Voto a mais na eleição do Senado: “não vou apontar o dedo para ninguém se não tiver 100% de certeza”, diz corregedor

Plenário do Senado durante segunda reunião preparatória destinada à eleição do presidente do Senado Federal para 56ª Legislatura. Foto: Pedro França/Agência Senado
Entre as teses de ‘equívoco’ ou ‘fraude’, o fato é que 78 dias depois da apuração dos votos para a presidência do Senado Federal, em que foram depositadas, nas urnas, 82 cédulas para um total de 81 senadores, o caso ainda não tem solução.Para o corregedor da Casa, senador Roberto Rocha (PSDB-MA), que é pressionado pelos colegas para que seja encontrado o responsável pelo voto a mais, “se não tiver 100% de certeza, não vou apontar o dedo para ninguém”.Em sua edição desta segunda-feira, 22, o jornal Estado de São Paulo, na Coluna do Estadão, veicula matéria a respeito, com as declarações de Rocha e a informação de que, até agora, pelas imagens analisadas, “não é possível identificar com clareza o autor”.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de