MANCHETES E EDITORIAIS DE 18.10.2023

Mais um dia de cobertura preferencial da grande mídia impressa brasileira sobre a guerra que se desenrola no Oriente Médio. Desta vez, o assunto que mais chama a atenção e ocupa as manchetes do O Globo, do Estadão e da Folha de São Paulo tem a ver com o ataque a um hospital na Faixa de Gaza com centenas de mortos. Israelenses e palestinos travam debate sobre a autoria da ação. De sua parte, o Valor Econômico tem como destaque a economia, informando que as taxas de debêntures voltaram aos níveis normais.

Na sequência, as manchetes:

Manchetes do dia:

“Ataque a hospital mata centenas e abre guerra de versões por autoria. Mais grave bombardeio em Gaza desde o início do confronto eleva pressão global contra crimes humanitários e gera troca de acusações entre Israel e palestinos.” Manchete de capa do O Globo.

” Explosão em hospital mata centenas em Gaza; árabes cancelam reunião com Biden. Acusado pelo Hamas de atacar doentes, Israel atribui massacre a míssil de outro grupo radical islâmico; americano chega hoje à região.” Manchete de capa do Estadão.

“Foguete atinge hospital e mata centenas em Gaza. Palestinos e israelenses trocam acusações sobre autoria; ataque vitima crianças.” Manchete de capa da Folha.

“Mercado de dívida local reage, e taxas de debêntures voltam aos níveis do começo do ano. Segmento retorna à normalidade e, com demanda mais elevada, títulos sem isenção de IR ganham espaço.” Manchete de capa do Valor Econômico.

Editoriais do dia:

“Congresso quer fundo eleitoral sem cabimento. Mantida a vontade dos congressistas, o Brasil deverá gastar por eleitor quase o quádruplo do México.” Editorial do O Globo.

“Queda em receitas do petróleo põe em risco cumprimento de metas fiscais. Contas públicas não deveriam depender de arrecadação vinculada a produto tão volátil.” Editorial do O Globo.

A inconstitucional precarização da PGR. PT não lida bem com instituições independentes. Interinidade na PGR dá a Lula o que ele sempre quis – e a Constituição proíbe: um procurador-geral da República refém do governo.” Editorial do Estadão.

Desenvolvimento sustentável e realista. Como na Constituição brasileira, as promessas da ONU são maximalistas e abrangentes. Mas é preciso selecionar os fins mais relevantes e priorizar os meios mais eficazes para atingi-los.” Editorial do Estadão.

“Proteger os civis. Reação legítima de Israel não pode transpor as fronteiras da proporcionalidade.” Editorial da Folha.

“Gigante estagnado. PIB é relevante, mas avanço pífio da renda revela letargia econômica brasileira.” Editorial da Folha.

“Relatório da CPMI forma enredo da corte de Bolsonaro. Como parecia óbvio, a comissão se voltou contra Bolsonaro e os extremistas que o apoiaram em uma tentativa, felizmente fracassada, de provocar pela violência a intervenção das Forças Armadas.” Editorial do Valor Econômico.

Bolsa de Valores

Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) fechou a terça-feira, 17, em queda de -0,54%, a 115908 pontos. O dólar terminou o dia em leve baixa de -0,02%, a R$ 5,04.

ARTIGOS RELACIONADOS
- Advertisment -
Cowmeia Coworking

MAIS POPULARES