Expectativas do país nesta terça-feira, 05

Sérgio Botêlho O registro de atos violentos contra ônibus no Rio Grande do Norte e em Minas Gerais está preocupando as autoridades brasileiras. Há suspeita de que possa ser

Sérgio Botêlho

O registro de atos violentos contra ônibus no Rio Grande do Norte e em Minas Gerais está preocupando as autoridades brasileiras. Há suspeita de que possa ser resultado de articulação criminosa nacional.

Para um país que passou por uma greve nacional de caminhoneiros, que ainda rende desabastecimentos de produtos, como é o caso do gás de cozinha, essa onda de violência, vira mais um motivo de apreensão geral, embora nada tenha a ver evidente, com a greve encerrada.

Falar na greve, o governo está considerando o movimento como concluído e, agora, procura garantir que o acordo de redução do preço do diesel aconteça, efetivamente, nos postos. Há quem, a exemplo do ex-presidente Fernando Henrique, alerte sobre a continuidade dos motivos.

Essa segunda-feira, 04, foi dia de declarações de autoridades prometendo rigor na fiscalização dos postos, enquanto os proprietários dos postos prometem recorrer ao Supremo Tribunal Federal contra a redução considerada por eles como forçada de 46 centavos no litro de diesel.

Também essa segunda-feira, 04, foi dia de recuperação das ações da Petrobras na Bolsa de Valores de São Paulo, após quedas sucessivas. A valorização das ações da petroleira ajudou a Bovespa a se reerguer após ter, também, experimentado fortes quedas, semana passada.

Entre hoje e amanhã, o Senado Federal deve votar matéria de grande importância para as finanças municipais. O projeto trata de mudanças na forma de cobrar o Imposto Sobre Serviços (ISS) dos aplicativos de transportes.

De acordo com o texto, o ISS devido por empresas como Uber, Cabefy, POP 99, e outros, deverá ser recolhido nos municípios onde o passageiro embarca, e não no município sede dessas empresas. A mudança permitirá um justo reforço de caixa aos municípios.

 

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.