GDF investe R$ 81 milhões na expansão de rede pluvial em quatro regiões

Governo do DF

Obras começam em fevereiro em Samambaia, Itapoã, Santa Maria e Recanto das Emas; Novacap fará manutenção na malha do DF e nas bacias de contenção

O Governo do Distrito Federal (GDF) vai investir, neste início de ano, R$ 81 milhões em obras de expansão da rede pluvial. Serão destinados R$ 35 milhões para a ampliação da rede na BR-060, na região de Samambaia, além de R$ 30 milhões no Itapoã, R$ 10 milhões no Polo JK, em Santa Maria, e R$ 6 milhões no Recanto das Emas.

Também está prevista a contratação de serviços de manutenção no valor total de R$ 35 milhões. Hoje, o Distrito Federal dispõe de 3,5 milhões de metros de tubulações de drenagem, cujo valor estimado é de R$ 3 bilhões.

“Obras de drenagem têm um alto custo, mas o GDF sabe da importância desses investimentos para a população”, disse o responsável pela Divisão de Manutenção da Novacap, Lânio Pene. Os serviços terão início em fevereiro, e, de acordo com o técnico, a decisão de fazer obras de drenagem passa por três etapas.

Na primeira, são feitos estudos sobre a hidrologia e topografia da região. O segundo passo é a elaboração de um projeto ambiental, que, para a iniciativa seguir adiante, precisa contar com concessão de outorga por parte da Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa). A partir daí, pode ser iniciada a execução da obra, com a contratação de uma empresa para fazer o trabalho.

Manutenção dos serviços

Os investimentos com redes de drenagem incluem não só a conclusão do serviço, mas também a manutenção. De acordo com Lânio, nos últimos três anos a Novacap recebeu, por meio da Ouvidoria do GDF, mais de três mil pedidos de manutenção na rede.

Trabalhos pontuais são realizados pela própria Novacap, que conta, para isso, com uma equipe de 80 pessoas. Os serviços mais complexos ficam sob a responsabilidade das empresas contratadas. A população pode solicitar os serviços por meio da Ouvidoria do GDF, no número 162 ou neste link.

O responsável pela Divisão de Manutenção da Novacap também falou sobre o prejuízo com o roubo de bocas de lobo feitas de ferro, que custou R$ 270 mil aos cofres do GDF em 2022. Segundo Lânio, no período foi registrado o roubo de 300 peças em todo o DF. A reposição de cada uma teve um custo de R$ 900. Quanto às tampas de cimento que acabam sendo danificadas por meio de quebra, a reposição de cada peça tem um custo de R$ 100.

Com informações da Agência Brasília

Compartilhe este artigo:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Zoom-+=