Dodge pede ao STF federalização do caso Marielle Franco

Marielle foi assassinada há mais de um ano no Rio de Janeiro e impunidade continua sendo motivo de desgaste da imagem do Brasil no exterior
Crédito da foto: MPF

Um crime político que continua provocando desgaste para o Brasil, no Exterior, o do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSL-RJ) e de seu motorista Anderson Gomes, pode ser federalizado caso o Supremo aceite o pedido feito pela procuradora geral da República, Raquel Dodge.
Dodge deixou o cargo nesta terça-feira, 17, sendo o pedido de federalização do caso da vereadora carioca um dos últimos encaminhado por ela aos ministros do STF, que deve deliberar sobre o caso em breve.
Caso o pedido de federalização seja aceito pelo STJ, caberá à Justiça Federal, e não mais ao Judiciário local, o julgamento do caso. No mesmo pedido de deslocamento da competência para julgamento, Raquel Dodge apresentou pedido de abertura de um novo inquérito contra suspeitos que teriam participado de uma “encenação de investigação” para conduzir a apuração a falsos mandantes e esconder a verdadeira autoria dos assassinatos.
Caso o pedido de federalização seja aceito pelo STJ, caberá à Justiça Federal, e não mais ao Judiciário local, o julgamento do caso. No mesmo pedido de deslocamento da competência para julgamento, Raquel Dodge apresentou pedido de abertura de um novo inquérito contra suspeitos que teriam participado de uma “encenação de investigação” para conduzir a apuração a falsos mandantes e esconder a verdadeira autoria dos assassinatos.

FONTE: Agência Brasil

Compartilhe este artigo:

Share on whatsapp
WhatsApp
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Zoom-+=