4.000 índios: MPF registra movimento indígena pacífico, segundo informações da Segurança Pública do Governo do DF

O Ministério Público Federal registrou em seu portal dados da Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal dando conta de que a mobilização indígena da semana passada, em Brasíia, não registrou nenhuma ocorrência policial.
O Acampamento Terra Livre (ATL) reuniu mais de 4 mil indígenas do Brasil inteiro com o objetivo de cobrar do governo medidas consideradas pelas suas lideranças como urgentes para a demarcação dos territórios, no país.
De acordo com o coordenador da Câmara de Povos Indígenas e Comunidades Tradicionais do MPF (6CCR), subprocurador-geral da República Antonio Bigonha, a ausência de ocorrências legitima o caráter pacífico e democrático do movimento.
“Os indígenas deram um exemplo de civilidade. Apresentaram suas reivindicações sem uso de violência, demonstrando organização e pragmatismo na busca pela solução dos impasses que envolvem as terras que lhes são de direito”, salientou.
Antes da realização do acampamento, o subprocurador havia se reunido com o secretário de Segurança Pública do DF, Anderson Gustavo Torres, para tratar de assuntos relacionados à mobilização.
No encontro, Bigonha sugeriu a possibilidade de que o Governo do Distrito Federal (GDF) passe a incorporar o ATL ao seu calendário, já que o evento acontece há 15 anos em Brasília. A proposta é ampliar as discussões, incluindo atividades culturais e socioeducativas paralelas e abertas à participação cidadã. “O ATL é uma oportunidade cultural para Brasília”, defendeu.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


    Inscreva-se
    Notifique-me de
    guest
    0 Comentários
    Inline Feedbacks
    View all comments