Brasil bate novo recorde de mortes por Covid: 4.211 mortes

Brasil ultrapassa pela primeira vez 4.000 mortos por Covid em um dia (Folha). Com 4.211 mortes, Brasil dobra recorde diário de óbitos em um mês (O Globo). País tem 4,2 mil mortes em 24h e contágio em alta indica piora (Estadão). Para Mourão, Brasil só terá dinheiro se provar que reduziu desmatamento (Valor). Pela 1ª vez, país tem mais de 4 mil mortos em um dia (Correio). Essas são as manchetes dos jornais da grande mídia, de hoje. 

🖋 Edição: _Sérgio Botêlho_

*BIRÔ DE IMPRENSA*, Ano IV, Nº 878 de 07.04.2021

*Manchetes do dia*:

“Brasil ultrapassa pela primeira vez 4.000 mortos por Covid em um dia. Marca é atingida duas semanas após patamar de 3.000 óbitos diários; instado duas vezes a comentá-la, Bolsonaro ignora” *Manchete de capa da Folha*.

“Com 4.211 mortes, Brasil dobra recorde diário de óbitos em um mês. País tem 27% das mortes em 24 horas por Covid e apenas 2,7% da população do planeta. *Manchete de capa do O Globo*.

“País tem 4,2 mil mortes em 24h e contágio em alta indica piora. Há 32 dias consecutivos, diagnóstico diário de novas infecções supera os 60 mil casos, maior patamar da pandemia” *Manchete de capa do Estadão*.

“Para Mourão, Brasil só terá dinheiro se provar que reduziu desmatamento. Consórcio dos Estados da Amazônia se habilita para ser o destinatário dos recursos” *Manchete de capa do Valor Econômico*.

“Pela 1ª vez, país tem mais de 4 mil mortos em um dia. Na véspera do Dia Mundial da Saúde, o Brasil bateu um recorde macabro: 4.195 pessoas perderam a vida para a covid-19. .” *Manchete de capa do Correio Braziliense*.

 *Editoriais do dia*:

_*FOLHA*_

°Emergência social. Auxílio volta a ser pago em cenário crítico de desemprego e alta de alimentos=.” 

°”Alento diplomático. Discurso de novo chanceler contrasta com desvarios ideológicos do bolsonarismo.”

_*O GLOBO*_. 

“A mais nova boiada do Orçamento. Emendas destinam R$ 9,3 bilhões ao caixa de municípios sem necessidade de projeto – e fiscalização só teórica.” 

“Pandemia não é pretexto para adiar as novas licitações de aeroportos. Não faria sentido suspender leilões em setores em que nada será feito sem a entrada do setor privado.”

_*ESTADÃO*_

°”A vacinação na cartilha do FMI. A vacinação é a política econômica mais importante neste momento, disse a diretora-geral do Fundo Monetário Internacional”

°”O fiel seguidor. Para proteger a vida, o poder público pode impor restrições às atividades sociais.” 

°”Alerta vermelho nas favelas. Com a demora ao auxílio emergencial e queda nas doações, as favelas pedem socorro.” 

°”Mais famílias estão endividadas. No ano passado, o auxílio emergencial reduziu o impacto da crise. Agora, a vacinação pode ter esse papel.”

_*VALOR ECONÔMICO*_

°“Economia cresce mais nos ricos e menos nos emergentes. Mergulharam na extrema pobreza 95 milhões de pessoas e o desemprego global aumentou em 1,5 ponto percentual.” 

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em leve baixa de -0,02%, a 117.499 pontos. O dólar terminou o dia em baixa de -1,41%, a R$ 5,60.

Destaques:

Destaques históricos e comemorativos do dia
Leia: Destaques da Grande Mídia Impressa.
Notícias sobre Economia do Turismo

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments