MANCHETES E EDITORIAIS DE 16.12.2023

A aprovação da reforma tributária, após 40 anos, é o destaque absoluto das manchetes dos jornais da grande mídia impressa neste sábado, 16. O Globo prevê cobrança menos desigual sobre consumo. Três novos tributos absorvem os antigos e regime valerá a partir de 2026, lembra o Estadão. ‘Reforma que simplifica imposto no Brasil vai à promulgação’, realça a Folha.

Manchetes do dia:

“Reforma histórica. Brasil moderniza sistema de impostos após quatro décadas. Simplificação do regime unifica tributos e torna cobrança sobre consumo menos desigual.” Manchete de capa do O Globo.

“Maior reforma tributária desde a ditadura passa no Congresso. Três novos tributos absorvem os antigos; regime valerá em 2026.” Manchete de capa do Estadão.

“Reforma que simplifica imposto no Brasil vai à promulgação. Após 35 anos, Congresso Nacional conclui aprovação do novo sistema tributário brasileiro. “. Manchete de capa da Folha.

Editoriais do dia:

“Tarifa zero é uma solução oportunista e inadequada. Liberação das catracas em São Paulo é medida eleitoreira que beneficia mais as empresas que os usuários.” Editorial do O Globo.

“Condenação nos Estados Unidos expõe práticas anticompetitivas do Google. Empresa foi julgada culpada por impor regras que expulsaram jogo Fortnite de sua loja de aplicativos.” Editorial do O Globo.

“A COP da transição. A conferência de Dubai teve o mérito de reconhecer claramente a necessidade de transição energética.” Editorial do Estadão.

“Autorização para a vingança. Decisão que dispensa câmeras corporais escancara tolerância com condições que propiciam violência estatal.” Editorial do Estadão.

“A omissão do Senado. Se o País dependia da sabatina para conhecer o futuro procurador-geral, continua no escuro.” Editorial do Estadão.

“Populismo tarifário. Prefeito Ricardo Nunes aprofunda prática ruim e eleitoreira de maquiar custo dos transportes.” Editorial da Folha.

“Cinco dias é pouco. Congresso deve estender licença-paternidade, que ajuda a diminuir disparidade de gênero.” Editorial da Folha.

Bolsa de Valores:

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a sexta-feira, 15, em queda de -0,49%, a 130.197 pontos. O dólar terminou o dia em queda de -0,43%, a R$ 4,94.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Advertisment -
Cowmeia Coworking

MAIS POPULARES