Em sessão solene, Congresso dará posse a Lula neste domingo

Política

História do Brasil passa por termo de posse, que Lula assina mais uma vez

Doze anos depois de ter deixado o cargo, Luiz Inácio Lula da Silva toma posse neste domingo (1º) como presidente da República para exercer um terceiro mandato de quatro anos. A solenidade está marcada para as 15h, no Congresso Nacional.

A expectativa para a posse de Lula é grande. O evento deverá contar com a participação de cerca de 700 jornalistas brasileiros e estrangeiros, 120 representantes de governos estrangeiros, dois mil convidados, e um público externo entre 150 mil e 300 mil pessoas. Os veículos de comunicação do Senado estão organizando uma ampla e especial cobertura, trazendo ao vivo todos os detalhes do evento.

O roteiro da posse prevê a chegada dos convidados (entre eles os chefes de Estado e de governo) ao Congresso a partir das 13h45. Lula e o vice-presidente Geraldo Alckmin deverão chegar à Catedral de Brasília por volta das 14h20. Às 14h30, o presidente e o vice, que foram diplomados no dia 12 de dezembro pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sairão em direção ao Congresso. O percurso deve durar dez minutos, apesar da proximidade. Por questões relacionadas à segurança, a decisão sobre se os dois desfilarão em carros abertos ou fechados será tomada em momento mais próximo da solenidade.

Lula será recebido na rampa do Congresso pelos presidentes da Câmara dos Deputados e do Senado, Arthur Lira e Rodrigo Pacheco. A sessão solene de posse, no Plenário da Câmara, será iniciada às 15h, com a execução do Hino Nacional. Em seguida, Lula fará o Compromisso Constitucional e assinará o termo de posse, juntamente com Alckmin.

Na sequência, o presidente fará um pronunciamento à nação. O presidente do Senado e do Congresso, Rodrigo Pacheco, discursará logo depois. A sessão será encerrada em seguida, e Lula seguirá para a área externa do Congresso, onde lhe serão prestadas honras militares.

O roteiro da posse no Palácio do Planalto ainda não foi divulgado. A praxe é que o novo presidente receba a faixa presidencial do antecessor — o que pode ocorrer ao pé da rampa de acesso ou no Parlatório —, mas, conforme tem noticiado a imprensa, o presidente Jair Bolsonaro não pretende participar do evento, assim como o vice-presidente Hamilton Mourão. Depois do discurso no Parlatório, Lula e Alckmin vão receber cumprimentos de autoridades estrangeiras e convidados e participar de solenidade no Itamaraty.

Paralelamente aos atos oficiais da posse, vai ser realizado na Esplanada dos Ministérios o Festival do Futuro, com shows gratuitos de dezenas de artistas. Da programação desse festival, constará igualmente a transmissão dos eventos da posse por meio de um telão. A festa terá início ao meio-dia.

Edição do Anexo 6: Sérgio Botêlho, com informações da Agência Senado

Compartilhe este artigo:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Zoom-+=