MANCHETES E EDITORIAIS DE 18.05.2024 

Economia, Petrobras e educação são os temas das manchetes dos jornais da grande mídia impressa neste sábado, 18. “Campos Neto diz que não tem de avisar o governo ao mudar orientação para juro”, no Estadão. “Lula quer que nova chefe da Petrobras recompre refinaria”, na Folha. “Taxa de alfabetização avança, mas país tem 11 milhões sem ler e escrever”, no O Globo.

Manchetes do dia:

“Campos Neto diz que não tem de avisar o governo ao mudar orientação para juro. Presidente do BC diz que alterar sinalização sobre a política monetária é prerrogativa da instituição, que tem autonomia”. Manchete de capa do Estadão.

“Lula quer que nova chefe da Petrobras recompre refinaria. Governo espera ainda impulso para indústria naval na gestão Magda Chambriard.” Manchete de capa da Folha.

“Taxa de alfabetização avança, mas país tem 11 milhões sem ler e escrever. Índice de analfabetos, de 7% da população, é maior no Nordeste e entre negros e indígenas.” Manchete de capa do O Globo.

Editoriais do dia:

“Não dá para tolerar reconstruções em área de risco. Como Nova Orleans no pós-Katrina, Rio Grande do Sul deverá manter desocupadas as regiões vulneráveis.” Editorial do O Globo.

“Conquista da Copa feminina merece celebração, mas exige vigilância. Histórico de equívocos e obras abandonadas em eventos anteriores recomenda mais comedimento.” Editorial do O Globo.

“Vai começar tudo de novo. Perda de valor de mercado é só uma fração do que estatal perderá nas mãos da demagogia lulopetista.” Editorial do Estadão.

“Tebet, um corpo estranho no governo petista. Respaldo de Lula e do PT a pacote de corte de gastos que a ministra prepara parece improvável.” Editorial do Estadão.

“Molecagem. Para Boulos, vale tudo para livrar um aliado da cassação por suspeita de ‘rachadinha’.” Editorial do Estadão.

“Melhor rumo para o novo TSE é o do comedimento. Com composição alterada, corte eleitoral acertará se atua de forma mais contida e menos censória nas disputas municipais deste ano.” Editorial da Folha.

“Eleições sangrentas. Sob o rastro de 51 vítimas da violência, México elege primeira mulher como presidente em junho.” Editorial da Folha.

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a sexta-feira, 17, em baixa de -0,10%, a 128.151 pontos. O dólar terminou o dia em queda de -0,55%, a R$ 5,10.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Advertisment -
Cowmeia Coworking

MAIS POPULARES