Aprovação da reforma da Previdência é destaque na mídia impressa

Aprovação da reforma da Previdência é, decerto, o assunto que predomina nas manchetes, capas, editoriais e colunas dos grandes jornais. Entretanto, a Folha prefere, em sua principal matéria de capa, adiantar que o ministro da Economia, Paulo Guedes, agora pretende acabar com o mínimo de gastos sociais impostos pela Constituição a estados e municípios. Privatizada, a BR-Distribuidora quer criar tradings para comercializar etanol, energia e gás natural, assegura a manchete do Valor Econômico. Tudo, nesta quinta-feira, 24 de outubro, 297º dia do ano, a 68 dias do fim do ano de 2019.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

Aprovação da reforma da Previdência

“Reforma é concluída com economia de R$ 800 bilhões. Aposentadoria especial por periculosidade foi aprovada; promulgação deve ocorrer em 19 de novembro”, noticia a Manchete de capa do O Globo. Como resultado de negociação entre Congresso e governo, diz a principal matéria do O Globo, a aposentadoria especial por periculosidade, proposta pelo PT, foi aprovada.

“Reforma é concluída com economia de R$ 800 bilhões. Aposentadoria especial por periculosidade foi aprovada; promulgação deve ocorrer em 19 de novembro”, divulga a Manchete de capa do Estadão. Conforme ressalva feita na matéria, “a reforma por si só não é suficiente {para fazer o país crescer), mas ela vai dar previsibilidade e segurança jurídica para iniciarmos um ciclo virtuoso na economia”.

Gastos sociais

“Guedes quer estados e municípios sem piso de gasto social. Projeto a ser enviado ao Congresso eliminaria patamares mínimos cuja aplicação é obrigatória em saúde e educação, anuncia a “. Manchete de capa da Folha. Segundo destaca a matéria da Folha, “o Planalto já prevê resistência dos congressistas”.

“BR vai constituir ‘tradings’ de gás, etanol e energia. Três meses após se tornar uma empresa privada, a BR Distribuidora pretende estender sua atuação além da distribuição de combustíveis”, descreve a Manchete de capa do Valor Econômico. De acordo com o jornal de economia, a empresa – agora, privatizada – pretende criar comercializadoras (tradings) de etanol, energia e gás natural”.

📃 Editoriais do dia:

Aprovação da reforma da Previdência

“Página virada. Conclusão da reforma da Previdência Social abre o caminho para novas pautas”, segundo prevê o Editorial da Folha. Conforme o jornal paulista apesar das lacunas, nada “deve ofuscar, no entanto, o significado histórico da aprovação definitiva do texto pelo Congresso”. A Folha, no entanto, defende que estados e municípios sejam incluídos na reforma.

“A aprovação da mais abrangente reforma da Previdência Social das últimas três décadas é uma robusta demonstração de maturidade institucional do País e abre caminho para outras reformas” proclama o primeiro Editorial do Estadão. Segundo o ponto de vista do jornal paulista, a reforma previdenciária aconteceu “tendo como pano de fundo as crises políticas provocadas pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e seus filhos”. Conforme antecipa o Estadão, “as reformas posteriores irão depender da disposição e do poder de articulação dos presidentes da Câmara, Rodrigo Maia, e do Senado, Davi Alcolumbre”.

Previdência abre caminho para mais reformas. O presidente, que não pretende ter base parlamentar, mostrou-se inábil”, avalia o Editorial do Valor Econômico. O jornal, no entanto, pondera que o discurso oficial de dar sustentabilidade à reforma previdenciária “não condiz com o que propõe para a reforma dos militares”

Judiciário

“O crime não compensou. Condenação de Geddel é marco em trajetória de acusações por atividades nebulosas”, consoante o Editorial da Folha. Embora ainda caibam apelações, decerto, “mas esse é um daqueles casos que confirmam o clichê de que uma imagem fala mais do que mil palavras”, finaliza a publicação.

Precatórios

“Os precatórios e a crise fiscal. Numa iniciativa destinada a aliviar os Estados e os municípios, o Senado aprovou em dois turnos, por unanimidade e em regime de urgência, uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que prorroga por quatro anos o prazo para que governadores e prefeitos paguem seus precatórios – as dívidas que têm de arcar por determinação judicial transitada em julgado”, informa o segundo Editorial do Estadão. Conforme o jornal, “a estimativa é de que a PEC propicie um alívio financeiro de R$ 3,8 bilhões por ano”. O Estadão considera a medida aprovada como “antiga aspiração de prefeitos e governadores, varia conforme o Estado e o município”.

Bolívia

“Ranço bolivariano. Apegado ao poder, não é certo que o boliviano Evo Morales vá aceitar qualquer resultado que não seja a sua vitória”, comenta o terceiro Editorial do Estadão. De acordo com o enfoque do jornal, “a melhor saída para o país é a auditoria dos votos, defendida pela OEA desde que seu resultado seja vinculante”, ou seja, “Morales aceite qualquer resultado”, segundo defende o Estadão.

“Nova eleição pode ser a saída para a crise de confiança e o caos na Bolívia. País vive convulsão diante de claros indícios de manipulação eleitoral em benefício de Evo Morales”, advoga o Editorial do O Globo.

Chile

“Mensagens que a crise do chile envia. Protestos violentos refletem um perigoso mal-estar social, apesar de avanços econômicos”, comenta o Editorial do O Globo. Segundo o ponto de vista do jornal carioca, a partir da crise chilena, “no momento em que o Brasil executa reformas, deve-se provar que é possível ter responsabilidade fiscal e ao mesmo tempo dar aos mais pobres espaço para ascensão social”.

📃 Outros destaques:

Aprovação da reforma da Previdência

“Senado acata proposta do PT e conclui Previdência”. Na capa da Folha.

Política

“Eduardo cobra lealdade ao pai, não ao ‘dinheiro do fundo’”. Na capa do Estadão.

Eduardo vê incerteza no PSL, e ala pede sua expulsão”. Na capa da Folha.

Lava Jato pede para sentença de Lula do sítio ser anulada”. Na capa da Folha.

Bolsonaro põe Forças Armadas de sobreaviso. Protestos no Chile e Bolívia são monitorados; Bolsonaro diz que Poderes podem convocar Forças Armadas ‘pela manutenção da lei e da ordem’”. Na capa do Estadão.

CPI convoca integrantes do ‘gabinete do ódio’. Assessores do presidente chefe da Secom são convocados a prestar esclarecimentos à comissão que investiga fake news na disputa de 2018”. Na capa do Estadão.

Centro vai apoiar Huck contra PT e Bolsonaro, prevê Bornhausen”. Na capa da Folha.

Governo

“Bolsonaro ameaça isolar a Argentina. Bolsonaro ameaça isolar Argentina do Mercosul se peronismo vencer eleição”. Na capa do O Globo.

Meio ambiente

“Óleo já prejudica setor de pescado; estudo vê riscos. Os poluentes dificultam a ação dos pescadores, que também são obrigados a congelar peixes; o Instituto de Biologia da Federal da Bahia realizou pesquisa com 50 animais marinhos e detectou metais pesados. A população já teme consumir frutos do mar”. Na capa do Estadão.

Brasil vai à OEA cobrar explicação sobre óleo vazado. Governo federal recorre à OEA para pedir explicações do país vizinho. Representantes da ONG Greenpeace que fizeram manifestação em frente ao Palácio do Planalto, com um produto simulando óleo, foram chamados de ‘ecoterroristas’ pelo ministro Salles”. Na capa do O Globo.

Judiciário

“No Supremo, nada ainda definido. Voto de ministra é tido como crucial para o placar final do julgamento, que está em 3 a 1 a favor da execução das penas após 2ª instância”. Na capa do Estadão.

STF suspende sessão em 3 a 1 a favor da prisão em segunda instância”. Na capa da Folha.

Ministério Público pede anulação de condenação de Lula. Julgamento no STF começa com mais votos por prisão antecipada; expectativa é de reviravolta”. Na capa do O Globo.

Turismo

“Com óleo e tudo. Nordeste ainda é a região mais procurada por turistas para passar o próximo Réveillon”. Na capa da Folha.

Órgãos divergem sobre destino de óleo tirado de praias”. Na capa da Folha.

Tecnologia

Computador quântico abre uma nova era. Em artigo publicado na revista ‘Nature’, gigante afirma que um de seus computadores quânticos fez operação impossível para processadores clássicos, como os embutidos em PCs; marca abre campo para pesquisa de materiais e medicamentos”. Na capa do Estadão.

Google diz ter alcançado supremacia quântica, mas IBM contesta”. Na capa da Folha.

Mundo

” OEA pede 2º turno na eleição da Bolívia; Evo reage”. Na capa do Estadão.

Evo diz que direita tenta dar golpe de estado na Bolívia”. Na capa da Folha.

Sobe para 18 o número de mortos no Chile. Número de mortos sobe para 18; sexto dia de manifestações é marcado por pedidos de desculpas de autoridades chilenas”. Na capa do Estadão.

Menino de 18 anos morre no Chile; já são 18 as vítimas”. Na capa da Folha.

Protestos seguem, e Chile convoca reservistas. Número do mortos chega a 18, incluindo criança de 4 anos; manifestações pedem fim de estado de emergência”. Na capa do O Globo.

Benefícios anunciados por Piñera não detêm protestos e número de mortos chega a pelo menos 18 no Chile”. Na capa do Valor Econômico.

Reino Unido encontra 39 corpos em caminhão. Motorista de 25 anos foi preso e investigações tentam determinar se eram imigrantes e como chegaram ao Reino Unido”. Na capa do Estadão.

📃 Colunas e artigos:

Aprovação da reforma da Previdência

“Agora vai. Aprovada a reforma da Previdência, o governo não tem mais desculpa para não decolar e voar em céu de brigadeiro. Convencidos pelas palavras do ministro da Economia, vamos ver o país criar entre um e dois milhões de vagas de trabalho nos próximos 12 meses, e a economia crescer pelo menos 3% no mesmo período. Foi o que ouvimos de Paulo Guedes quando ele apresentou a reforma no início do ano.” Na coluna de Ascãnio Seleme, no O Globo.

Governo

“Nova política de Bolsonaro não dura mais que três minutos. Foto com macarrão sintetiza nova política do presidente”. Na coluna de Uirá Machado, na Folha.

Implosão. Há novos questionamentos: qual dos aliados vai implodir o governo? Quando?”. Na coluna de Mariliz Pereira Jorge, na Folha.

Economia

O economista José Roberto Mendonça de Barros acha que a economia está mudando para melhor em certos pontos, mas ainda prevê um crescimento baixo do PIB no ano que vem..” Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

Política

“Novos tempos demandam dos governantes comunicação e diálogo – talvez o divisor entre a “nova” e a “velha” política. Governador do RS é exemplo da nova política que busca estreitar laços com o cidadão”. Na coluna de Zeina Latif, no Estadão.

“O poder dos partidos. Construção de bases de apoio caso a caso custa caro”. Na coluna de Maria Hermínia Tavares de Almeida, na Folha.

“Defesa de Bolsonaro discute tese jurídica para que dissidentes levem parte do fundo partidário do PSL”. Na coluna Painel, da Folha.

Judiciário

“Supremo corre o risco assumir o papel de carcereiro. Tribunal não conseguirá escapar de responsabilidade final por punições no país”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

O Supremo Tribunal e o ministro Toffoli. Presidente da corte sabe a importância do diálogo”. Artigo de Nelson Jobim, na Folha.

O bombardeio de ameaças. O STF voltou à mira das milícias virtuais. Agora a pressão é de caminhoneiros bolsonaristas, que ameaçam invadir a Corte se não gostarem do resultado de um julgamento”. Na coluna de Bernardo Mello Franco, no O Globo.

Mundo

“Crises na América do Sul têm perigoso denominador comum: frustração diante da demora em romper a estagnação”. Na coluna de William Waack, no Estadão.

📊 Mercado:

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou em alta de 0,15%, a 107.544 pontos. Enquanto isso o dólar fechou em baixa de -1,03%, a R$4,03.

⏳ Destaque histórico:

“Em 24 de outubro de 1943, políticos, intelectuais e empresários mineiros divulgam documento em que exigem a retomada do processo democrático no Brasil”. Na Barsa.

 

(Anexo 6 publica diariamente a sinopse da grande mídia impressa, com foco nas manchetes, nos editoriais e nos destaques de capa)

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu