Democracia, segurança e negócios se destacam nas manchetes

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 305- A 111 dias do fim do ano de 2019, hoje é quarta-feira, 11 de setembro de 2019, 254º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa: Reações à fala de Carlos Bolsonaro fazem o destaque das manchetes do O Globo e do Estadão. Jornais realçam falas do vice-presidente Hamilton Mourão e de congressistas, em defesa da democracia. Folha de São Paulo ressalta queda de assassinatos, em 2018, e ressalva que polícia matou mais. O Valor Econômico salienta em sua manchete a chegada, ao Brasil, da Amazon Prime, derrubando suas concorrentes na Bolsa de Valores de São Paulo.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Congresso e Mourão reagem a Carlos e exaltam democracia. Maia e Alcolumbre condenam declaração do filho do presidente”. Manchete de capa do O Globo.

“Mourão e Congresso rebatem Carlos e defendem democracia. Afirmação do filho do presidente de que transformação do País não ocorrerá por vias democráticas recebeu críticas”. Manchete de capa do Estadão.

“Assassinatos caem 10% em 2018, mas polícia mata mais. Dados registram primeiro recuo desde 2015; RJ tem a força de segurança mais letal”. Manchete de capa da Folha.

“Avanço da Amazon agita varejo eletrônico no país. A Amazon, gigante americana com vendas anuais de US$ 233 bilhões (quase R$ 1 trilhão), está no mercado brasileiro há sete anos sem perturbar as concorrentes brasileiras. Mas ao lançar ontem seu “Amazon Prime”, promoveu um visível estrago no valor de mercado das companhias de varejo eletrônico no país”. Manchete de capa do Valor Econômico.

📃 Editoriais do dia:

“Flerte com o golpismo. O presidente Jair Bolsonaro precisa dizer claramente aos brasileiros o que pensa sobre a declaração de seu filho Carlos”. Editorial do Estadão.

“Otimismo depois da vírgula. O crescimento estimado para este ano passou de 0,81%, número publicado em julho, para 0,85%, de acordo com o Boletim MacroFiscal”. Editorial do Estadão.

“Mais uma MP arbitrária. Medida provisória que altera as regras de publicidade das licitações e contratos do poder público é inconstitucional”. Editorial do Estadão.

“A volta da CPMF requer debates e explicações. É grande a resistência ao imposto, com razão, e por isso será preciso um esforço de convencimento”. Editorial do O Globo.

“Boris Johnson eleva protagonismo na grave crise política britânica. Novo premier acumula sucessivas derrotas no Parlamento, mas não desiste de sair da UE sem acordo”. Editorial do O Globo.

“Moderador de apetite. Sem respaldo da opinião pública, pauta de costumes da direita para no Congresso”. Editorial da Folha.

“O conto do grafeno. Um descobridor do material citado por Bolsonaro dá singela lição sobre a ciência”. Editorial da Folha.

“O Estado precisa de uma reforma administrativa séria. É necessário restringir a estabilidade a carreiras típicas”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Homicídios caem; mortes em ações da polícia sobem. País registrou 57.341 mortes violentas em 2018. Uma em cada dez foi causada por agentes de segurança, diz relatório”. Na capa do O Globo.

“Homicídio cai 10%; letalidade da polícia sobe 20%”. Na capa do O Globo.

“País está entre 5 com piores taxas no ensino superior. Média de brasileiros com ensino superior fica abaixo da taxa mundial, diz OCDE”. Na capa do O Globo.

“Governo quer aprovar já união de PIS e Cofins. Proposta do governo é começar com unificação apenas de PIS e Cofins”. Na capa do O Globo.

“Sem dinheiro, governo vai usar FGTS no Minha Casa. Portaria libera fundo para arcar com 100% da subvenção para o programa, que está com obras paradas; medida deve destravar R$ 26,2 bilhões em investimentos para as faixas 1,5 e 2, direcionadas às famílias com renda de até R$ 4 mil”. Na capa do Estadão.

“Orçamento precisa reduzir indexação ou cortar alta da despesa, defende SPE. Do total de aumento de despesas, 81% vêm da correção dos valores ou do crescimento do gasto, aponta Secretaria de Política Econômica”. Na capa do Valor Econômico.

“Um rico acervo ao abandono. As obras do paisagista Roberto Burle Marx na cidade sofrem com o desleixo, como é o caso do entorno do MAM, que tem o lago imundo e o calçamento em mau estado. Uma exceção é o sítio onde ele morou em Barra de Guaratiba, candidato a Patrimônio Cultural Mundial da Unesco.” Na capa do O Globo.

“Eduardo mantém hábito de andar armado fora da Câmara. Deputado carregava pistola ontem em evento na sede da Firjan, no Rio”. No O Globo.

“Justiça de SP determina devolução de apostilas. Material recolhido por ordem do governador João Doria tratava de questões de identidade de gênero; segundo decisão, retirada de livros provocaria prejuízo aos cofres públicos. Para professores, proibição foi ‘censura’”. No O Globo.

“Justiça manda governador devolver apostilas”. Na capa do Estadão.

“Justiça manda governo de SP devolver a alunos apostilas recolhidas por ordem de Doria”. Na Folha.

“Sem base organizada, governo enfrenta testes no Senado. Assuntos de interesse do Planalto vão de indicação de Eduardo Bolsonaro para embaixada à CPMI das Fake News”. No O Globo.

“Cotado para PF é próximo de filhos de Bolsonaro. Ex-diretor da Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal e atual secretário de Segurança do Distrito Federal, Anderson Torres defendeu, em 2016, a autonomia financeira e administrativa do órgão”. No O Globo.

“Moro busca explicação sobre deputado do PSL. Hélio Lopes é próximo a Bolsonaro, e ministro tenta entender se seu nome teria sido incluído indevidamente em inquérito”. No O Globo.

“Moro manda PF investigar ‘caso Hélio Negão’. Inserção forjada do nome de Hélio Negão em investigação teria sido estopim para queda do superintendente no Rio”. Na capa do Estadão.

“País supera 180 estupros por dia; 54% das vítimas têm até 13 anos”. Na capa da Folha.

“Governo planeja criar imposto de 0,4% sobre saques e depósitos”. Na capa da Folha.

“Galeria Almeida & Dale é investigada pela Lava Jato por lavagem de dinheiro”. Na Folha.

“PF suspende delegado após erro em sindicância sobre grampo na Lava Jato”. Na Folha.

“Conselho nega afastamento de Deltan até julgamento de processo disciplinar”. Na Folha.

“Carlos Bolsonaro diz que frase sobre democracia foi justificativa a quem cobra urgência”. Na Folha.

“Eduardo Bolsonaro compara Carlos a Winston Churchill por fala sobre democracia”. Na Folha.

“Sem previsão de alta, Bolsonaro apresenta melhora contínua após cirurgia”. Na Folha.

“Investigação da Lava Jato mira campanhas e núcleo de confiança de Dilma”. Na Folha.

“Faca usada por Adélio Bispo em ataque a Bolsonaro irá para museu no DF”. Na Folha.

“Livro busca entender oscilações recentes da democracia brasileira”. Na Folha.

“Novo caça do Brasil é entregue, e programa enfrenta cortes de verba”. Na Folha.

“Lula terá audiência com Conselho Nacional de Direitos Humano”. Na Folha.

“Caso Neymar. Najila é indiciada por três crimes. Najila Trindade responderá por calúnia, extorsão e fraude processual; ex-marido também foi denunciado pela polícia”. Na capa do O Globo.

“Apenas 0,8% dos brasileiros de 25 a 64 anos concluíram curso de mestrado”. Na Folha.

“Efeito Amazon. B2W, Via Varejo, Americanas e Magazine Luiza despencam na Bolsa após lançamento do serviço de fidelização Amazon Prime no País”. Na capa do Estadão.

“Trump demite Bolton, assessor linha-dura”. Na capa do O Globo.

“Trump demite assessor que pressionava por ações militares no Irã e na Venezuela”. Na Folha.

“‘Bolton já foi tarde’, diz embaixador. Diplomata brasileiro teve mandato abreviado em agência de controle de armas químicas após pressão de Bolton. Destituído de agência de controle de armas químicas após pressão de John Bolton, o diplomata José Maurício Bustani diz que demissão do assessor de Segurança Nacional por Trump corrige equívoco.” Na capa do Estadão.

“Com demissão de Bolton, Brasil perde interlocutor no governo Trump”. Na Folha.

“Brasil e EUA vão discutir meios de facilitar comércio”. Na capa da Folha.

“Netanyahu promete anexar terras ocupadas. Em campanha, premier israelense fala em ‘soberania’ no Vale do Rio Jordão e norte do Mar Morto; ONU diz que medida teria ‘efeito devastador‘”. Na capa do O Globo.

“Em promessa eleitoral, Netanyahu diz que anexará parte da Cisjordânia”. Na Folha.

“Venezuela fará exercícios militares na fronteira, e Colômbia entra em alerta”. Na Folha.

“China ‘exporta’ deflação até para o Brasil. A baixa dos preços das commodities minerais e agrícolas no atacado, decorrente da redução na demanda da China, explica, em parte, os índices que apresentam deflação no Brasil”. Na capa do Valor Econômico.

📃 Colunas e artigos:

“Os Bolsonaro não dão valor à democracia. Não, não é coincidência, nem má interpretação. A família Bolsonaro vem, há anos, dando sinais de que não considera a democracia um valor em si mesma. “Através do voto, você não muda nada no país. Tem que matar uns 30 mil”, já dizia o patriarca em entrevista em 1990.” Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“As palavras querem dizer o que elas dizem. Os períodos autoritários sempre nasceram simulando a defesa de ideias que não poderiam ser implantadas na democracia. As instituições democráticas seriam estorvo nessa visão autoritária.” Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“De censura e liberdade. O descrédito do prefeito do Rio é tão grande que, quando ele dá uma ordem, o efeito involuntário é exatamente o contrário. A sua tentativa de censurar livros na Bienal, por exemplo, produziu o aumento de vendas que permanece até hoje, não apenas durante o evento.” Na coluna de Zuenir Ventura, no O Globo.

“Carluxo disse o que o pai pensa. O novo surto de Carlos Bolsonaro espelha as ideias autoritárias do pai. Jair foi eleito nas urnas, mas nunca escondeu o desprezo pela democracia.” Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

“Ataque à democracia feito por Carlos Bolsonaro é cortina de fumaça para traição de discurso eleitoral sobre corrupção.” Na coluna de Vera Magalhães, no Estadão.

“Reforma política: reformar o quê, quando, para quê?”. Artigo de Bolívar Lamounier, no Estadão.

“O que vai pelo mundo. Democracia, liberalismo e soberania estão regredindo a formas geopolíticas arcaicas”. Artigo do sociólogo Paulo Delgado, presidente do Conselho de Economia & Política da Fecomércio-SP, no Estadão.

“Não terminará sem choro e sem ranger de dentes o embate em torno da CPI da Lava Toga no Senado. O grupo pró-instalação da comissão (cerca de 20 parlamentares) chega a ameaçar, reservadamente, impor dificuldades na Casa à votação da reforma da Previdência e às sabatinas de Augusto Aras”. Na Coluna do Estadão, no Estadão.

“O que o tuíte de Carlos revela sobre o populismo de Bolsonaro. Presidente e aliados seguem linha que apresenta democracia como entrave a mudanças”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Fenômeno raro. A criação da carteirinha digital de estudante é um dos raros acertos de Bolsonaro”. Na coluna de Helio Schwartsman, na Folha.

“Estados: crise fiscal e instrumentos de gestão. Reduzir jornada e salário de servidores é uma saída”. Artigo de Paulo Hartung, na Folha.

“Supremo, Lava Jato e ampla defesa. Delator tornou-se verdadeiro ‘auxiliar da acusação’”. Artigo de Diogo Tebet, na Folha.

“A senadores, Aras diz que Lava Jato não pode se perder em ‘vaidades pessoais’”. Na coluna Painel, da Folha.

“Celso de Mello: ‘!!!!!!!!!!!!!!!’ Diante da presepada de Crivella, decano é luz na luta contra a treva”. Na coluna de Elio Gaspari, na Folha.

“EUA resistem como podem às gigantes chinesas de tecnologia. Para Zuckerberg, pressão para dividir Facebook e outras em pedaços abriria o mundo à ‘alternativa das empresas chinesas’”. Na coluna de Nelson de Sá, na Folha.

“Imposto {ITF} incentiva informalidade e tem pouca transparência. O fato é que se trata de um tributo bastante polêmico, pouco adotado na experiência internacional”. Artigo de Josué Pellegrini, na Folha.

“Barata-voa da reforma tributária cria incerteza para empresas e investimentos. Empresas sabem cada vez menos quanto imposto vão pagar, o que atrapalha negócios”. Na coluna de Vinícius Torres Freire, na Folha.

“Já deu para o regime mafioso venezuelano. O desastre tem origem no Foro de São Paulo e em seu ‘socialismo do século 21’”. Na coluna de Helio Beltrão, na Folha.

“Bye-bye Brasil. A nossa fuga de cérebros é o ganho de outros países”. Na coluna de Ilona Szabó de Carvalho, na Folha.

“A diferença que faz um professor. Escola do Rio de Janeiro incentiva alunos a estudarem matemática com olimpíada própria”. Na coluna de Marcelo Viana, na Folha.

“Comissão de Mortos e Desaparecidos investigará ex-presidente afastada por Bolsonaro. Há suspeitas de que Eugênia possa ter favorecido terceiros”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 10, em baixa de -0,14%, a 103.032 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -0,22%, a R$4,09. O euro fechou em baixa de -0,15%, a R$4,52.

Destaque histórico:

“Em 11 de setembro de 2001, dezenove terroristas sequestraram quatro aviões comerciais de passageiros. Os sequestradores colidiram intencionalmente dois dos aviões contra as Torres Gêmeas do complexo empresarial do World Trade Center, na cidade de Nova Iorque, matando todos a bordo e muitas das pessoas que trabalhavam nos edifícios. Ambos os prédios desmoronaram duas horas após os impactos, destruindo edifícios vizinhos e causando vários outros danos. O terceiro avião de passageiros colidiu contra o Pentágono, a sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, no Condado de Arlington, Virgínia, nos arredores de Washington, D.C. O quarto avião caiu em um campo aberto próximo de Shanksville, na Pensilvânia, depois de alguns de seus passageiros e tripulantes terem tentado retomar o controle da aeronave dos sequestradores, que a tinham reencaminhado na direção da capital norte-americana. Não houve sobreviventes em qualquer um dos voos.” Na Wikipédia.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu