Deputada indígena Célia Xakriabá (PSOL-MG) dá o tom do seu mandato

Entrevista Célia Xakriabá

Parlamentar da bancada dos povos originários critica as ‘leis que matam’, festeja bancada dos ancestrais e fala sobre o sofrimento do povo Yanomami

A bancada indígena na Câmara dos Deputados cresceu. Passou, agora, de apenas 1 parlamentar (Joênia Wapichana, da Rede de Roraima, que não se reelegeu) para 5, sendo 4 mulheres e um homem: Célia Xakriabá (PSOL-MG), Juliana Cardoso (PT-SP), Paulo Guedes (PT-MG), Silvia Waiãpi (PL-AP) e Sônia Guajajara (PSOL-SP). 

No caso de Guajajara, que assumiu o Ministério dos Povos Originários do Governo Lula, assume o não índio Ivan Valente, também do PSOL, desfalcando, portanto, a bancada indígena. 

Nesta segunda-feira, 23, a nove dias de assumir seu mandato, quem estava na Câmara dos Deputados era Célia Xakriabá, em procedimentos relativos à sua posse. Na oportunidade, em conversa com o Anexo 6, a parlamentar considera que essa é a ‘hora de avançar’, que é preciso ‘escutar as vozes dos povos indígenas’, homenageou a memória do ex-deputado Juruna Xavante e deplorou o sofrimento dos povos Yanomami.

Na íntegra, a entrevista:

Sou Célia Xakriabá, deputada Indígena, eleita pelo Estado de Minas Gerais, pelo PSOL. 

Qual a sua expectativa, o que é que a senhora mais deseja nesse mandato?

Esse momento é hora de avançar, é preciso pensar leis que não matem porque quando as leis calam, o genocídio e o ecocídio no nosso território fala. Nesse momento histórico, sou a primeira indígena eleita pelo Estado de Minas Gerais, sou a deputada indígena Federal mais jovem da humanidade, estaremos aqui no Parlamento fazendo pelo planeta. 

O parlamento vai ser paralelo, é preciso escutar as vozes dos povos indígenas, esse lugar que teve profundas ausência antes da constituinte de 1988, quando foi eleito o primeiro Deputado indígena no Brasil, Juruna Xavante, e somente 33 anos depois foi eleito a primeira mulher indígena em 2018. Nesse momento de tornar esse Congresso Nacional no Congresso ancestral. 

A senhora fala dessas vozes que precisam ser ouvidas. Quais são essas vozes, qual o maior apelo que vocês indígenas e a senhora como deputada eleita traria para a Câmara?

O maior apelo nesses últimos dias tem sido a crise humanitária do povo indígena, Yanomami.  Vocês acham normal as crianças Yanomami passar fome e passar sede. 70% das crianças yanomamis estão contaminadas por mercúrio, mas a nossa principal pauta é a questão territorial, porque reconhecido pela ONU, nós povos indígenas não somos nem 1% da população brasileira, somos 5% da população do mundo e protegemos em torno de 80% da biodiversidade. 

Abaixo, a entrevista completa de Célia Xakriabá:

https://www.youtube.com/watch?v=oPDKVus-S7A

Compartilhe este artigo:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Zoom-+=