federal do Ceará que já foi alvo de ameaças nas redes sociais. As datas das audiências ainda serão definidas.

Do Anexo 6, com informações da Agência Câmara e da Agência Senado

Waldemir Barreto/Agência Senado FOTO

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu