MANCHETES E EDITORIAIS DE 31.01.2024 

Economia e política nacional e internacional são os destaques das manchetes dos jornais da grande mídia impressa, nesta quarta-feira, 31. Reservas cambiais voltam a crescer sob Lula após queda na gestão Bolsonaro, diz a Folha. Lula vê quebra de confiança e demite cinco da cúpula da Abin, conta O Globo. EUA decidem retomar sanções após Venezuela vetar opositores, destaca o Estadão.

Manchetes do dia:

“Reservas voltam a crescer sob Lula com fluxo cambial e juros. País fecha 2023 com US$ 355 bilhões, alta de 9,34% em relação ao ano anterior, após queda na gestão Bolsonaro.” Manchete de capa da Folha.

“Lula vê quebra de confiança e demite cinco da cúpula da Abin. Diretor adjunto cai sob suspeita de atuar contra a investigação da PF sobre o suposto esquema de espionagem ilegal.” Manchete de capa do O Globo.

“EUA decidem retomar sanções após Venezuela vetar opositores. Ditadura chavista descumpre pacto ao barrar rivais de Maduro.” Manchete de capa do Estadão.

Editoriais do dia:

“Alta na percepção de corrupção traz custo ao Brasil. Recuo do país em ranking global expõe enfraquecimento de instituições de controle depois da Lava-Jato.” Editorial do O Globo.

“É indevido governo ironizar adversário por ação da PF. Referência velada em campanha da dengue faz piada com tema sério e alimenta teorias sem fundamento.” Editorial do O Globo.

“Uma tarefa coletiva. Desequilíbrio estrutural entre receitas e despesas não será revertido sem que Poderes revejam seus gastos.” Editorial do Estadão.

“O populismo de sempre. Uso de força policial como solução para violência na Cracolândia só funciona como parolagem eleitoreira.” Editorial do Estadão.

“Deboche antirrepublicano. A Lula da Silva e Paulo Pimenta convém lembrar: ironia e comunicação pública são incompatíveis.” Editorial do Estadão.

“Mais corrupção. Piora em ranking decorre de pacto de impunidade entre políticos e autoridades.” Editorial da Folha.

“Dengue anunciada. Explosão de casos era previsível; agilizar vacinação poderia ter salvado vidas.” Editorial da Folha.

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 30, em queda de -0,86%, a 127.402 pontos. O dólar terminou o dia em queda de -0,02%, a R$ 4,94.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Advertisment -
Cowmeia Coworking

MAIS POPULARES