Bolsonaro muda tom, mas distorce OMS; casos no país têm recorde

Bolsonaro muda tom, mas distorce OMS; casos no país têm recorde. Esses são destaques da grande mídia, nesta quarta-feira, 01 de abril de 2020, na seção DESTAQUES DA GRANDE MÍDIA IMPRESSA, do Anexo 6.🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Destaques do dia:

“Bolsonaro muda o tom, fala em pacto e desafio de geração. Isolado e alvo de panelaço, presidente diz que o efeito do combate não pode ser pior do que a doença.” Manchete de capa da Folha.“Casos no país têm alta recorde, e Bolsonaro, isolado, modera o tom. Mandetta: ficar em casa impediu espiral de casos. Presidente distorce fala de diretor da OMS. Pronunciamento na TV não teve crítica ao isolamento.” Manchete de capa do O Globo.“Metade dos brasileiros já vive em cidades com coronavírus. Total de municípios com infecções reportadas é de 362, ou 6,5% do total do País; número cresceu dez vezes em 15 dias.” Manchete de capa do Estadão.“Pandemia impõe perdas históricas a investidores. Índice Bovespa teve queda de 29,9% em março. Foi o pior mês da bolsa paulista em quase 22 anos. ” Manchete de capa do Valor Econômico.📃 Editoriais do dia:“R$ 600 com urgência. Bem concebido, amparo a vulneráveis exigirá agilidade inaudita do Executivo.” Editorial da Folha.“Competição no 5G. Sinal verde para chineses como fornecedores sugere ambiente de mais concorrência.” Editorial da Folha.“MEDIDAS DE EMERGÊNCIA EXIGEM PRESSA. Há consenso em torno das propostas, mas a burocracia não está sendo superada.” Editorial do O Globo.“É preciso buscar soluções para suprir escassez de equipamentos. Não é admissível que faltem respiradores e material para proteção dos profissionais.” Editorial do O Globo.“Ciência versus achismo. Quando ataca a imprensa, a ciência e as autoridades sanitárias, o presidente Jair Bolsonaro confunde os cidadãos e atrasa as medidas necessárias para evitar mortes.” Editorial do Estadão.“A pandemia invade as contas públicas. Empenhado em gastar para conter os efeitos do coronavírus, o governo federal já admite fechar o ano com um rombo de pelo menos R$ 350 bilhões em suas contas primárias, calculadas sem os juros..” Editorial do Estadão.“Um único inimigo. É hora de pôr o conflito armado em confinamento e lutar por nossa vida, diz o secretário-geral da ONU..”. Editorial do Estadão.Luta contra covid-19 segue, sem e apesar de Bolsonaro. Bolsonaro projetou-se, em um mundo que tinha até ontem mais de 41 mil mortos, como um dos líderes mais irresponsáveis do planeta”. Editorial do Valor Econômico.

📈 Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 31, em queda de -2,17%, a 73.020 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,35%, a R$ 5,20.

⏳ Destaque histórico:

Informações sobre o dia de hoje na história, é só clicar.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


0 0 vote
Article Rating
Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments