Ação contra universidades é tema maior do noticiário

Ministros do Supremo, do Tribunal Superior Eleitoral, afora PGR, OAB e entidades da sociedade civil reagem a ação contra atos políticos nas universidades. Ministério Público recorre ao STF contra as ações da polícia nas instituições superiores de ensino.

SINOPSE DE 27 DE OUTUBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho 

*_JORNAIS_*:

*Manchete e destaques do jornal O Globo*: STF e TSE reagem a proibição de atos políticos em universidades. Toffoli e Rosa Weber criticam operações realizadas por ordem de juízes eleitorais em 20 universidades. Os presidentes do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Rosa Weber, reagiram a possíveis abusos, como desrespeito à autonomia universitária, cometidos durante operações ordenadas por juízes eleitorais em 20 universidades de 12 estados.

Toffoli: STF sempre defendeu autonomia das universidades.

TSE apura ‘eventuais excessos’ em ações, diz ministra Rosa Weber.

Eles condenaram a proibição de atos políticos nas universidades, em operações que se baseavam em alegações de que estaria sendo praticada propaganda eleitoral ilegal. Os ministros Luís Roberto Barroso, Marco Aurélio Mello e Gilmar Mendes também se pronunciaram em defesa da liberdade.

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, pediu ontem à noite ao STF uma liminar para restabelecer as liberdades de expressão, reunião e cátedra nas universidades públicas.

Bolsonaro usa a internet, Haddad vai a favela de SP. As últimas 24 horas antes do início da votação do segundo turno serão usadas pelos presidenciáveis para reforçar suas campanhas nos ambientes em que têm colhido mais apoio.

Jair Bolsonaro (PSL) vai falar aos eleitores pela internet, onde se projetou como uma nova força na política. Logo cedo, hoje, um vídeo será disparado nas redes sociais, com menos ataques ao PT e mais mensagens de esperança.

Fernando Haddad (PT) fará caminhada e ato ecumênico na favela de Heliópolis, em São Paulo. O partido vai em busca do eleitor historicamente ligado ao ex-presidente Lula e irá reforçar o discurso de respeito aos direitos humanos.

Proponho pacto dos três Poderes com a sociedade civil. JOSE ANTONIO DIAS TOFFOLI: Proponho a celebração de um grande pacto que envolva os três Poderes da República, com a participação da sociedade civil, adotando-se o diálogo e a ação coordenada como meios de pensar e agir.

Congresso votará MPs que impactam Orçamento de 2019. O Congresso terá que avaliar até o fim do ano medidas provisórias de interesse do próximo governo, por impactarem o Orçamento de 2019. Entre elas, a MP que adia reajuste do funcionalismo para 2020 e a que prevê renúncia fiscal para o setor automotivo.

Ex-juiz acena com procurador da Lava-Jato na equipe. O candidato ao governo do Rio Wilson Witzel (PSC) reafirmou, em entrevista ao GLOBO, que policiais poderão abater bandidos que portarem fuzis e que vai implantar um sistema de identificação facial nas ruas já em janeiro. Disse ainda que, se eleito, convidará o procurador Carlos Fernando, da Lava-Jato, para sua equipe.

Ex-prefeito diz que convidou Braga Netto para ser secretário. Em entrevista ao GLOBO, o candidato do DEM ao governo do Rio, Eduardo Paes, afirma que vai adequar as contas do estado para, então, estabelecer prioridades na segurança pública. Ele disse que já convidou o general Braga Netto, interventor federal na segurança do Rio, para ficar à frente da pasta, se for eleito.

Crise na saúde. Atendimentos na rede municipal caem até 59%.

Passaporte. PF muda serviço do Galeão para o Santos Dumont Dodge aciona STF por manifestação política em universidades.

Ibope SC: Moisés registra 59%; Merísio tem 41%.

Ibope AM: Wilson Lima, 64%; Amazonino, 36%.

Ibope no MS dá Azambuja, 51%; Odilon, 49%.

Ibope no Amapá: Capi, 53%; Waldez, 47%.

No RN, Fátima tem 55%; Carlos Eduardo, 45%.

RO: Cel. Marcos Rocha, 63%; Expedito Jr, 37%.

Editorial1: Todos precisam trabalhar para a pacificação. Seja qual for o resultado das urnas amanhã, a atmosfera de conflito tem de ser logo dissipada.

Editorial2: Marcha de migrantes é desafio para Trump, que planeja a reeleição. Presidente dos EUA tenta evitar que problema se transforme num trunfo para oposição democrata.

*Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo*: Bolsonaro insiste em onda anti-PT; Haddad, em Ciro. No final, candidato do PSL aposta na rejeição ao partido de seu adversário, que ainda tenta apoio do pedetista.

Em SP, disputa quente até o fim. Articulações dos candidatos ao governo de São Paulo por apoio na reta final da campanha causam ruído e divergências nos partidos.

Polícia faz ação em faculdades; ministros do STF reagem. Presidentes do TSE e do STF defendem autonomia das instituições; procuradora-geral, Raquel Dodge, pede providências ao Supremo.

Autor de ameaça ao TSE usará tornozeleira. Em vídeo, coronel da reserva Carlos Alves chamou presidente da Corte de ‘corrupta’.

EUA prendem suspeito de enviar bombas. Polícia seguiu impressões digitais e traços de DNA deixados nas correspondências e encontrou Cesar Sayoc, de 56 anos, na Flórida; registrado como republicano desde 2016, ele é admirador do presidente e havia sido preso 9 vezes.

Portugal barra 6 brasileiros em média por dia. Internacional. Até o fim de agosto, 2.209 pessoas foram impedidas de entrar em território português, incluindo 1.655 brasileiros; recusas são principalmente por ausência de um visto válido ou adequado e pela falta de uma comprovação da condição de turista.

Fazenda veta R$ 100 bi em crédito a Estados. Contas. Emenda aprovada em dezembro do ano passado no Congresso previa a criação de uma linha, nos bancos públicos, para pagamento de precatórios, mas procuradoria da Fazenda diz que, antes, governos e prefeituras precisam esgotar outros recursos.

Governo avalia reduzir subsídio ao diesel. Como preço do combustível subiu menos do que o previsto, governo pode reduzir a ajuda dada aos caminhoneiros e aliviar as contas públicas.

Google lança aplicativo para combater censura. Governo chavista costuma bloquear acesso a sites que expõem abusos e corrupção.

Venezuelanos farão limpeza de rua em SP. Ao todo, 28 vão começar a trabalhar na limpeza urbana da capital.

João Domingos: O PT orientou seus militantes a centrar fogo em Alckmin. Direta ou indiretamente, foi responsável pela candidatura de Bolsonaro.

Adriana Fernandes: Bolsonaro azedou o clima entre técnicos da área econômica e pode comprometer de antemão o diálogo em eventual transição.

Toffoli sobre universidades: ‘Liberdade é pilar do Estado Democrático de Direito’.

PGR vai ao STF pedir garantias à liberdade de expressão em ambiente acadêmico.

Juiz nega ação orquestrada contra universidades: ‘Em hipótese alguma’.

Candidatos à Presidência encerram propaganda na TV com ataques.

Bolsonaro apela por mobilização de eleitores: ‘Nada está ganho’.

Haddad diz que apoio de Ciro lhe dará ‘três ou quatro pontos’ até domingo.

Coronel que ameaçou Rosa Weber será monitorado por tornozeleira eletrônica.

Editorial1: A liberdade de informação. Supor que a Justiça coíba todas as fake news configura descabida pretensão, já que seria dar ao Estado um poder sobre os indivíduos que ele não tem.

Editorial2: Uma âncora para os preços. Preços bem comportados, se previsões estiverem certas, serão uma bênção para o novo presidente

Editorial3: O valor de um Tiririca. Eleição para a Câmara mostrou que as celebridades eleitorais continuam a ser um ótimo negócio.

*Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo*: Ações em universidades são condenadas por STF e PGR. Decididas pela Justiça, operações ofendem a liberdade de expressão, diz Dodge. A série de ações policiais e de fiscais eleitorais em universidades de todo o país nos últimos dias gerou reação de políticos, ministros do Supremo Tribunal Federal, integrantes do Ministério Público, reitores e organizações da sociedade civil. Há relatos de ao menos 30 instituições alvo de operações, a maioria sob justificativa de coibir propaganda eleitoral. Críticos apontam censura. Em regra, as ações têm atendido a decisões da Justiça Eleitoral, estimulada por denúncias nos estados. A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, anunciou que iria ajuizar ação por ver indícios claros de “ofensa à liberdade de expressão, de reunião e de cátedra”. Segundo o TSE, a corregedoria eleitoral vai investigar se houve excessos. “A polícia, como regra, só deve entrar em uma universidade se for para estudar”, disse o ministro do STF Luís Roberto Barroso. Reitores de universidades federais declararam repúdio. No Rio, milhares foram às ruas em protesto.

Câmara deve ser obstáculo a propostas de Paulo Guedes. Em eventual governo, Jair Bolsonaro (PSL) terá dificuldades para implantar medidas capazes de melhorar as contas públicas. A nova composição da Câmara é resistente a privatizações e à desvinculação do Orçamento de gastos com saúde e educação, bandeiras de Paulo Guedes, o guru econômico do presidendável.

Hélio Schwartsman: Democracia não é estado binário, que existe ou não.

Bolsonaro tem maior aprovação em grupo que viu golpe de l964.

Discussão política não pode ser motivo de agressão, diz CNBB.

Lucas Ferraz: Em 2014, aeroporto deu início ò queda de Aécio.

EUA prendem suspeito de enviar pacotes-bomba. O FBI (polícia federal dos EUA) deteve Cesar Sayoc Jr., 56, suspeito de enviar, a duas semanas das eleições legislativas que podem alterar o balanço de poder no país, pacotes-bomba a políticos democratas e a críticos do presidente Donald Trump.

PF pede ao WhatsApp origem de mensagens. A Polícia Federal enviou ofício ao WhatsApp para saber de que números de telefone e de que dispositivos partiram os disparos de mensagens em massa nesta eleição. A PF instaurou inquérito depois de reportagem da Folha revelar a atuação de empresários na compra de pacotes de mensagens para disseminar material contra o PT. O objetivo seria favorecer Jair Bolsonaro (PSL) na disputa pelo Planalto contra Fernando Haddad. A prática, ilegal, é investigada também no âmbito da Justiça Eleitoral.

Estudo do centro de pesquisa lTS apontou para ação automatizada (envio coordenado de informações) no WhatsApp de grupos ligados a Bolsonaro.

Havan cresceu sob petismo e seu dono acumula processos. Célebre por ataques ao PT, Luciano Hang viu sua rede varejista, a Havan, crescer em governos petistas. Hoje, a empresa está entre as que pagaram por disparos contra o partido no WhatsApp. Problemas de Hang coma Justiça não são novidade.

Eleições 2018 Vitória apertada de Bolsonaro mudará o patamar da oposição, diz Lula. E o ex-presidente recebeu uma visita da juíza Carolina Lebbos, que cuida da execução da pena dele.

Bolsonaro modera discurso e recua de promessas polêmicas. Atrás de eleitorado, candidato tem desistido de fundir ministérios e tem amenizado pautas radicais abordadas em campanha

  1. Sofia: Redução de ministérios não deve ocorrer.

Editorial1: Chance desperdiçada. João Doria e Márcio França transformaram o segundo turno num duelo infantil.

Editorial2: Pergunta no posto. Fuga de Bolsonaro de debates leva à falta de clareza sobre propostas.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu