Amazônia, Orçamento e emprego são os destaques das manchetes

🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞 🗞

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 290- A 126 dias do fim do ano de 2019, hoje é terça-feira, 28 de agosto de 2019, 239º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Brasil vai recusar ajuda do G7 para Amazônia. Planalto avalia construir política ambiental conjunta com os EUA”. Manchete de capa do O Globo.

“Guedes quer R$ 13 bi de Caixa e BNDES para evitar ‘apagão’. Ideia é que bancos antecipem repasse de dividendos para desbloquear parte do Orçamento contingenciado”. Manchete de capa do Estadão.

“Macron defende Amazônia sob estatuto internacional. Presidente francês quer discutir tema na ONU; G7 anuncia ajuda de R$83 milhões”. Manchete de capa da Folha.

“Governo vai desonerar folha na contratação de iniciantes. Preocupado com o desemprego, o governo prepara pacote para estimular contratações. O plano é desonerar a folha de pagamento das empresas que contratem, prioritariamente, jovens que buscam o primeiro emprego e trabalhadores que estejam desempregados há mais de dois anos”. Manchete de capa do Valor Econômico.

📃 Editoriais do dia:

“Para europeu ver. Bolsonaro aviva entrevero com Macron, enquanto surgem paliativos para o desmate”. Editorial da Folha.

“Questão ambiental está oculta na disputa comercial. Macron situo livre comércio com Mercosul como problema real de competição com a França.” Editorial do O Globo.

“O encaminhamento da crise. Brasil é exemplo de preservação ambiental. Essa é a imagem que, por justiça e por convicção, o governo tem o dever de transmitir”. Editorial do Estadão.

“Cuidado com o setor externo. O valor exportado entre janeiro e julho deste ano, de US$ 129,57 bilhões, foi 4,74% menor que o dos primeiros sete meses de 2018”. Editorial do Estadão.

“Redução de homicídios é relevante, mas precisa ser permanente. Nos quatro primeiros meses do ano, 21 estados e o Distrito Federal registraram queda nos assassinatos”. Editorial do O Globo.

“Popularidade em queda. É improvável que o presidente Jair Bolsonaro receba o resultado da pesquisa CNT/MDA como um sinal de alerta sobre sua forma de governar”. Editorial do Estadão.

“Unidos pelo ensino. Em paralelo às deficiências do MEC, há intercâmbio auspicioso entre estados”. Editorial da Folha.

“Atividade fraca mantém a inflação sob controle. Caminho continua aberto para que o Banco Central reduza os juros”. Editorial do Valor Econômico.

📃 Outros destaques:

“Bolsonaro recusa US$ 20 mi do G-7 para conter fogo na Amazônia. Ambiente. Presidente francês disse que a possibilidade conferir ‘status internacional’ à floresta ‘é um caminho que segue aberto e continuará a florescer nos próximos meses e anos’; governo reage e alerta que só ‘brasileiros e as Forças Armadas’ falam sobre a Amazônia”. Na capa do Estadão.

“Queimadas reforçam temor com Sínodo. Governo. Interlocutores de Bolsonaro relatam preocupação com documento de encontro da Igreja depois de crise internacional gerada por desmatamento e incêndios na Amazônia”. Na capa do Estadão.

“‘Tropa de elite’ do Ibama está parada. Desmate está em alta na Amazônia neste ano, mas sem operação de fiscais de elite”. Na capa do Estadão.

“Macron quer reabrir o acordo entre UE e Mercosul. Em meio ao conflito diplomático com o Brasil, o presidente da França, Emmanuel Macron, avisou que pretende reabrir a discussão sobre o acordo de livre-comércio entre União Europeia e Mercosul”. Na capa do Valor Econômico.

“’Macron tenta criar clima ruim para o Brasil e defender seus produtores’, diz governador de MT. Mauro Mendes diz que teme retorno de embargos internacionais e promete zerar desmate ilegal”. Na capa da Folha.

“Presidente francês cogita debate sobre internacionalizar a floresta. Presidente francês afirmou que debate sobre a situação jurídica da floresta está ‘em aberto’, irritando governo Bolsonaro; especialistas afirmam que proposta carece de justificativa e não prosperaria na ONU”. Na capa do O Globo.

“Macron critica Bolsonaro por debochar de sua mulher. Para presidente francês, o brasileiro foi “extremamente desrespeitoso” ao endossar internauta que zombou de Brigitte Macron.” Na capa do O Globo.

“Embaixador do Brasil na França cita excessos e fala em virar a página”. Na capa da Folha.

“Índios xikrins expulsam grileiros de área no Pará. Os xikrins denunciam que seu território foi alvo de queimadas ilegais”. Na capa da Folha.

“Ruído político reforça frustração do mercado. Vários ruídos envolvendo o governo Jair Bolsonaro se somam à fragilidade dos emergentes no exterior e desestabilizam os mercados. Ontem, o dólar subiu pelo terceiro pregão consecutivo, para R$ 4,1369. O Ibovespa terminou em queda de 1,27%, aos 96.430 pontos”. Na capa do Valor Econômico.

“Incerteza com Bolsonaro e Maia derruba mercados”. Na capa da Folha.

“Rodrigo e Cesar Maia são acusados de corrupção. Investigação baseada na delação da Odebrecht afirma que presidente da Câmara recebeu pagamentos indevidos. Caberá à PGR decidir se apresenta denúncia. Deputado nega ilícitos e diz que relatório se baseia só nas palavras dos delatores”. Na capa do O Globo.

“PF atribui a Maia crimes de caixa 2 e corrupção. Segundo investigação, irregularidades vêm de repasses da Odebrecht; deputado nega”. Na capa do Estadão.

“Reprovação ao governo Bolsonaro cresce e chega a 39,5%, aponta pesquisa. Avaliação positiva da gestão caiu de 39% para 29%, segundo levantamento da CNT/MDA”. Na Folha.

“53% desaprovam estilo de Bolsonaro, aponta pesquisa. Levantamento feito pela CNT/MDA mostra ainda que avaliação negativa do governo cresceu 20 pontos desde fevereiro”. No Estadão.

“Orçamento para 2020, com o teto, será mais restrito”. Na capa da Folha.

“Moro: orçamento para 2020 inviabiliza políticas de segurança. Sem verba, Moro vê situação ‘alarmante’”. Na capa do O Globo.

“Governo pode desistir de proposta na área tributária. Segundo líderes do Senado, acordo prevê que sugestões do Executivo sejam encaminhadas aos parlamentares para serem acrescentadas à PEC que tramita na Casa. Guedes, no entanto, menciona texto próprio, a ser aprovado este ano”. Na capa do O Globo.

“Guedes quer estados na reforma tributária”. Na capa do Estadão.

“Deputados agem para evitar vetos à Lei de Abuso. Ministro da Justiça pede que governo aumente recursos da Pasta para 2020; orçamento prevê cortes de 32%”. Na capa do Estadão.

“Moro vê ‘cenário alarmante’. Deputados preparam parecer para rebater críticas; em conversa com Onyx, Maia diz que Casa não vai ‘admitir’ derrubada completa do texto”. Na capa do Estadão.

“Odebrecht leva ‘esboço’ de seu plano à Justiça. A Odebrecht apresentou ontem à 1ª Vara de Falências de São Paulo seu plano para lidar com R$ 98 bilhões em dívidas listadas em seu processo de recuperação”. Na capa do Valor Econômico.

“Odebrecht formaliza proposta de recuperação. Odebrecht propõe trocar dívidas por títulos, mas não define descontos, prazos ou vendas”. Na capa do O Globo.

“Odebrecht propõe à Justiça pagar credores só se voltar a dar lucros”. Na capa da Folha.

“Sob pressão. O Conselho de Recursos do Sistema Financeiro, “Conselhinho”, tem orçamento de R$ 330 mil, 85% comprometidos com terceirizados. “Se passar um vento aqui, leva tudo”, diz Ana Maria Melo”. Na capa do Valor Econômico.

“A proposta ortodoxa do guru de Fernández. Guillermo Nielsen, provável futuro ministro da Fazenda da Argentina caso o candidato kirchnerista, Alberto Fernández, seja eleito em outubro, pretende seguir um receituário ortodoxo”. Na capa do Valor Econômico.

“Trump diz que diálogo nuclear com Irã pode ocorrer em semanas”. Na capa da Folha.

“STJD avalia punir Vasco por canto homofóbico. Vasco pode ser indiciado por causa de canto da torcida”. Na capa do O Globo.

“Juiz nos EUA condena empresa por opioides. Precedente. Decisão judicial tomada no Estado de Oklahoma é a primeira a responsabilizar uma gigante farmacêutica pelas consequências da distribuição indiscriminada de analgésicos, que provocou uma epidemia de mortes por overdose e dependência”. Na capa do Estadão.

📃 Colunas e artigos:

“Bolsonaro precisa tratar assuntos de Estado de forma impessoal. Macron situou livre comércio com Mercosul como problema real de competição para a França”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Sinais de risco de crise mundial se acumulam. Empresas dos EUA devem 47% do PIB e US$ 16 trilhões estão aplicados com juros negativos. São alguns dos sinais da crise global”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Agronegócio passa a ter que lidar com o custo Bolsonaro. O custo Bolsonaro fragiliza o agronegócio, no meio de uma guerra comercial global de consequências imprevisíveis para economias como a brasileira.” Na coluna de José Casado, no O Globo.

“Planeta em risco. Queimadas consomem esforços conjuntos de governos anteriores, sociedade civil e povos indígenas”. Artigo de Joenia Wapichana, na Folha.

“Amazônia 4.0. Temos que assumir a responsabilidade de executar um projeto moderno, disruptivo, ousado e factível”. Artigo de Luciano Huck, na Folha.

“O que é o salário? É o dinheiro que se leva para casa todo mês ou o que se recebe por unidade de tempo trabalhado?”. Na coluna de Hélio Schwartsman, na Folha.

“Sobre a pequenez de Bolsonaro, Macron está coberto de razão. Se alguma coisa o cargo fez ao brasileiro, foi expor sua miudeza de espírito e propósitos”. Na coluna de Ranier Bragon, na Folha.

“Bolsonaro, ‘le menteur’. Sem as baixarias do atual conflito diplomático entre Brasil e França, a Guerra da Lagosta acabou em samba de breque”. Na coluna de Alvaro Costa e Silva, na Folha.

“Sem ponto de inflexão. Regimes iliberais corroem liberdades e independência das instituições pouco a pouco”. Na coluna de Pablo Ortellado, na Folha.

“Integrantes do CNMP prometem desengavetar caso contra Deltan como resposta a recurso na Justiça”. Na coluna Painel, da Folha.

“A indicação informal de Eduardo Bolsonaro para embaixador do Brasil em Washington parece ser, até agora, a única derrapada de Jair Bolsonaro capaz de provocar algum abalo entre os apoiadores fidelíssimos dele, algo em torno de 30% dos brasileiros.” Na Coluna do Estadão, no Estadão.

“Macron é ecologista de ocasião. Bolsonaro deu o pretexto para Macron voltar atrás no acordo com o Mercosul”. Na coluna de Giles Lapouge, no Estadão.

“Supremo e Congresso não veem graça em apanhar enquanto Bolsonaro passa de bonzinho. Bolsonaro lava as mãos diante das manifestações e da CPI, mas Toffoli tem uma bomba: a liminar que favoreceu o 01 e que ele pode retirar a qualquer momento. Se é para apanhar, que apanhem todos. Os alvos dos bolsonaristas não acham graça em apanhar sozinhos, enquanto Bolsonaro fica de bonzinho.” Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

“Não deveria ser normal para esquerda menosprezar tortura, mortes e racismo da era Vargas.” Na coluna de Pedro Fernando Nery, no Estadão.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a segunda-feira, 26, em queda de -1,26%, a 96.530 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,36%, a R$4,14. O euro fechou em alta de 0,41%, a R$ 4,61.

Destaque histórico:

“Em 27 de agosto de 1828, um tratado de paz entre Argentina e Brasil é assinado, dando fim à guerra e reconhecendo como Estado soberano a República Oriental do Uruguai.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu