MANCHETES E EDITORIAIS DE 02.01.2024

As manchetes dos grandes jornais da mídia impressa, nesta terça-feira, 2, focam na economia. O ministro Haddad considera que PT não pode celebrar o resultado econômico ao mesmo tempo que acha tudo errado, segundo reproduz O Globo. Já o Estadão prevê que Brasil deve atrair mais capital com corte de juro nos EUA, mas chama a atenção para a gestão fiscal. Segundo a Folha, no entanto, taxa nos EUA deve se manter alta e obrigar o Brasil a pagar mais a investidores.

Manchetes do dia:

“PT não pode celebrar resultado e achar tudo errado, diz Haddad. Para ministro, prioridade é o déficit zero e tempo é curto para reforma do IR este ano.” Manchete de capa do O Globo.

“Brasil deve atrair capital com corte de juro nos EUA, mas gestão fiscal pode atrapalhar. Preocupação com as contas públicas tende a ser uma barreira para investidores estrangeiros.” Manchete de capa do Estadão.

“Dívida global recorde cria trava para queda de juros. Taxa nos EUA deve se manter alta e obriga Brasil a pagar mais a investidores.” Manchete de capa da Folha.

Editoriais do dia:

“Desmatamento no Cerrado impõe dever aos estados. Engajamento de governadores é crucial para sociedade saber o que é legal e ilegal — e deter a devastação.” Editorial do O Globo.

“Teses pessimistas sobre o futuro da economia não justificam protecionismo. Brasil dispõe de recursos para enfrentar envelhecimento populacional e desaceleração chinesa.” Editorial do O Globo.

“Os paradoxos do Congresso. Na epopeia de 2023, Congresso mostrou ainda ser melhor representação do País, para o bem ou o mal.” Editorial do Estadão.

“Mudanças climáticas e a demonização do agro. Como salientou Roberto Azevêdo, ver produção de alimentos como algoz das emissões só pode ser má-fé.” Editorial do Estadão.

“A conta do mercado livre. Consumidores residenciais de energia pagarão pela abertura mal planejada do mercado.” Editorial do Estadão.

“Agenda limitada. Lula divide protagonismo com Congresso; acordos deveriam mirar equilíbrio fiscal.” Editorial da Folha.

“Tiro no escuro. Sem Bolsonaro, corrida armamentista reflui, mas efeitos tendem a perdurar.” Editorial da Folha.

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) volta a operar nesta terça-feira, 2, após o período da passagem do ano.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Advertisment -
Cowmeia Coworking

MAIS POPULARES