Livros, economia e greve são os destaques das manchetes dos jornais

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 301- A 115 dias do fim do ano de 2019, hoje é sábado, 07 de setembro de 2019, 250º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa: Ordem de recolher livros quadrinhos expedido por Crivella na Bienal do Livro, no Rio, visto como censura, é destaque da manchete do O Globo e, também, na primeira página de outros jornais e análises de colunistas.

Na manchete da Folha, o fato em destaque é uma pesquisa do instituto Datafolha que detecta queda no otimismo da população com a economia brasileira. Expectativa é de crescimento abaixo dos 2%.

Em São Paulo, termina a greve dos ônibus com a assinatura de novos contratos patrocinados pelo prefeito Bruno Covas e o assunto vira manchete do Estadão.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Censura na Bienal. Fiscais da prefeitura fazem batida para recolher livro. Operação de guerra. Agentes da Secretaria de Ordem Pública vasculham estandes de evento literário em busca de história em quadrinhos em que dois garotos se beijam: à noite, Justiça proibiu, em liminar, novas ações da prefeitura”. Manchete de capa do O Globo.

“País espera crescimento abaixo de 2% em 2020. Datafolha aponta queda no otimismo com a situação econômica; para 59%, Brasil não volta a reagir tão cedo”. Manchete de capa da Folha.

“Após greve, Covas assina contratos de ônibus de R$ 63 bilhões. Polícia vai investigar possível locaute; Prefeitura diz que novos contratos renderão menos às empresas”. Manchete de capa do Estadão.

📃 Editoriais do dia:

“Fraudes nos Correios mostram urgência de privatização. Governo, Congresso e Judiciário precisam se unir para impulsionar a venda de empresas estatais”. Editorial do O Globo.

“Mísseis na fronteira aumentam tensão entre Venezuela e Colômbia. Evitar conflito é fundamental, até para acelerar a inevitável queda da cleptocracia de Maduro”. Editorial do O Globo.

“Contrato de risco. Bolsonaro revela desprezo pela autonomia do Ministério Público com indicação”. Editorial da Folha.

“Emprego em pacote. Melhora substantiva do mercado de trabalho depende de investimento privado”. Editorial da Folha.

“A escolha do procurador-geral. São tempos de fato esquisitos. O cumprimento de uma competência privativa do presidente foi visto por alguns procuradores como afronta à autonomia do MPU”. Editorial da Folha.

“Tecnologia e humanidade na saúde. Segundo a OMS, universalização da cobertura em saúde não pode ser conquistada sem saúde digital”. Editorial do Estadão.

“Pelo menos a inflação alivia. As condições de emprego continuam ruins, mas a inflação joga a favor dos brasileiros”. Editorial do Estadão.

📃 Outros destaques:

“ICMBio gasta R$ 39 milhões com frota de carros ociosa. Os 377 carros inutilizados têm despesa com combustível e manutenção, aponta auditoria”. Na capa do Estadão.

“Saúde corta repasses. Ministério da Saúde faz compra emergencial de 47 milhões de vacinas pela Organização Pan-Americana de Saúde”. Na capa do Estadão.

“União quer passar gastos com ensino básico a Estados. Para abrir espaço no Orçamento, sem ferir a regra do teto de gastos, equipe econômica busca transferir para governos regionais a gestão do Salário Educação, contribuição social paga por empresas que banca 12 programas ligados ao ensino básico”. Na capa do Estadão.

“Governo quer uso de FGTS em imóvel mais caro. Governo quer autorizar uso de recursos para imóveis acima de R$ 1,5 milhão”. Na capa do O Globo.

“Ministro tem plano para ‘desmontar centrão’. Luiz Eduardo Ramos, da Secretaria-Geral de Governo, pretende retirar cargos de deputados federais infiéis ao governo; Planalto já tem lista de dissidentes que estão perto de perder postos nos estados”. No O Globo.

“Governo paga R$ 2,1 bilhões por acordos com deputados. Negociação da reforma da Previdência rendeu verba do Ministério da Saúde”. No O Globo.

“Faca usada contra Bolsonaro pode virar peça de museu. Pedido é do Ministério Público Federal de Minas, e item continua guardado”. No O Globo.

“Aras tem apoios em comissão do Senado. Indicado por Bolsonaro, subprocurador avisa à presidente da CCJ, Simone Tebet, que vai visitar todos os 81 senadores; presidente volta a defender escolhido”. Na capa do Estadão.

“Aras se aproximou mais do governo após liberar licitação {do tramo central da Ferrovia Norte-Sul que um mês antes recomendara suspender}”. Na capa da Folha.

“Escolha de Aras desagrada à base fiel de Bolsonaro. Na avaliação do Planalto, indicação de Aras é o episódio que deixou Bolsonaro mais vulnerável”. Na capa do O Globo.

“Após indicação, Ministério Público já tem duas baixas. Procuradores que comandariam MPF em Sergipe criticaram escolha do presidente ‘por alinhamento’ e fora da lista tríplice”. No O Globo.

“‘Padrinho’ de Aras, o ex-deputado que atua como emissário presidencial. Condenado na Justiça e derrotado nas urnas, Alberto Fraga é amigo do presidente há décadas”. No O Globo.

“Dodge pede arquivamento de mais trechos de delação. Na colaboração de Léo Pinheiro, havia referência a Humberto Martins, do STJ, e José Múcio, do TCU”. No O Globo.

“PF prende Indio da Costa por fraudes nos Correios. Esquema na empresa cobraria por indicações de cargos e teria movimentado R$ 13 milhões; o grupo procurava grandes clientes da empresa e oferecia preços melhores para que rompessem seus contratos com a estatal”. No O Globo.

“Bretas autoriza quebra de sigilo bancário de Jucá e Lobão. Sem mandatos, os ex-senadores do MDB perderam o foro privilegiado; juiz acolheu pedido feito pelo Ministério Público Federal”. No O Globo.

“Bolsonaro se alinha mais a evangélicos ante rejeição”. Na capa da Folha.

“Chanceler de Dilma sairá dos EUA para ida de presidente”. Na capa da Folha.

“Países fecham pacto sobre a Amazônia. Países amazônicos se reúnem na Colômbia e, em vídeo, Bolsonaro volta a reclamar de reservas indígenas”. Na capa do O Globo.

“BB negocia parceria com o suíço UBS. Emissões. Instituições negociam formação de joint venture, que pode ser criada em outubro e unirá estruturas de ambas no segmento; acordo já havia sido formalizado em gestão anterior, mas ficou suspenso por conta de processo eleitoral e voltou à mesa”. Na capa do Estadão.

“Justiça impede Crivella de caçar HQ com beijo gay. Fiscais da prefeitura foram ontem à Bienal recolher exemplares de obra criticada por Crivella; Tribunal de Justiça do Rio proibiu apreensão”. Na capa do Estadão.

“Crivella tenta censurar HQ com beijo gay, mas é barrado”. Na capa da Folha.

“Garoto torturado em mercado usa crack e vive na rua”. Na capa da Folha.

“Covas assina novo contrato de ônibus e greve acaba”. Na capa da Folha.

“Neto de Nelson Rodrigues quer levar obras de seu avô para Hollywood”. Na capa da Folha.

“Obituário. Robert Mugabe, ex-ditador do Zimbábue, aos 95 anos”. Na capa do O Globo.

“Atletas de direita surfam em onda conservadora e defendem Bolsonaro”. Na capa da Folha.

“Neymar faz gol na volta à seleção, e Brasil empata com a Colômbia”. Na capa do O Globo.

📃 Colunas e artigos:

“Bolsonaro exige lealdade pública. Para além da grosseria, o comentário do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a primeira-dama francesa Brigitte Macron revela um dos lados mais perversos do governo, a necessidade de prestar vassalagem a Bolsonaro.” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Efeitos da crise do comércio externo chegam. Num ano instável na economia global, comércio externo vai afetar o PIB brasileiro, com queda nas exportações e importações”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Boa notícia no futebol na área da tolerância. O prefeito do Rio de Janeiro operou um milagre ontem. Ao enviar seus homens à Bienal do Livro para identificar e lacrar obras potencialmente “impróprias”, Marcelo Crivella fez o futebol de elite no Brasil parecer um ambiente tolerante, quase iluminista.” Na coluna de Martíns Fernandez, no O Globo.

“Sarampo em 7 de setembro. O retorno do sarampo veio com menor número de mortes, mas expõe a perda de controle da situação sanitária. Desandou, e não foi por falta de dinheiro ou culpa dos vizinhos venezuelanos. A fronteira que separa bolsonaristas e apoiadores de Maduro seria incapaz de deter a propagação de uma doença altamente contagiosa e devastadora.” Na coluna de Ligia Bahia, no O Globo.

“Há dez mil anos atrás. É espantoso o que presenciamos hoje em nosso país: desafios ambientais são subestimados, a ciência é questionada, cortes substanciais são feitos nos orçamentos das universidades e órgãos de pesquisa. Os dez mil anos de história não estão sendo suficientes para compreensão da importância da ciência e tecnologia para o progresso humano.” Artigo de Suzana Kahn, vice-diretora do Coope/RJ.

“Uma censurazinha não dói. Apesar da clareza do que está na Constituição, a censura nunca deixou de dar as caras”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

“No país da brincadeira. A cacofonia do governo Bolsonaro cristaliza a percepção de que o Brasil vive uma algazarra institucional”. Na coluna de Julianna Sofia, na Folha.

“O torturador da esquina. A vergonha de ver o presidente Bolsonaro enaltecendo ditaduras”. Na coluna de Alvaro Costa e Silva, na Folha.

“Religião. Se misturadas, política e religião produzem conflitos sociais duradouros e de difícil reversão”. Artigo semanal de Fernando Haddad, na Folha.

“O projeto Future-se, que prevê financiamento de universidades federais, é adequado? SIM. Quebra a barreira entre mundo acadêmico e empresas”. Artigo de Benedito Guimarães Aguiar Neto, presidente do Conselho de Reitores das Universidades Brasileiras (Crub) e reitor da Universidade Presbiteriana Mackenzie (SP), na Folha.

“O projeto Future-se, que prevê financiamento de universidades federais, é adequado? NÃO. Modelo afronta a autonomia e a gestão universitárias”. Artigo de Newton Lima, ex-reitor da UFSCar (1992-96), ex-deputado federal pelo PT-SP (2011-14) e ex-presidente da Comissão de Educação da Câmara dos Deputados (2012), na Folha.

“Líderes da lista tríplice rejeitada por Bolsonaro pedem ‘vigilância’ e dizem que Aras é ‘um entre 1.160’”. Na coluna Painel, da Folha.

“O Povo contra o Parlamento. Solução da corrente radical do brexit é esvaziar a democracia de sua substância”. Na coluna de Demetrio Magnoli, na Folha.

“Recolhimento de HQ viola o Estado de Direito. Tentativa de intervenção da prefeitura na Bienal não só lembra a atuação da censura, mas afronta decisão do Supremo”. Artigo de Renan Quinalha, na Folha.

“Supervilões da vida real é que fazem cara feia aos heróis gays. A tentativa de censura na Bienal do Livro do Rio de Janeiro cheira a mofo, como gibis antigos”. Artigo de Diogo Bercito, na Folha.

“Por que o borogodó de Brigitte incomoda tanto? A primeira-dama da França liberta outras mulheres que querem envelhecer com mais liberdade”. Artigo de Mirian Goldenberg, antropóloga e professora da Universidade Federal do Rio, é autora de ‘A Bela Velhice’”. na Folha.

“Na Lei de Abuso de Autoridade, Bolsonaro não contará com Maia e Alcolumbre. Eles farão o que os colegas desejarem.” Na coluna de João Domingos, no Estadão.

“PSL quer irmão de Alcolumbre candidato. Em mais um sinal da proximidade de Davi Alcolumbre com o governo de Jair Bolsonaro, Josiel Alcolumbre, irmão do presidente do Senado, está sendo cortejado pelo PSL para ser candidato a prefeito de Macapá.” Na Coluna do Estadão, no Estadão.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a sexta-feira, 06, em alta de 0,68 %, a 102.935 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -0,78%, a R$4,08. O euro fechou em queda de -1,06%%, a R$4,49.

Destaque histórico:

Em 07 setembro de 1822, Dom Pedro I declara o Brasil independente de Portugal nas margens do riacho do Ipiranga, em São Paulo.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu