Coaf-BC, MEC-universidades, Rodoanel e juros do especial são destaques

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 282- A 134 dias do fim do ano de 2019, hoje é segunda-feira, 19 de agosto de 2019, 231º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Guedes assina medida que transfere Coaf para o Banco Central. MP que tira indicado de Moro de órgão de combate à lavagem de dinheiro deve ser publicada esta semana”. Manchete de capa do O Globo.

“MEC quer definir verba de universidade por desempenho. Atualmente, distribuição tem como base o tamanho das federais; novo modelo será discutido com reitores”. Manchete de capa do Estadão.

“SP terá de gastar até R$1 bilhão a mais com Rodoanel Norte. Sob investigação por corrupção, trecho restante do anel viário foi orçado em R%4,3 bi, mas já consumiu R$6,85bi”. Manchete de capa da Folha.

“Juros do cheque especial persistem acima de 300%. Desde que o governo parou de interferir nos bancos públicos para tentar forçar a queda do custo de crédito no país, as taxas cobradas no cheque especial subiram para os maiores percentuais desde o Plano Real, quando teve início a série estatística do Banco Central”. Manchete de capa do Valor Econômico.

📃 Editoriais do dia:

“Carta garante independência ao Ministério Público. Bolsonaro gostaria de um PGR subordinado ao Planalto, uma impossibilidade legal”. Editorial do O Globo.

“Governo precisa decidir o futuro dos Correios, com ou sem privatização. A melhor alternativa é a venda da ECT, mas não há estudos sobre a operação e falta debater alternativas”. Editorial do O Globo.

“Nem esquerda nem direita. Fariam melhor os líderes do País se atentassem às condições sem as quais nenhuma governança será bem-sucedida, seja qual for a inspiração ideológica”. Editorial do Estadão.

“Diligência para a impunidade. Se o poder público está arrecadando muito com os radares móveis, o problema não é a multa em si, mas o desrespeito costumeiro à legislação”. Editorial do Estadão.

“Estados atolados em gastos. Dezesseis Estados mais o Distrito Federal já perderam a garantia da União para tomar empréstimos”. Editorial do Estadão.

“Falência múltipla. Asfixia orçamentária ameaça órgãos federais; culpa não é do teto de gastos”. Editorial da Folha.

“A saga da despoluição. Histórico de fiascos lança dúvidas sobre novo projeto para o rio Pinheiros”. Editorial da Folha.

“Lava-Jato ainda é um eixo de atritos entre os Poderes. Após o abuso de autoridade, deputados irão preparar o terreno para redefinir as regras sobre o foro privilegiado”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Placar aponta resistência à indicação de Eduardo. Levantamento do Estado mostra que o presidente Jair Bolsonaro não tem hoje o mínimo de 41 votos no Senado para referendar a indicação do filho, o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), à embaixada do Brasil nos EUA. Só 15 senadores se declararam a favor, e 30 afirmaram que pretendem votar contra. Outros 35 não responderam ou se disseram indecisos. O quadro explica a cautela com que o presidente tem tratado a questão.” Na capa do Estadão.

“Substituição de importação. O Brasil é uma das principais apostas da Beiersdorf, companhia alemã dona da Nivea. O CEO global da empresa, Stefan De Loecker, veio ao país para inaugurar a ampliação da fábrica de Itatiba (SP), que custou R$ 300 milhões e vai produzir desodorantes, antes vindos da Argentina”. Na capa do Valor Econômico.

“Mercado imobiliário, enfim, esboça retomada. Com a inflação sob controle, a queda dos juros e o aumento da concorrência entre os bancos nos financiamentos, o mercado imobiliário começa a reagir, atraindo compradores como o casal Thaís de Oliveira Braga e Fabio Barbosa Gomes, com o filho Christian .” Na capa do Estadão.

“Fernández diz a Bolsonaro: ‘Não fecho economia’. O candidato de oposição na disputa à presidência da Argentina, Alberto Fernández, mandou um recado ao presidente Jair Bolsonaro: “Não se preocupe, porque não pretendo fechar a economia””. Na capa do Valor Econômico.

“Bolsonaro ataca Fernández de novo. O presidente Jair Bolsonaro voltou a atacar, por meio de sua conta no Twitter, o candidato à Presidência da Argentina Alberto Fernández, que tem a ex-presidente Cristina Kirchner como vice. Se Fernández vencer, afirmou, o povo vai sacar “em massa” o dinheiro dos bancos. Segundo Bolsonaro, “o retorno da turma do Foro de São Paulo” deixa o país mais populista.” Na capa do Estadão.

“Favorito na Argentina faz aceno de paz a Bolsonaro. Candidato do kirchnerismo e vencedor das primárias para a Casa Rosada, Alberto Fernández responde, em entrevista ao jornal La Nación, às críticas do presidente brasileiro, pedindo que “fique tranquilo”, pois não pensa “em fechar a economia”. “O Brasil continuará sendo nosso principal parceiro.” Na capa do O Globo.

“Fernández criticou gestão de Cristina, vice em sua chapa. O presidenciável argentino Alberto Fernández, 60, foi crítico do governo de Cristina Kirchner, de quem foi chefe de gabinete e hoje é vice em sua chapa. Chegou a articular a até hoje frustrada ideia de uma “avenida do meio” do peronismo.” Na capa da Folha.

“Presidente ficará isolado, diz Bebianno. Ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno diz que Bolsonaro “atira nos seus soldados pelas costas” e “vai se tornar um homem solitário”.” Na capa do Estadão.

“Previdência provoca ‘debandada’ no MP. O receio da perda de benefícios com a reforma da Previdência está provocando corrida por aposentadorias no Ministério Público e ameaça o andamento de inquéritos.” Na capa do Estadão.

“50 milhões não têm proteção trabalhista ou previdenciária. Entrevista da 2a. : José Pastore. O país deve encarar a realidade explosiva de 50 milhões de brasileiros que estão desempregados ou na informalidade, sem garantia trabalhista ou pre-videnciária, aponta o sociólogo José Pastore, 84. “A sociedade precisa encontrar proteção para o terceirizado, o freelancer, o casual”, afirma.” Na capa da Folha.

“‘Rei Arthur’, foragido, é flagrado em vida de luxo em Miami. Empresário acusado de financiar compra de votos para a Olimpíada no Rio é localizado pelo “Fantástico”, da TV Globo.” Na capa do O Globo.

“Fila para remédios especiais no Rio tem ao menos 8.500 doentes. Pelo menos 8.500 pessoas estão à espera de medicamentos para doenças graves e raras no Rio, segundo dado do governo estadual. O problema acaba se refletindo no Tribunal de Justiça, que recebeu, de janeiro a julho, 2.731 ações com pedidos de remédios e insumos, enquanto em todo o ano passado foram 2.942.” Na capa do O Globo.

“Automação pode afetar emprego de metade dos trabalhadores do país. Para pesquisadores de Harvard, investimento em educação é necessário para desenvolver habilidades que as máquinas não têm.” Na capa do O Globo.

“Rumo à recessão. O mundo caminha para uma recessão e os BCs podem não ter como evitá-la, diz Jan Lambregts, chefe global de economia do Rabobank, que prevê recessão moderada já no 2º semestre de 2020”. Na capa do Valor Econômico.

“Mil municípios podem ficar sem repasses federais. Mais de mil municípios brasileiros estão sujeitos ao bloqueio de transferências da União por deixar de prestar informações contábeis, orçamentárias e fiscais obrigatórias à Secretaria do Tesouro Nacional”. Na capa do Valor Econômico.

“País não puniu ninguém por morte de 300 presos em 3 anos. Levantamento da Folha mostra que grandes motins em presídios não tiveram nem sequer investigações policiais concluídas —250 réus aguardam julgamento por três dos massacres. Faltam testemunhas e provas”. Na capa da Folha.

“Superlotado, Pedrinhas vê melhora na estrutura. Presídio que virou símbolo de violência ainda enfrenta superlotação e facções, mas melhora estrutura, procedimentos e programas de reinserção.” Na capa da Folha.

“EMBRAER completa 50 anos em mudança de identidade. Eletricistas trabalham no jato Practor em hangar de São José dos Campos; após venda de fatia à Boeing, empresa planeja investir em produtos consolidados e novas tecnologias”. Na capa da Folha.

📃 Colunas e artigos:

“Brasil corre o risco de ficar só com Trump”. Na coluna de Fernando Gabeira, no O Globo.

“Meta fiscal está garantida, mas falta dinheiro até para limpeza nas universidades”. Na coluna de Cida Damasco, no Estadão.

“Bolsonaro vai ter de baixar a bola em intervenções”. Na coluna de Leandro Colon

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reabre nesta segunda-feira, 19, após o fim de semana fechada.

Destaque histórico:

“Em 19 de agosto de 1936, Federico Garcia Lorca é assassinado, sendo uma das primeiras vítimas da Guerra Civil Espanhola. No início de sua carreira, sofre influência de Buñuel e do mestre do surrealismo, Salvador Dali. Lorca é o poeta espanhol mais conhecido, só perdendo para Cervantes no número de edições e traduções.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu