Censura, lobby, agressões e estatais são os temas das manchetes

🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 303- A 113 dias do fim do ano de 2019, hoje é segunda-feira, 09 de setembro de 2019, 252º dia do ano.

*Sinopse da grande mídia impressa*: Decisão do Supremo suspendendo a proibição da venda de livros com temática LGBT na Bienal do Livro em São Paulo (O Globo), lobby de servidores contra demissão e corte salarial, no Congresso, ritmo de agressões contra mulheres no Brasil e pretensão de Guedes em vender todas as estatais são os destaques das manchetes dos grandes jornais.

E tem mais…

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

📃 *Manchetes do dia*:

“Supremo proíbe Crivella de proibir livros na Bienal. Liminar de Toffoli impede prefeito de recolher obras com temática LGBT”. Manchete de capa do O Globo.

“Servidores organizam lobby contra demissão e corte salarial. Frente Parlamentar com 241 congressistas foi criada para resistir a reforma administrativa ‘dura’ preparada pelo governo”. Manchete de capa do Estadão.

“Brasil registra 1 agressão a mulher a cada 4 minutos. Dados analisados pela Folha indicam tendência de aumento das notificações”. Manchete de capa da Folha.

“Guedes quer vender todas as estatais. O ministro da Economia, Paulo Guedes, pretende propor a privatização de todas as empresas estatais. A decisão final é do Congresso. “A minha obrigação é fazer o diagnóstico e entregar a prescrição. O Congresso vai decidir”, disse o ministro ao Valor”. Manchete de capa do Valor Econômico.

📃 *Editoriais do dia*:

“Partidos políticos enriquecem no país em crise. Estrutura dispendiosa contrasta com fiscalização frágil, inviabilizada pela legislação”. Editorial do O Globo.

“Prefeitura não pode asfixiar um dos maiores eventos turísticos da cidade. Rio corre o risco de perder espaço para outros lugares, como São Paulo, onde o carnaval cresce”. Editorial do O Globo.

“Polarização inoperante. Governo e oposição, imersos em concepções reducionistas, não estão preocupados com a realidade e em dar resposta aos problemas reais. O País fica à deriva”. Editorial do Estadão.

“Desigualdades latino-americanas. A América Latina apresenta três agravantes estruturais: as desproporções nos modelos de tributação e transferência de renda; o mercado informal; e as disparidades de gênero”. Editorial do Estadão.

“O acordo Mercosul-Efta. O silêncio presidencial será música para os ouvidos de quem trabalha pelo comércio vigoroso entre Brasil e Efta”. Editorial do Estadão.

“Rumo ao teto. É preciso preparar ajuste para quando a despesa do governo chegar ao limite”. Editorial da Folha.

“1 para a frente, 2 para trás. Projeto aprovado pela Câmara promove novo retrocesso na legislação eleitoral”. Editorial da Folha.

“Boa imagem internacional dá lugar à diplomacia da ofensa. O mau humor com o Brasil vai ferindo progressivamente a imagem de conciliação e bom diálogo com todos”. Editorial do Valor Econômico.

📃 *Outros destaques*:

“Sem verbas, ministérios correm atrás de emendas parlamentares. Executivo vai negociar com deputados e senadores, que terão mais dinheiro no Orçamento, para reforçar ministérios e garantir investimentos”. Na capa do Estadão.

“Despesa com inativos é crescente nos Estados. À espera de uma definição sobre a reforma previdenciária dos Estados, os governadores enfrentam a pressão dos gastos com inativos e pensionistas. Segundo dados dos relatórios fiscais, nos 26 Estados e no Distrito Federal a despesa com folha do Executivo cresceu 4,86% nos 12 meses encerrados em abril”. Na capa do Valor Econômico.

“Petrobras vai na contramão das petroleiras. A atual gestão da Petrobras planeja investir em fontes renováveis de energia apenas em caráter de pesquisa e inovação, indo na contramão das grandes companhias internacionais de petróleo”. Na capa do Valor Econômico.

“Desmatamento na Amazônia em agosto cresce 222% em relação ao mesmo mês de 2018. Em agosto deste ano foram desmatados 1.698 quilômetros quadrados de floresta, segundo o Inpe”. Na Folha.

“Desmatamento na Amazônia aumenta 91,9% em 2019. De janeiro a agosto, foram destruídos 6.404,4 km² na Amazônia brasileira, contra 3.336,7 km² no período em 2018, segundo Inpe.” Na capa do O Globo.

“Suicídios crescem em Brumadinho depois da lama. Suicídios passaram de 1 para 3 e tentativas, de 30 para 39 na comparação do primeiro semestre de 2018 com o mesmo período de 2019; uso de antidepressivos cresceu 60% e de droga contra ansiedade, 80%. Trauma é semelhante ao de guerra, afirma especialista”. Na capa do Estadão.

“STF barra censura a livros LGBT e vendas crescem. ‘Regime democrático pressupõe um ambiente de livre trânsito de ideias’, diz o ministro Dias Toffoli, presidente da corte”. Na capa da Folha.

“Censura é usada por políticos como aceno à base conservadora. Apelo às pautas de costumes se intensificou com ação de Crivella na Bienal e de Doria com material didático”. Na capa do O Globo.

“Antes da conclusão das investigações, a força-tarefa da Lava Jato em Curitiba pediu de forma “abrupta e antecipada” o arquivamento de um inquérito da Polícia Federal sobre a instalação de um grampo na cela do doleiro Alberto Youssef, segundo o delegado responsável pelo caso. À época, a investigação da PF tentava descobrir o que motivou a instalação da escuta e se houve tentativa de abafar internamente o caso.” Na Folha.

“PT vai pressionar STF a se manifestar sobre conduta de Moro e HC de Lula. Defesa de Lula diz que mensagens expõem grosseira ilegalidade de Moro e da Lava Jato”. Na Folha.

“Proposta que esvazia cotas para mulheres gera divergências no Congresso. Questão deve ser definida até outubro para valer em 2020, o que tem agitado discussões”. Na Folha.

“Na contramão de negócios próprios, empresário recomenda cautela. ‘Empreendedor acorda todo dia desempregado e tem que correr atrás’, diz empresário Fábio Rodrigues”. Na capa da Folha.

“Primeiro grande empresário a apoiar Bolsonaro, Meyer Nigri, dono da Tecnisa, fez “peregrinação” no governo em defesa da criação de linha de crédito imobiliário corrigida pelo IPCA, índice oficial da inflação. E conseguiu.” Na capa do Estadão.

“Filantropia com o selo da Verde. CEO do Verde Asset Management implanta gestão profissional para fortalecer a filantropia”. Na capa do Estadão.

“CNPq terá corte de 87% em fomento à pesquisa”. Na capa do O Globo.

“Hering vence Hering na luta por marca. Terminou uma disputa de mais de duas décadas pela marca Hering e pela titularidade do logotipo com os dois peixinhos. O Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu que a Cia Hering, que tem extensa rede de lojas próprias pelo país, é a legítima dona dos dois símbolos e não a Lojas Hering”. Na capa do Valor Econômico.

“Bradesco investe em startups. Em busca de inovação, agronegócios, softwares de gestão e cupons de descontos são algumas das apostas do Inovabra Ventures, fundo de capital de risco do Bradesco que investe em startups”. Na capa do Valor Econômico.

“Na própria pele. Veto ao uso de animais em testes de empresas e laboratórios fez a L’Oréal abrir no Brasil unidade de sua subsidiária Episkin, que produz pele humana reconstruída, diz Rodrigo De Vecchi”. Na capa do Valor Econômico.

“O exportador brasileiro enfrenta pelo menos 43 barreiras comerciais impostas por países que compõem o G-20, segundo levantamento da Confederação Nacional da Indústria (CNI), obtido com exclusividade pelo ‘Estadão/Broadcast’. A previsão da instituição é que o número chegue a 50 até o fim do ano.” Na capa do Estadão.

“UE poderá criar a ‘taxa carbono’. A nova presidente da Comissão Europeia, a alemã Ursula von der Leyen, que assume no dia 1 de novembro, pretende introduzir uma “taxa carbono” que colocará mais pressão sobre os parceiros na área ambiental”. Na capa do Valor Econômico.

“Diplomacia não é concurso de insultos, diz chanceler francês sobre tensão com Brasil. Ministro lamentou as ofensas de Bolsonaro e Guedes à primeira-dama francesa”. Na Folha.

“Entrevista da 2ª. Konstantin Novoselov, físico russo. Recomensa da ciência não é rápida, mas é vital”. Na capa da Folha.

“Após 5 horas de cirurgia Bolsonaro tem quadro estável. Presidente agradece apoio em rede social. Vice-presidente Hamilton Mourão ficará no exercício da presidência até quinta-feira”. Na capa da Folha.

“Após 4ª cirurgia, Bolsonaro diz que voltará logo. Presidente passa bem, segundo médico, mas deve ficar internado por até dez dias”. Na capa do Estadão.

“Após cirurgia, Bolsonaro se recupera em SP. Procedimento para corrigir hérnia levou cinco horas. Vice Hamilton Mourão assumirá até quinta-feira; depois, presidente despachará do hospital enquanto estiver em São Paulo. Viagem a Nova York, para assembleia da ONU, deverá ser mantida”. Na capa do O Globo.

“Casas populares são novo alvo do crime organizado. Como facções tomam imóveis do Minha Casa Minha Vida”. Na capa do O Globo.

“Estudo liga capital de commodities a desmatamento”. Na capa da Folha.

“Igreja discute ordenação de sacerdotes indígenas para resgatar presença em terras amazônicas”. Na capa da Folha.

“Primeiro palácio de governo do Brasil deve virar hotel em Salvador. Medida do governo do estado enfrenta oposição de arquitetos, contrários à cessão ao setor privado”. Na Folha.

“Venda de celular pirata no país deve triplicar este ano. Vendas de celulares contrabandeados e piratas devem triplicar este ano”. Na capa do O Globo.

“Avigdor Lieberman, ex-amigo de Netanyahu, é o seu principal rival nas eleições de Israel”. Na capa da Folha.

“Capão Redondo lidera ranking de violência contra a mulher em SP”. Na capa da Folha.

“Taleban ameaça EUA após recuo de Trump. Presidente pretendia reunir representantes do governo afegão e do grupo terrorista na semana do aniversário do 11 de setembro nos EUA, mas recuou depois de um atentado do grupo que matou 12 pessoas, entre elas um soldado americano”. Na capa do Estadão.

📃 *Colunas e artigos*:

“A corrente anti-Lava-Jato. Quando eleitores se derem conta de que a luta de Bolsonaro contra a corrupção era da boca pra fora, seu prestígio vai desabar mais”. Na coluna de Fernando Gabeira, no O Globo.

“30 anos, amanhã. Hoje, o líder que nasceu da derrubada de um muro converteu-se no principal arauto da construção de muros. Orbán é a face icônica da Europa xenófoba. Orbán não economiza elogios ao governo de um país distante: “A mais apta definição da democracia cristã moderna pode ser vista no Brasil, não na Europa”. Na coluna de Demetrio Magnoli, no O Globo.

“As bordunas que nos esperam. Um presidente da República devia pensar bastante antes de falar. Sobretudo se vai comentar notícia pública”. Na coluna de Cacá Diegues, no O Globo.

“Atacar gays não melhora popularidade. Três em cada quatro eleitores concordam que homossexualidade deve ser aceita por toda a sociedade”. Na coluna de Vinícius Mota, na Folha.

“A última tacada de Moro. Asfixiado por Bolsonaro, Moro aposta em plano de segurança para sobreviver”. Na coluna de Leandro Colon, na Folha.

“O presidente incivil e a opinião pública. O relógio presidencial deveria estar marcando horas, mas marca segundos”. Na coluna de Marcus André Melo, na Folha.

“Depois do pesadelo. Não se sabe o rumo deste governo; riscos são grandes”. Na coluna de Luiz Carlos Bresser-Pereira, na Folha.

“Leitura no cárcere. Livros na prisão mudam a forma de pensar e de agir”. Na coluna de Galeno Amorim, na Folha.

“A vida vale pouco. No Brasil de 2019, todo mundo anda armado e mata-se por qualquer coisa”. Na coluna de Ruy Castro, na Folha.

“Instituição é coisa de petista? Progresso institucional que Bolsonaro vem revertendo aconteceu nos anos Lula e Dilma”. Na coluna de Celso Rocha de Barros, na Folha.

“Contra-ataque sobre Amazônia já começou. Região ‘não é zoológico para se ficar observando’, diz ministro Ricardo Salles ao Wall Street Journal”. Na coluna de Nelson de Sá, na Folha.

“Israel e o dilema EUA-China. País quer se aproximar de Pequim, mas enfrenta resistência de Washington”. Na coluna de Jaime Spitzcovsky, na Folha.

“Programa de embaixadores do turismo da Embratur preocupa empresas do setor. Após lutador de jiu-jitsu chamar Macron de ‘franga’, setor estima queda na demanda”. Na coluna Painel S/A, na Folha.

“País não pode perder o bonde do desenvolvimento tecnológico. Agenda de tendências tecnológicas é ainda mais densa do que a de reorganizar economia do país”. Na coluna de Ana Paula Vescovi, na Folha.

“Bolsa Família, política de Estado. Eficaz para erradicar pobreza, programa não pode seguir refém de governos”. Artigo de Tabata Amaral, na Folha.

“Hildegard Angel recebe certidão oficial de óbito da mãe e do irmão, mortos pela ditadura. Documentos apontam como causa ‘morte não natural, violenta, causada pelo Estado brasileiro’”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“Atitudes do presidente geram aflição, mas qualidade institucional e competição política dão solidez à nossa democracia.” Na coluna de Carlos Pereira, no Estadão.

“No debate do teto de gastos e da volta da CPMF, ajudaria muito se o presidente só falasse depois de ter posição firme.” Na coluna de Cida Damasco, no Estadão.

📊 *Mercado*: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) reabre nesta segunda-feira, 09, após o final de semana fechada.

⏳ *Destaque histórico*:

Em 09 de setembro de 1945, na Segunda Guerra Sino-Japonesa, o Império do Japão se rende formalmente à China.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu