Bolsonaro critica Mandetta; há disputa por material chinês

Bolsonaro critica Mandetta; há disputa por material chinês. Esses são destaques da grande mídia impressa, nesta sexta-feira, 03 de março de 2020.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Destaques do dia:

“Bolsonaro critica Mandetta e diz que ministro extrapolou. Titular da Saúde declara que quem tem mandato popular fala, e que não tem, como ele, trabalha”. Manchete de capa da Folha.

“Países travam disputa por material da China. Se o Brasil quiser comprar produtos de saúde na China, precisa ser ágil, pagar à vista e transportar rapidamente o material de avião”. Manchete de capa do Valor Econômico.

“Empresas alegam ‘força maior’ e pedem revisão de contratos. Efeitos da pandemia motivam ações na Justiça para suspensão de pagamentos. Sob a alegação de “força maior” ou “evento fortuito”, por causa do novo coronavírus, empresas começam a recorrer à Justiça – e a ter sucesso nos pedidos – para rever contratos”. Manchete de capa do Estadão.

“Casos chegam a 1 milhão no mundo, e aumenta a disputa por equipamentos, Contaminações pela Covid-19 seguem em ascensão acelerada”. Manchete de capa do O Globo.

📃 Editoriais do dia:

“Reduzir incertezas. Decisões como restringir circulação devem ser embasadas com dados transparentes”. Editorial da Folha.

“Epidemia subterrânea. Sem notificação adequada, autoridades pilotam às cegas um bólido em aceleração”. Editorial da Folha.

“Medidas corretas de amparo aguardam o teste da execução. Há R$ 442,6 bilhões para preservar empregos, sustentar trabalhadores informais e apoiar com crédito e diferimento de impostos as empresas”. Editorial do Valor Econômico.

“Mandetta é o terceiro ministro indemissível de Bolsonaro. Medida mais urgente do ponto de vista social esbarra na burocracia e em temores do presidente Bolsonaro”. Editorial do O Globo.

“Sem estoques de insumos, saída é apelar para indústria nacional. País precisa de grande quantidade de materiais, mas fornecedores externos não atendem à demanda”. Editorial do O Globo.

“A política como vacina. Está na política a elaboração de saídas não apenas para os problemas decorrentes da epidemia, mas também para a profunda crise que o País terá que administrar.” Editorial do Estadão.

“Violações de direitos humanos. Entre janeiro e dezembro de 2019, primeiro ano de governo do presidente Jair Bolsonaro, foram apresentadas 35 denúncias contra o Brasil no Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (ONU). E, para 2020, as estimativas são de que o número será bem maior.” Editorial do Estadão.

“O MEC e a epidemia. Com avanço da covid-19, problemas do sistema de ensino podem se agravar ainda mais”. Editorial do Estadão.

📊 Mercado:

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quinta-feira, 02, em alta de 1.81%, a 72.253 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,04%, a R$ 5,27.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments