MANCHETES E EDITORIAIS DE 08.02.2024

Política, clima e econômica são os destaques das manchetes da grande mídia impressa nesta quinta-feira, 08. “Governo quer que reforma trate de ‘supersalários’ do Judiciário”, diz o Estadão. “2024 teve o janeiro mais quente já registrado na Terra”, anuncia O Globo. “Após dois anos de queda, dívida pública cresce sob Lula 3”, conta a Folha.

Manchetes do dia:

“Governo quer que reforma trate de ‘supersalários’ do Judiciário. Ministra defende acordo entre Poderes para impor respeito a teto.” Manchete de capa do Estadão.

“2024 teve o janeiro mais quente já registrado na Terra. Recorde para o mês supera toda a série histórica desde 1850.” Manchete de capa do O Globo.

“Após dois anos de queda, dívida pública cresce sob Lula 3. Endividamento sobe três pontos percentuais em 2023 e chega a 74,3% do PIB; gasto com juro é o maior desde 2013.” Manchete de capa da Folha.

Editoriais do dia:

“Limitação das ‘saidinhas’ dos presídios é passo no rumo certo. Objetivo de ressocialização não tem sido cumprido: mais de 3 mil presos não voltaram à cadeia no Natal.” Editorial do O Globo.

“Plenário do STF deve julgar acordos de leniência. Recurso da PGR em caso envolvendo J&F dá ao Supremo oportunidade de formular tese para outros casos do tipo.” Editorial do O Globo.

“A PGR fez sua parte. Recurso contra decisão de Toffoli é oportunidade de ouro para STF fazer necessária correção de rumos.” Editorial do Estadão.

“BC acerta ao manter cautela. Alta de emprego e salários pressiona inflação, e setor de serviços pode surpreender.” Editorial do Estadão.

“A temperatura do café de Lira. Em último ano de mandato, Lira corre o risco de dobrar demais sua aposta e travar agenda na Câmara.” Editorial do Estadão.

“Dívida pública é risco a não subestimar. Passivo atinge 74,3% do PIB; sem contenção de gastos, alta vai pressionar inflação e comprometer crescimento da economia.” Editorial da Folha.

“Saúde e religião. Lei garante liberdade de crença; pelo SUS, hospital não deve negar contraceptivo.” Editorial da Folha.

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a quarta-feira, 07, em queda de -0,36%, a 129.950 pontos. O dólar terminou o dia em alta de 0,10%, a R$ 4,97.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Advertisment -
Cowmeia Coworking

MAIS POPULARES