Cidades começam a suspender vacinação; agendas do bolsonarismo no Congresso devem ser barradas

Sem novas doses, cidades de todo o país começam a suspender vacinação. Congresso deve barrar agendas do bolsonarismo. Capitais começam a paralisar vacinação e cobram o governo. Empresa busca reduzir riscos de ‘ativismo’ em redes sociais. Já circula no DF variante britânica mais contagiosa. 

Esses são destaques da grande mídia impressa, nesta quarta-feira, 17 de fevereiro de 2021.

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

*BIRÔ DE IMPRENSA*, Ano IV, Nº 829 de 17.02.2021

📃 *Manchetes do dia*:

“Sem novas doses, cidades de todo o país começam a suspender vacinação. Prefeitos cobram cronograma, mas governo diz não haver previsão de entrega de imunizantes. *Manchete de capa do O Globo*.

“Congresso deve barrar agendas do bolsonarismo. Nova cúpula do Legislativo sinaliza apoio a pautas de cunho econômico, mas não a temas com armamentos” *Manchete de capa da Folha*.

“Capitais começam a paralisar vacinação e cobram o governo. Frente de prefeitos quer que Saúde divulgue um plano de abastecimento e de imunização” *Manchete de capa do Estadão*.

“Empresa busca reduzir riscos de ‘ativismo’ em redes sociais. Maior presença da pessoa física na bolsa trouxe uma nova dinâmica para a composição de forças do mercado” *Manchete de capa do Valor Econômico*.

“Já circula no DF variante britânica mais contagiosa. Publicada na página oficial da Fundação Oswaldo Cruz na internet, a confirmação da chegada da nova cepa a Brasília.” *Manchete de capa do Correio Braziliense*.

 *Editoriais do dia*:

_*FOLHA*_

°Acima do cálculo. Mesmo sem condição política, conduta de Bolsonaro mantém debate do impeachment.” 

°”Melhor a reforma. Correto, projeto para mudar imposto sobre combustíveis não vai prosperar sozinho.”

_*O GLOBO*_. 

“Bolsonaro tenta ‘passar a boiada’ no preço do diesel. Seria absurdo usar brecha aberta pela PEC do auxílio emergencial e cortar imposto sem compensação.” 

°”Estratégia latino-americana de Bidem relega Brasil a segundo plano. Carta do senador democrata revela a desconfiança do novo governo em relação ao Brasil.” 

_*ESTADÃO*_

°”Ilegal, inoportuno e muito perigoso. Decretos que ampliam o acesso e afrouxam o controle sobre armas de fogo desrespeitam o Estatuto do Desarmamento”

°”O acordo Mercosul-UE em ponto morto. Acordo ainda depende de um concerto político centrado na questão ambiental.” 

°”Um grande passo na OMC. Escolha da diretora pode ser um ganho importante para a ordem multilateral.” 

°”Apoio à micro e pequena empresa de São Paulo. Medidas de restrição à circulação e à aglomeração de pessoas, afetaram duramente as atividades das empresas” 

_*CORREIO BRAZILIENSE*_

°“Um tiro no escuro. Enquanto o Brasil perde tempo com decretos de armas, os números da pandemia só aumentam” 

_*VALOR ECONÔMICO*_

°“Mais um pacote nefasto para facilitar posse e uso de armas. Bolsonaro dificulta o rastreamento oficial de armas e munições obtidas ilegalmente.” 

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments