Amazônia, política e programa social são os temas em destaque nas manchetes

📰 Birô de Imprensa – Ano 2 – Número 295- A 121 dias do fim do ano de 2019, hoje é domingo, 01 de setembro de 2019, 244º dia do ano.

Sinopse da grande mídia impressa:

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Para 75%, interesse externo pela Amazônia é legítimo. Desempenho de Bolsonaro na crise ambiental é ruim para 51%, mostra Datafolha”. Manchete de capa da Folha.

“Articulação de centro avança e tenta se opor à polarização. Grupo que tem Luciano Huck e Arminio Fraga defende agenda liberal na economia e progressista no social”. Manchete de capa do Estadão.

“Governo prepara programa para substituir Bolsa Família. Ampliação do benefício seria financiada por corte nas deduções do IR”. Manchete de capa do O Globo.

📃 Editoriais do dia:

“Erros amazônicos. Maioria aponta mau desempenho de Bolsonaro na política ambiental”. Editorial da Folha.

“Reafirmar a Lei da Anistia. Há 40 anos, acordo restabeleceu confiança na solução pacífica das divergências”. Editorial da Folha.

“Usurpação do poder. O poder, por delegação do povo, é exercido pelas três instituições superiores – Legislativo, Executivo e Judiciário – na exata medida de suas competências constitucionais”. Editorial do Estadão.

“A deterioração das contas públicas. A situação dos municípios paulistas, se enquadrada no contexto nacional, revela sinais especialmente preocupantes”. Editorial do Estadão.

“De volta à realidade. Apesar dos inevitáveis protestos dos sindicalistas contra a nova legislação nas ruas e nas cortes, imperaram o bom senso e a Constituição”. Editorial do Estadão.

“Melhoram as perspectivas econômicas. Retomada é obra coletiva, vai além das reformas essenciais e depende de regras e estabilidade jurídica”. Editorial do O Globo.

“No Rio, perícia inacabada favorece avanço da impunidade e da violência. Falta de pessoal, equipamentos e insumos emperra trabalho da polícia técnica fluminense”. Editorial do O Globo.

📃 Outros destaques:

“Medo, dor, crueldade. Milícias somem com uma pessoa a cada 2 dias no Grande Rio. Na capa do O Globo.

“Bolsonaro diz que Queiroz ‘é nota 10’. Presidente afirma que nunca teve problemas com ex-assessor e que não sabe onde está o policial aposentado”. Na capa do Estadão.

“Facada faz um ano e sua vítima mantém viva memória do caso”. Na capa da Folha.

“Acre, a nova fronteira das invasões. Equipe do GLOBO percorreu mais de mil quilômetros por estradas do Acre, estado que, segundo dados sobre desmatamento, é uma região por onde se expande a ocupação da Floresta Amazônica. Discurso tolerante de Bolsonaro e política local influenciam as ilegalidades.” Na capa do O Globo.

“A política antiambientalista de Bolsonaro. Antes de assumir o cargo, Jair Bolsonaro já emitia sinais de que pretendia fragilizar a fiscalização ambiental”. Na capa da Folha.

“Amazônia. Durante dez dias, equipe do Estado viveu a realidade do fogo na mata. Em poema inédito, divulgado pelo Estado, Milton Hatoum revela seu inconformismo com a destruição da floresta amazônica. Quando tudo for deserto, o mundo ouvirá rugidos de fantasmas.” Na capa do Estadão.

“‘O retrocesso na democracia já aconteceu. O risco é que piore’. Instabilidade política abala a confiança e afeta a economia, alerta o ex-presidente do BC, Armínio Fraga. Ele avalia que o Brasil vive crise de valores e diz que as ‘instituições têm sido severamente testadas’” Na capa do O Globo.

“Articulação de centro avança e tenta se opor à polarização. Grupo que tem Luciano Huck e Arminio Fraga defende agenda liberal na economia e progressista no social”. Na capa do Estadão.

“Maia preenche espaço de Bolsonaro com agenda e fala de primeiro-ministro. Após articular reformas econômicas, presidente da Câmara assume debate ambiental e enfrenta ira bolsonarista”. Na Folha.

“Em almoço, Bolsonaro diz que ‘Doria está morto para 2022 e descreveu André Mendonça (AFU) como mais ‘supremável’ que Sergio Moro”. Na capa da Folha.

“Embaixador sem rodeios aproxima Israel de presidente. Direto e avesso a formalidades, o embaixador de Israel em Brasília, Yossi Shelley, tornou-se amigo de Jair Bolsonaro e reforçou aliança com Estado Judeu”. Na capa da Folha.

“Bolsonaro diz que indultará policiais de casos de massacres. Podem ser beneficiados PMs responsáveis por mortes em Eldorado do Carajás, no Carandiru e no caso do ônibus 174. Presidente diz que vai vetar nove artigos da lei de abuso de autoridade e que quer evangélico no comando da Ancine”. Na capa do O Globo.

“Um ‘xerife’ contra Bolsonaro. Senador capixaba em primeiro mandato acha que ministro foi parcial como juiz e afirma que presidente é um ‘ditador’. Primeiro senador a assumir publicamente a homossexualidade, Fabiano Contarato, da Rede, foi chamado de “xerife” quando era delegado e hoje é um crítico do governo”. Na capa do Estadão.

“Guerrilheiros exploram ouro perto de Roraima. Guerrilha colombiana explora ouro ilegalmente perto da fronteira do Brasil”. Na capa do O Globo.

“Investigadores rastreiam dinheiro de Eike no exterior. Processo que bloqueou R$ 778 milhões de Thor Batista, filho do empresário, identificou envio de recursos a paraísos fiscais”. Na capa do Estadão.

“A luta de 46 pessoas para reerguer o Museu Nacional. Sergei Soares, um dos autores do estudo do Ipea para mudar programas, diz que benefício universal pode estender proteção a 17 milhões de crianças. Para o especialista Paes de Barros, Bolsa Família deve ser aperfeiçoado com foco”. Na capa do O Globo.

“O ‘efeito bicicleta’ na economia e no bolso. Segundo pesquisa, cariocas podem economizar R$ 151 por mês usando a bicicleta em trajetos curtos. Para a cidade, um ganho de R$ 525 milhões”. Na capa do O Globo.

“‘Está mais difícil educar os filhos’, diz Rosely Sayão. Rosely Sayão estreia coluna no ‘Estado’ no próximo domingo e faz convite para pensar a educação dos filhos”. Na capa do Estadão.

“Após três anos de planejamento e preparação da empresa, o Grupo Estado inicia amanhã uma transformação na forma de produzir e distribuir conteúdos. O projeto Estadão 21 reafirma o jornal impresso como pilar fundamental, com mais profundidade e análises, e expande a presença digital do Grupo”. Na capa do Estadão.

“Atentado a tiros no Texas mata 5 e fere 21. Polícia investiga causas dos disparos; massacre ocorre um mês após atirador matar 20 pessoas em El Paso”. Na capa do Estadão.

📃 Colunas e artigos:

“Moro é hoje uma fritura ambulante. Para Moro, a conta do “faço-porque-posso” veio na semana passada, com a decisão da Segunda Turma do Supremo Tribunal Federal.” Na coluna de Elio Gaspari, no O Globo.

“Moratória das queimadas não faz nexo e é pouco. Preocupação com impactos socioambientais no universo dos fundos graúdos só cresce. Queimadas já deveriam ser proibidas antes”. Na coluna de Dorrit Harazim, no O Globo.

“Pessimismo no presente, mas com esperança. Para Ricupero, não haverá paz, estabilidade, retomada do desenvolvimento sem a integração progressiva dos marginalizados”. Na coluna de Merval Pereira, no O Globo.

“Sociedade mostra vigor na crise ambiental. O que ficou claro nesta crise é que o presidente não tem a maioria ao seu lado nas ideias sobre Amazônia, órgãos de controle e conservação”. Na coluna de Miriam Leitão, no O Globo.

“Mais três anos de tiroteio eleitoral. Com pouco mais de três meses no cargo, o presidente admitiu que deseja a reeleição. Agora ele passou a alvejar Doria e Huck, potenciais adversários em 2022”. Na coluna de Ancelmo Gois, no O Globo.

“O que levou Bolsonaro a brigar com PF do Rio. Não é a baixa ou, como é o caso, a alta produtividade que está irritando Bolsonaro. Talvez o incômodo esteja na conclusão do inquérito que investigou a atuação da Polícia Civil fluminense no caso Marielle Franco.” Na coluna de Lauro Jardim, no O Globo.

“A retórica de desinformação, insulto e incentivo a práticas ilegais foi a principal responsável pela crise das queimadas. … não posso deixar de constatar, com preocupação, os graves danos causados pelo governo atual à imagem do País no exterior. O preço da liberdade é a eterna vigilância. É preciso nos mantermos atentos e fortes para que as instituições do Estado continuem a cumprir, com independência, as obrigações impostas pela Constituição.” Artigo de Fernando Henrique Cardoso, no Estadão.

“O convite a Paulo Guedes e Sergio Moro para os ministérios mais importantes trouxe a esperança de que o presidente Jair Bolsonaro tivesse entendido a relevância de pautar seu governo sobre instituições não extrativistas, adotando uma estratégia de cunho liberal na gestão econômica e dando prioridade ao combate à corrupção. Mas a ilusão durou pouco e fica a impressão de que a agenda contra a corrupção, que foi fundamental para Bolsonaro se eleger, nunca foi por ele compreendida ou adequadamente valorizada.” Artigo da economista Maria Cristina Pinotti, no Estadão.

“Quem está de olho na Amazônia e oferece ajuda para ter ‘retorno’? Só a Europa? Os EUA não? Depois de isolar o Brasil do mundo desenvolvido, com sua retórica virulenta e desprezo à preservação do meio ambiente e às comunidades indígenas, o presidente Jair Bolsonaro tenta dar a volta por cima criando um cerco à França, uma das mais sólidas democracias do Ocidente.” Na coluna de Eliane Catanhêde, no Estadão.

“Decoradoras avaliam a polêmica mesa de Rosângela Moro”. Na coluna de Mônica Bergamo, na Folha.

“Economia vacilante infla aborrecimento da população com governo. Recuperação leva tempo, mas Bolsonaro deve prestar mais atenção no desânimo das ruas”. Na coluna de Bruno Boghossian, na Folha.

“Retrocesso protecionista. Nos últimos 20 anos, o país tem adotado regras cada vez mais restritivas de conteúdo local”. Na coluna de Marcos Lisboa, na Folha.

“Imprensa e democracia. Crítica é direito, e deve-se estar preparado para ouvi-la”. Artigo de João Dória, governador paulista, na Folha.

“O negacionismo científico: ignorância ou infâmia. Cada árvore que se queima contribui para a morte”. Na coluna de Rogerio Cezar de Cerqueira Leite, na Folha.

“Maioria dos eleitores de Bolsonaro defende verba estrangeira para a Amazônia”. Na coluna Painel, da Folha.

📊 Mercado: Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não abre nos finais de semana.

Destaque histórico:

“Em 1° de setembro de 1985, mais de 70 anos depois da tragédia do Titanic, foram encontrados os restos do barco mais luxuoso da época.” No portal Terra.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu