Conflito na Ucrânia coloca em risco a recuperação do comércio global

Além de gerar imenso sofrimento humano, a guerra na Ucrânia está colocando em risco a frágil recuperação do comércio global

A Organização Mundial do Comércio (OMC) revisou para baixo suas perspectivas para este ano. O volume de comércio mundial de mercadorias deve crescer apenas 3% este ano, abaixo da previsão anterior de 4,7% e 3,4% em 2023. O PIB mundial também deve ser afetado, crescendo 1,3 ponto percentual abaixo do esperado anteriormente.

A guerra entre Rússia e Ucrânia é o principal motivo das previsões mais pessimistas. Os dois países são fornecedores-chave de bens essenciais, como alimentos, energia e fertilizantes, cujos suprimentos estão agora ameaçados.

A guerra se soma a outros fatores que afetam o comércio global, incluindo os mais recentes bloqueios ocasionados pela COVID-19 na China, que estão novamente interrompendo o comércio marítimo

Além de gerar imenso sofrimento humano, a guerra na Ucrânia está colocando em risco a frágil recuperação do comércio global. Segundo a Organização Mundial do Comércio (OMC), divulgado na terça-feira (12), o impacto será sentido em todo o mundo.

O volume de comércio mundial de mercadorias deve crescer apenas 3% este ano, abaixo da previsão anterior de 4,7% e 3,4% em 2023, embora esses números possam ser revisados ​​devido à incerteza em torno do conflito.

Preços mais altos – O impacto mais imediato da guerra, que começou em 24 de fevereiro, foi um forte aumento nos preços das commodities. Tanto a Rússia quanto a Ucrânia são fornecedores-chave de bens essenciais, como alimentos, energia e fertilizantes, cujos suprimentos estão agora ameaçados. Os embarques de grãos através dos portos do Mar Negro também foram interrompidos, com possíveis consequências terríveis, principalmente para os países mais pobres.

“Ofertas menores e preços mais altos de alimentos significam que os pobres do mundo podem ser forçados a ficar sem. Isso não deve acontecer”, disse a diretora-geral da OMC, Ngozi Okonjo-Iweala.

Mais comércio necessário – A guerra se soma a outros fatores que afetam o comércio global, incluindo os mais recentes bloqueios ocasionados pela COVID-19 na China, que estão novamente interrompendo o comércio marítimo, no momento em que as pressões da cadeia de suprimentos pareciam estar diminuindo.

Okonjo-Iweala pediu aos governos que trabalhem com organizações multilaterais como a OMC para facilitar o comércio. “Em uma crise, é necessário mais comércio para garantir acesso estável e equitativo às necessidades. Restringir o comércio ameaçará o bem-estar de famílias e empresas e tornará mais difícil a tarefa de construir uma recuperação econômica durável da COVID-19”, disse ela.

Estimando o impacto da guerra – Devido à escassez de dados sobre o impacto econômico do conflito, os economistas da OMC tiveram que confiar em simulações para suas suposições sobre o crescimento global do Produto Interno Bruto (PIB) até 2023.Suas estimativas capturam o impacto direto da guerra, incluindo a destruição da infraestrutura e o aumento dos custos comerciais; o impacto das sanções russas, incluindo o bloqueio de bancos russos do sistema de pagamentos bancários internacionais SWIFT; e redução da demanda agregada no resto do mundo – em parte devido à crescente incerteza.

Segundo a previsão da OMC, o PIB mundial nas taxas de câmbio de mercado deve aumentar 2,8% este ano, ou 1,3 ponto percentual abaixo da previsão anterior. O crescimento da produção deverá subir para 3,2% em 2023, “assumindo uma persistente incerteza geopolítica e econômica”, que se aproxima da taxa média de 3% do período 2010-2019.

Na região da Comunidade de Estados Independentes (CEI) – criada após a dissolução da União Soviética em 1991, e que exclui a Ucrânia – o PIB deve cair 7,9%, levando a um declínio de 12% nas importações. No entanto, as exportações devem aumentar em quase 5%, já que outros países continuam a depender da energia russa.

“Se a situação mudar, poderemos ver um crescimento mais forte do volume de exportação em outras regiões produtoras de combustível”, disse a OMC.

Baixo crescimento do comércio de mercadorias – Dadas as atuais premissas do PIB, a agência projetou que o crescimento do volume de comércio de mercadorias este ano pode ser tão baixo quanto 0,5% ou tão alto quanto 5,5%. Os números serão atualizados em outubro ou antes, se necessário.

O volume de comércio mundial de mercadorias cresceu aproximadamente duas vezes mais rápido que o PIB mundial nas duas décadas anteriores à crise financeira global de 2007-2008. A proporção caiu para cerca de 1:1 em média após a crise.

Se a previsão atual se confirmar, ela sugere que não haverá mudança fundamental na relação entre comércio e produção.

“Os riscos para a previsão são mistos e difíceis de avaliar objetivamente”, observou a OMC. “Existe algum potencial positivo se a guerra na Ucrânia terminar mais cedo do que o esperado, mas riscos substanciais podem surgir se os combates persistirem por muito tempo ou se o conflito aumentar.”

Petróleo e gás natural – Os preços mundiais dos combustíveis já estavam subindo antes da guerra. No mês passado, o preço de referência do petróleo bruto foi de 118 dólares por barril, um aumento de 38% em relação a janeiro, e mais de 80% em relação ao ano anterior. Os preços diários moderaram recentemente, de um pico de 128 dólares por barril em 8 de março para 104 dólares em 1º de abril.

Ao contrário dos preços do petróleo, o custo do gás natural divergiu fortemente entre as regiões. Na Europa – onde muitos países ainda dependem de suprimentos russos – o preço subiu 45% entre janeiro e março, para 41 dólares por milhão de unidades térmicas britânicas (Btu). O preço permaneceu relativamente baixo nos Estados Unidos, em cerca de 4,9 dólares por milhão de Btu.

Segundo a OMC, os preços mais altos do petróleo podem reduzir a renda real e a demanda de importação em todo o mundo, enquanto os preços mais altos do gás natural provavelmente teriam um impacto maior na Europa.

Efeito das sanções – A previsão de comércio foi divulgada juntamente com as estatísticas anuais de comércio de mercadorias e serviços comerciais. O volume de comércio de mercadorias, medido pela média de exportações e importações, aumentou 9,8% em 2021, com o valor crescendo 26%, para 22,4 trilhões de dólares.

O comércio de serviços comerciais, que inclui o setor de transporte e abrange o transporte de contêineres e o setor de transporte aéreo de passageiros, também aumentou 15% em 2021, atingindo 5,7 trilhões de dólares. Embora o comércio no setor de viagens tenha sido positivo em geral, os números permaneceram fracos, pois as restrições da COVID-19 foram apenas parcialmente aliviadas durante o ano.

A OMC disse que as sanções ocidentais contra empresas e indivíduos russos provavelmente terão um forte efeito sobre os serviços comerciais. “Antes da pandemia, os serviços de viagens/turismo e transporte aéreo eram os maiores serviços comercializados pela Rússia, respondendo por 46% de suas exportações e 36% de suas importações. Esses serviços, já duramente atingidos pela pandemia, podem ser fortemente afetados por sanções econômicas”, informou a agência.

Edição do Anexo 6: Sérgio Botêlho, com informações das Nações Unidas

You may also like

Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments