32% da folha é consumido com gratificações a servidores

SINOPSE NACIONAL DE 24 DE DEZEMBRO DE 2018

Edição: Sérgio Botêlho

JORNAIS:

Manchete e destaques do jornal O Globo: Gratificações a servidores custam 32% da folha. São 40 tipos diferentes de adicionais, que chegam a R$ 52 bi este ano. Levantamento feito pelo GLOBO nos dados do Ministério do Planejamento identificou 40 tipos de gratificações e adicionais, para diferentes carreiras do setor público, que somaram R$ 52,5 bilhões pagos a servidores federais na ativa, do Executivo, Legislativo e Judiciário, além de militares, de janeiro a novembro. Esses adicionais, que não são praxe no setor privado, consumiram 32% da despesa com pessoal no período, que foi de R$ 163,9 bilhões. Analistas dizem que é preciso ampla reforma no sistema de carreiras e salários do setor público.

Sem acordo, governo dos EUA terá paralisação parcial até depois do Natal. Batalha sobre custeio de muro na fronteira mexicana deixou setores da administração federal sem verbas para funcionar e 800 mil funcionários sem salários.

Tsunami deixa 168 mortos e 745 feridos na Indonésia, segundo autoridades. Número de vítimas pode subir. Cruz Vermelha diz que, em razão da alta temporada, região atingida estava cheia de turistas.

Processos por assédio têm número recorde no governo federal. Casos de assédio sexual e moral crescem no governo federal.

Bolsonaro anunciou 14 de 22 ministros no Twitter. Post de presidente eleito com maior repercussão foi a indicação de Moro para a Justiça, com 266 mil interações.

Presidente eleito viaja para área militar no Rio. Ele deverá voltar na quinta-feira e, no dia seguinte, vai almoçar com o primeiro-ministro de Israel.

PSL vai apoiar governos do DEM e MDB pelo país. Partido do presidente Jair Bolsonaro evita cargos nos secretariados e se coloca contra gestões comandas por legendas de esquerda, principalmente no Nordeste. No Rio, São Paulo e Minas, sigla opta pela independência.

Doria assume governo paulista e mira Planalto. Tucano tentará imprimir marca de inovador para se credenciar como presidenciável na eleição de 2022. Ele terá nas mãos o segundo maior orçamento do país, mas precisará resolver desgaste e conflitos internos do PSDB.

Anvisa: indicação de líder de Temer será retirada. Futuro ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta afirma que André Moura não tem ‘perfil técnico’ para agência; parlamentar do PSC já foi condenado em quatro processos e não tem ligação com a área.

Sem ceia, Lula passará Natal sozinho na PF. Preso desde abril, ex-presidente vai comer cardápio regular na cela que ocupa: arroz, feijão, salada e carne. Petistas prometem fazer vigília em frente ao prédio da polícia; família o visitou na quinta-feira.

Lauro Jardim: Cabral inicia negociação para delação premiada. Após anos negando ter recebido propina, o ex-governador Sérgio Cabral abriu negociações para uma possível delação premiada. No cardápio, o Judiciário e jogadas nebulosas da Copa do Mundo.

Miriam Leitão: Diplomacia de Bolsonaro se diz nova, mas é velha e ruim.

Paulo Hartung: É possível ter gestão fiscal e entregar resultados nas áreas essenciais.

Elio Gaspari: No dia 2 de janeiro terminará o mundo das promessas eleitorais.

Ancelmo Gois: Em 2018, país abriu 144 clubes de tiro, quase o total de 2014 a 2017.

Editorial1: Um pacto de governadores pelas reformas. Dos 27 estados, 16 têm a receita perigosamente comprometida por gastos com pessoal.

Editorial2: Liberação de cassinos em resorts poderá alavancar região do Porto. Legalizar é forma de o Estado exercer controle sobre mercado que cresce na clandestinidade.

 

*Manchete e destaques do jornal Manchete e destaques do jornal Estado de São Paulo

: Comércio volta a abrir lojas depois de três anos. Entre 2015 e 2017, mais de 223 mil pontos de venda fecharam as portas; neste ano, 6 mil foram abertos. Depois de três anos seguidos com mais fechamento do que abertura de lojas, o País teve em 2018, até outubro, um saldo de 6 mil novos pontos de venda inaugurados. O crescimento é de 0,5% em relação ao total de 1,2 milhão de lojas em atividade com empregados formais. O movimento de expansão foi captado em estudo da Confederação Nacional do Comércio (CNC). Se for considerado o ritmo de inaugurações até outubro, a perspectiva é de que o ano se encerre com um saldo de 7 mil novas lojas. Este será o melhor ano de expansão desde 2013, quando o varejo ampliado, que inclui veículos e materiais de construção, cresceu 3,6% e abriu 36,3 mil pontos de venda. No auge da crise econômica, entre 2015 e 2017, mais de 223 mil lojas fecharam as portas. Responsável pelo estudo, o economista Fabio Bentes espera um movimento ainda mais forte de abertura de lojas em 2019.

Supermercados e farmácias. Das 6 mil lojas abertas no País em 2018, duas em cada três (64%) foram dos segmentos de supermercados, alimentos, bebidas, medicamentos e artigos de perfumaria.

Kassab avalia se licenciar de cargo para se defender de acusações. Escolhido para chefiar a Casa Civil do governador eleito João Doria (PSDBSP), o ministro Gilberto Kassab (PSD) disse a Pedro Venceslau estar “avaliando” a possibilidade se licenciar do cargo para cuidar de sua defesa. Alvo de operação da PF decorrente de delação da J&F, ele disse que não teme ser preso. “Tenho convicção de que esse inquérito vai chegar à conclusão da seriedade das minhas ações.”

Polícia acha R$ 1,2 mi, arma e pedras em propriedade ligada a João de Deus.

Ministério como chamado divino. Perfil. Damares Alves, futura ministra da mulher, família e direitos humanos. A paranaense de 54 anos que ficou famosa por palestras contra aborto e ideologia de gênero em igrejas evangélicas deve fazer do combate à violência contra crianças uma bandeira.

Coluna do Estadão: O decano do Supremo, ministro Celso de Mello, pretende liberar em fevereiro duas ações penais da Lava Jato para julgamento. As investigações miram o senador Valdir Raupp (MDB-RO) e o deputado federal Aníbal Gomes (DEM-CE). O relator da Lava Jato, ministro Edson Fachin, encaminhou em agosto deste ano os processos para o gabinete de Celso, revisor das ações na 2.ª Turma. Até agora, no âmbito da operação, o Supremo condenou apenas o deputado federal Nelson Meurer (PPPR), por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

Coluna do Estadão: Entendeu? Aos que ainda duvidam que Renan Calheiros vai até o fim com sua candidatura à presidência do Senado, seus interlocutores dizem: quem já foi quatro vezes presidente do Congresso, deu posse a três presidentes da República, vai ser apenas senador?

Vera Magalhães: Bolsonaro deve entender que o sucesso depende de Guedes e Moro, não da turba direitista hidrófoba.

Rolf Kuntz: O terno da posse já foi experimentado. Só falta um plano de governo para ser executado.

Editorial1: O papel de cada instituição. Não foram poucas as ocasiões em que o Judiciário atuou como legislador. Em outras, o Supremo também se intrometeu em atribuições exclusivas do Executivo.

Editorial2: O desastre social do PT. O lulopetismo deixou de implantar políticas consistentes de redução das desigualdades.

Editorial3: O despudor de Ortega. Presidente da Nicarágua já não tem qualquer pudor em mostrar a verdadeira face ditatorial de seu governo.

 

*Manchete e destaques do jornal Manchete e destaques do jornal Folha de São Paulo

: Otimismo do brasileiro com a economia do país dispara. Perto da posse de Bolsonaro, Datafolha aponta recorde de 65% que dizem que situação melhorará. Às vésperas da posse de Jair Bolsonaro (PSL) como presidente, o otimismo do brasileiro com a economia está em níveis recordes. É o que aponta pesquisa Datafolha com 2.077 pessoas, em 130 municípios, nos dias 18 e 19. Dos entrevistados, 65% acham que a situação econômica do país melhorará nos próximos meses. Esse é o mais alto índice da série histórica, que começa em 1997. No levantamento anterior, feito em agosto, eram 23%. Menos de um em cada dez brasileiros (9%) acredita em piora na economia. Quatro meses atrás, eram 31%. Quando o tema é desemprego, para 47% ele cairá com Bolsonaro. Em agosto, 19% tinham essa percepção. Em relação à inflação, na comparação com a pesquisa anterior, diminuiu de 54% para 27% o índice dos que creem que ela aumentará. Os que se identificam com o eleito, como os evangélicos, têm um otimismo maior. Entre homossexuais, bissexuais, indígenas, nordestinos e petistas, a confiança diminui.

Empresários se animam para 2019, porém não preveem contratações

Temer sai de cena em meio a denúncias e sem recessão. Michel Temer (MDB) deixará a Presidência, herdada de Dilma Rousseff após o impeachment da petista em 2016, sendo alvo de investigações e tendo como marca a impopularidade. Do lado positivo, tirou o país da recessão, manteve a inflação baixa e levou a taxa básica de juros à mínima histórica. Mas não teve capital político para aprovar a reforma da Previdência.

Preço alto e novas reservas geram corrida por lítio. O preço do lítio, matéria-prima para fabricação de baterias, disparou nos últimos anos na expectativa da popularização de carros elétricos. Mineradoras do Vale do Jequitinhonha (MG) querem fazer do Brasil um dos maiores produtores na próxima década.

João de Deus está entre ser linchado ou ser julgado. Alberto Z. Toron Luisa M. A. Ferreira: A crença genuína, imparcial, sem preconceitos e ilimitada no Estado de Direito é testada em casos como o de João de Deus. Aqui pilar dos direitos individuais está sendo negado: o direito de defesa,

Mais de 700 mil em prisões são desafio para novo governo.

Alexandre Frota responderá por ataques a magistrada em redes sociais. Juíza que o condenou por injúria contra Jean Wyllys (PSOL-RJ) foi ofendida por ele e por seus seguidores.

Painel: Eleito com a promessa de respostas rápidas para aliviar a sensação de insegurança da população, Jair Bolsonaro (PSL) receberá um pacote de sugestões do escolhido para formular políticas de segurança pública em seu governo. Integrante da equipe de Sergio Moro no Ministério da Justiça, o general da reserva Guilherme Theophilo vai propor a construção de moradias com financiamento subsidiado para policiais. E quer ampliar o acesso dos estados a armamento pesado, como fuzis.

Elio Gaspari: O ‘Posto Ipiranga’ de Bolsonaro piscou.

Brexit ‘indefinido’ reaviva apreensão na fronteira entre as duas Irlandas. Moradores temem volta de barreiras na única divisa terrestre entre Reino Unido e Europa.

Editorial1: Futuro incerto. Alvo de nova denúncia, Temer chega ao final do mandato de modo melancólico

Editorial2: Auxílio-moradia, epílogo. Judiciário sai com a imagem abalada pela demonstração de corporativismo mesquinho.

Receba todas as novidades do Anexo6diretamente em seu email


Deixe um comentário

avatar
  Inscreva-se  
Notifique-me de
Fechar Menu