Abre e fecha prolonga isolamento; UTI vive o imponderável

Abre e fecha prolonga isolamento; UTI vive o imponderável. Esses são destaques da grande mídia, neste domingo, 19 de abril de 2020, na seção DESTAQUES DA GRANDE MÍDIA IMPRESSA, do Anexo 6.

🖋 Edição: Sérgio Botêlho

📃 Manchetes do dia:

“Sem protocolo, abre e fecha prolonga isolamento e crise. Impacto do coronavírus será diferente nos municípios, o que tende a provocar ondas de paralisação.” Manchete de capa da Folha.

“Nr UTI, a rotina é o imponderável. O trabalho numa UTI para pacientes graves de Covid-19 é uma rotina de estresse, emoção, medo e solidariedade.” Manchete de capa do O Globo.

“No País, 91 milhões deixaram de pagar alguma conta em abril. Em março, antes do impacto do coronavírus, eram 59 milhões com contas atrasadas. Magnitude do problema nas semanas iniciais da quarentena surpreende analistas.” Manchete de capa do Estadão.

“Empresas e trabalhadores se reinventam na pandemia. ” Manchete de capa do Correio Braziliense.

📃 Destaques de capa:

O GLOBO

“Um terço dos adultos do país está no grupo de risco da Covid-19. No Brasil, 50 milhões sofrem de doença crônica ou já passaram dos 60 anos”.

“Crise exigirá gasto público eficiente e mais proteção social”.

“Entre o sonho e a luta contra o vírus nos EUA. Brasileiros que emigraram em busca do sonho americano se dividem entre os que querem voltar, porque não conseguem se sustentar em meio à crise, e os que se engajaram na luta contra o vírus em suas comunidades.”.

“Rio mudou com epidemias, mas não mexeu em moradia. O Rio passou por 39 crises sanitárias desde 1850 e realizou grandes reformas urbanísticas. A maioria negligenciou investimento em moradia, e isso hoje é um fator de risco para o novo coronavírus.”.

“Bolsonaro pressiona governadores a relaxar isolamento. Contrariando orientações da OMS e em meio à tramitação no Congresso de projeto de socorro aos estados, o presidente criticou medidas de restrição e disse que,com economia parada, faltará dinheiro para pagar aos servidores.”.

“Merval Pereira: O risco não é de Bolsonaro, mas do povo”.

“Lauro Jardim: O que revela a 2a autópsia do miliciano”.

“Míriam Leitão: Nordeste dá exemplo contra o vírus”.

“Dorrit Harazim: O Brasil cru que virá à tona na panedemia”.

“Elio Gaspari: O presidente se fritou ao fritar Mandetta”.

“Bernardo Mello Franco: Bolsonaro e seu cálculo furado”.

“Ancelmo Góis: Leiteria mineira e garçons fazem acordo”.

ESTADÃO

“‘Elite’ da classe C endividada. Levantamento aponta que famílias com renda de até R$ 6 mil devem liderar endividamento nos próximos meses.”.

“‘Doria fica maior e Huck, menor’. De Fernando Henrique Cardoso, ex-presidente da República”.

“Conferência nos EUA terá parceria do ‘Estado’. Evento realizado anualmente pela comunidade brasileira de estudantes em Boston, nos EUA, debaterá os desafios da crise do coronavírus”.

“Tereza Cristina recorre a Bolsonaro para barrar ataques. Alvo de ataques de alas governistas, Tereza Cristina quer que presidente se posicione”.

“Asilos combatem solidão. Abrigos para os maiores de 60 na capital suspenderam visitas e cancelaram parte das atividades para reduzir risco de contaminação; contato com parentes é feito por meio do telefone e, em alguns casos, até por videochamadas. Funcionários passam por triagem”.

“Bebês têm ensino remoto em telas que devem evitar. Nesta semana, quarentena faz um mês nas escolas; para crianças até 5 anos, o desafio é usar poucas telas, mas manter vínculo”.

“‘Muitos foram enganados para fornecer dados’. Ex-funcionária de empresa que trabalhou na campanha de Trump diz que deveríamos receber por uso de dados pessoais”.

“Eliane Catanhêde: É improvável que o novo ministro da Saúde jogue fora sua biografia e aceite loucuras.

“Vera Magalhães: Aparelho do Estado não pode ficar à mercê das teorias da conspiração do presidente.”.

“Rosely Sayão: Talvez tenha chegado a hora de ensinar aos filhos os processos que envolvem tarefas.”.

“Uso de celular contra aglomeração gera dúvida. Empresas de telefonia dizem que geolocalização não invade privacidade porque aponta aglomerações sem identificar indivíduos; falta de regulamentação cria insegurança jurídica”.

“‘Aliança do Avestruz’ não leva covid-19 a sério. Líderes de Nicarágua, Turcomenistão e Bielo-Rússia – grupo em que a revista ‘Economist’ incluiu Brasil e ao qual acusou de ignorar pandemia – sofrem crítica interna incomum por ditar ordens contra isolamento; para professor da FGV, governantes têm postura de avestruz”.

FOLHA

“Produtores não conseguem doar e jogam hortaliças fora no cinturão verde de São Paulo”.

“Entrevista. Mohamed El-Erian. Falta coordenação global para superar efeitos da Covid-19”.

“Para 79% da população, deve haver punição por desrespeito à quarentena”.

“Bolsonaro critica STF e volta a pedir fim do isolamento”.

“Atila Iamarino: É difícil ficar em casa sem água”.

“Paulo Coelho: Nunca voltaremos a ser os mesmos”.

“Governo e bancos ampliam oferta de crédito para ajudar pequeno empresário”.

“A distância, parentes dos que estão na UTI relatam tensão”.

 CORREIO BRAZILIENSE

“Ministério da Saúde tira o Distrito Federal da emergência do coronavírus. Apesar da elevação dos casos da doença, o governo federal rebaixou ontem a capital para situação de atenção sob a alegação de que a taxa de crescimento está aquém da média nacional”.

“O risco dos menores de 60 anos”.

“Da proteção à ameaça letal. Metade das mortes na Europa ocorreram em lares de idosos”.

“Ana Maria Campos: Mais da metade dos idosos não têm plano de saúde no DF”.

“Denise Rothenburg: Bolsonaro procura aliado para substituir Rodrigo Maia”.

“Luís Carlos Azedo: Dos dinossauros aos tempos de combate ao coronavírusf”.

📃 Editoriais do dia:

“Sinal de alerta. Queda no apoio à quarentena contra pandemia deve ser discutida com informação​.” Editorial da Folha.

“Adiar o Enem. Com aulas presenciais interrompidas, aluno da rede pública tem desvantagem maior​f.” Editorial da Folha.

“A crise global e as peculiaridades brasileiras. Demais poderes cumprem suas funções, e isso compensa em parte a falta de articulação do Executivo.” Editorial do O Globo.

“Tropeçando na informalidade. Na emergência, pobreza e desigualdade tornaramse obstáculos adicionais à ação governamental, no Brasil e na maior parte dos países latino-americanos..” Editorial do Estadão.

“A imprensa sob pressão. A virulência da recessão e das tiranias está sufocando muitas vozes da imprensa.” Editorial do Estadão.

“Educação na pandemia. A crise está expondo as vantagens, mas também as limitações do ensino a distância.”. Editorial do Estadão.

“Bom senso é o melhor remédio. Hoje, o Brasil precisa de concertação, centrada no bom senso, que tenha como objetivo o bem-estar coletivo.”. Editorial do Correio Braziliense.

📈 Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) não abre nos finais de semana.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Inscreva-se
Notifique-me de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments